segunda-feira, 19 de outubro de 2009

34. A Abertura do Sexto Selo 2

Aproximação ao Apocalipse (34)
A ABERTURA DO SEXTO SELO 2

CONTINUAÇÃO



“dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus”. Apocalipse 7:3.

CHEGOU O GRANDE DIA DE SUA IRA

Vamos abrir a palavra do Senhor conforme à aproximação ao Apocalipse que estamos realizando. Estamos no capítulo 7.

Estamos seguindo o Apocalipse verso a verso; chegamos na vez passada ao sexto selo e o sexto selo vai do capítulo 6, versículo 12, até o capítulo 7, versículo 17. Hoje vamos estar no capítulo 7. Lembrem-se de que o apóstolo João não escreveu estes números; ele não dividiu em capítulos nem versículos; ele escreveu sem interrupções e divisões; logo na Idade Média foi quando o dividiram em capítulos, e um pouco mais adiante em versículos, que é muito útil para encontrá-los; mas às vezes é necessário não ter em conta esses números para enquadrar as unidades de revelação, e não as unidades de número. No capítulo anterior lemos o capítulo 7 a maneira de introdução, e o capítulo 7 é a resposta à pergunta que aparece ao final do capítulo 6. Tudo isto no contexto do sexto selo, e o sexto selo é o selo da grande tribulação. Em Apocalipse 6:17 diz: “porque chegou o grande Dia da ira deles”. Esta frase, “ira deles”, no grego é a ira deles, ou seja de Deus e do Cordeiro; este “deles”, é do Pai e do filho, grego autous; a palavra é plural. “chegou o grande Dia da ira deles”; e esta é uma boa pergunta, porque quando a gente vê esse julgamento que foi descrito no capítulo 6, e como depois nas trombetas e nas taças vai ser descrito com mais detalhe, realmente um se perguntaria: Ouça, mas isto tão terrível, quem escapará disto? O Senhor usou essa palavra “escapar”; Ele disse: Que sejam tidos por dignos de escapar destas coisas que virão; e então essa é a ultima pergunta do capítulo 6: “e quem poderá sustentar-se em pé?” Essa é a pergunta; a mesma feita também no Joel 2:11. Todas estas frases estão todas relacionadas pelo mesmo Espírito. Diz Joel 2:11: “E Senhor dará sua ordem diante de seu exército; porque muito grande é seu acampamento; forte é o que executa sua ordem; porque grande é o dia do Senhor, e muito terrível; quem poderá suportá-lo?” É uma pergunta: “quem poderá suportá-lo? No Malaquias 3:2, também encontramos uma pergunta semelhante: “E quem poderá suportar o tempo de sua vinda? ou quem poderá estar em pé quando ele se manifeste? Porque ele é como fogo purificador, e como sabão de lavadores”. Graças a Deus que essa pergunta sim tem uma resposta positiva. Deus mesmo quer que haja pessoas em pé quando Ele venha, que o recebam. Então a seguir no sexto selo, o que aqui aparece no capítulo 7, Deus responde por esta revelação ao João; Deus lhe mostra quem são os que vão estar em pé, e o mostra em duas seções: a primeira seção relativa ao povo do Israel, e a segunda seção relativa a outros povos; ou seja, aos gentis, às demais etnias ou nações, ou tribos, ou línguas. Então do capítulo 7:1-8 aparece a seção dos do Israel que estarão em pé; e do capítulo 7:9-17 aparecem outros que também estarão em pé diante do Senhor, depois de que mostra essa situação tão terrível que a vez passada lemos no sexto selo, no capítulo 6. Agora aparece a resposta à pergunta, quem poderá sustentar-se em pé?

OS QUATRO VENTOS DA TERRA

Lemos desde 7:1: “1 Despois disto vi”; aqui o Senhor começa a mostrar quem poderão sustentar-se em pie; e mostra a uns israelitas especiais e a um povo muito numeroso de toda tribo, língua, povo e nação que sai da tribulação grande embranquecendo sua roupa no sangue do Cordeiro. Então começa a descrição para cá:

“1Depois disto vi quatro anjos em pé sobre os quatro ângulos da terra, que detinham os quatro ventos da terra, para que não soprasse vento algum sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre nenhuma árvore”. Já no próximo capítulo, quando se abrir o sétimo selo e comecem a soar as trombetas, começamos a ver que se começa a fazer mal sobre a terra, sobre o mar, sobre as árvores, pelo menos sobre a terceira parte nas trombetas; já sobre o resto será nas taças; mas fixem-se em que antes de que essas trombetas introduzam o julgamento, aqui Deus mostra que ele vai preparar um remanescente neste contexto do sexto selo, que vai poder estar em pé diante do Senhor; então diz que havia quatro anjos sobre os quatro ângulos da terra.

Na Bíblia vemos que Deus delega a certos anjos poder e autoridade sobre forças da natureza; vemos passagens que falam de anjos das águas ou que tinham poder sobre o fogo, verdade? Um anjo que está no sol; e aqui vemos estes anjos que têm poder sobre os ventos da terra; é curioso que lhes chama os quatro ventos da terra; detinham os quatro ventos da terra; e as mesmas pessoas que estudam o clima e a meteorologia falam dos ventos do oeste ou ocidentais, os ventos do este, os ventos alísio, os ventos monções; estes quatro ventos aparecem, se vocês o recordarem quando o vimos em Zacarias.

Vamos a Zacarias no capítulo 6 e ali vocês recordarão estes quatro ventos. Zacarias 6:5; ali aparecem como carros com cavalos, quatro carros; estes quatro ventos eram quatro carros guiados por diferentes cavalos; assim representa o Senhor estes quatro ventos; mas nos lembremos de uma coisa: estes ventos físicos representam movimentos, acontecimentos; antes de que venham os acontecimentos próprios da grande tribulação, então Deus faz uma preparação. A detenção dos ventos é uma extensão calma “pequena” antes do pior.

OS QUATRO CARROS DO JULGAMENTO DIVINO

Por isso diz em Zacarias 6:2: “2 No primeiro carro, os cavalos eram vermelhos, no segundo, pretos, 3 no terceiro, brancos e no quarto, baios; todos eram fortes. 4 Então, perguntei ao anjo que falava comigo: que é isto, meu senhor? 5 Respondeu-me o anjo: São os quatro ventos do céu, (mas agora fixem-se em que ali não apareciam só ventos, a não ser anjos tendo autoridade sobre os ventos) que saem donde estavam perante o Senhor de toda a terra”. Vemos que os anjos que dirigem os ventos se apresentam diante do Senhor a dar conta de sua missão, e também recebem da presença do Senhor sua missão; agora eles têm uma missão temporária de deter uns ventos, os quatro ventos, para selar aos escolhidos de Deus. Estes não são somente ventos naturais; claro que são ventos naturais, mas que escondem algo mais, digamos assim, mimetizam o mover do Espírito do Senhor. Para vê-lo vamos seguir aqui em Zacarias 6:6: “6 O carro em que estão os cavalos pretos sai para a terra do Norte; o dos brancos, após eles; o dos baios, para a terra do Sul.7 Saem, assim, os cavalos fortes, forcejando por andar avante, para percorrerem a terra. O SENHOR lhes disse: Ide, percorrei a terra. E percorriam a terra”. Vemos que é uma ordem aos ventos; Deus dirigindo os ventos. “E me chamou e me disse: Eis, (aqui aparece como se detrás do natural se esconde a direção espiritual de Deus) que aqueles que saíram para a terra do Norte fazem repousar o meu Espírito na terra do Norte”. Vemos que estes ventos dirigidos por anjos mostram o Governo de Deus; Deus se esconde detrás destes ventos. Nada da natureza está solto do controle absoluto de Deus, e Deus tem anjos ministradores que cumprem a vontade de Deus nos elementos; por isso se fala de anjos detendo os ventos, anjo das águas, anjo que controla o fogo; não é somente elementos naturais, a não ser elementos naturais controlados Por Deus através de seus anjos.

O SELO DO DEUS VIVO

Voltemos para Apocalipse 7:2: “Vi outro anjo que subia do nascente do sol, (a palavra no grego é anatolés, de onde vem Anatólia, ou seja do oriente) tendo o selo do Deus vivo”. A que se refere o selo do Deus vivo? Encontramo-lo na epístola de Paulo aos Efésios 1:13; vamos ver ali sobre o selo do Deus vivo.

Efésios 1:13: “13 em quem (em Cristo) também vós, (os gentios) depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados (com o que? qual é o selo com que Deus nos sela?) com o Santo Espírito da promessa;14 o qual é o penhor (a antecipação, Deus nos dá primeiro o Espírito, depois a herança completa) da nossa herança, ao resgate da sua propriedade”; a herança plena, a posse adquirida plenamente redimida, é a herança total, e o penhor, a antecipação, é o Espírito; isso, o Espírito é o selo do Deus vivo.

Então diz aqui em Apocalipse 7:2: “tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, aqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar, (é o que vai começar a acontecer com as sete trombetas, e logo vai se completar com as sete taças da ira. Aqui antes de que isso aconteça estamos no sexto selo, não ainda no sétimo; no sétimo é que se abrem as trombetas; agora no sexto está a preparação para que os selados com o selo do Deus vivo não sejam afetados pelo que acontece nas trombetas; então diz aqui que este anjo que tinha o selo do Deus vivo, clamou aos anjos) 3 dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, (esse dano vai acontecer nas trombetas) até selarmos na fronte os servos do nosso Deus”; pois o selo do Deus vivo se coloca na frente; sempre é na frente.

O SINAL SOBRE OS INOCENTES

Vamos ver o exemplo que vimos na vez passada em Ezequiel 9, mas que neste contexto vale a pena repeti-lo; ali vamos ver por que Deus faz estas coisas. Como o capítulo 9 é curto, vou ler rápido para ter o contexto geral de selar na frente: “1 Então, ouvi que gritava em alta voz, dizendo: Chegai-vos, vós executores da cidade, (o julgamento) cada um com a sua arma destruidora na mão.

2 Eis que vinham seis homens a caminho da porta superior, que olha para o norte, cada um com a sua arma esmagadora na mão, e entre eles, certo homem vestido de linho, com um estojo de escrevedor à cintura; entraram e se puseram junto ao altar de bronze. 3 A glória do Deus de Israel se levantou do querubim sobre o qual estava, indo até à entrada da casa; e o SENHOR clamou ao homem vestido de linho, que tinha o estojo de escrevedor à cintura, 4 e lhe disse: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal a testa dos homens que suspiram e gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela. 5 Aos outros disse, ouvindo eu: Passai pela cidade após ele; e, sem que os vossos olhos poupem e sem que vos compadeçais, matai; 6 matai a velhos, a moços e a virgens, a crianças e a mulheres, até exterminá-los; mas a todo homem que tiver o sinal não vos chegueis; começai pelo meu santuário”. O Senhor começa por sua própria casa, pelos infiéis de sua casa. Então vemos este mesmo princípio de Ezequiel 9 que aparece aqui em Apocalipse 7. antes de vir o julgamento, Deus toma um tempo para selar com o selo do Deus vivo, com o Espírito de Deus em sua fronte àqueles que têm que ser reservados, preservados no meio do julgamento. Para ser preservados no meio do julgamento se precisa ter o selo do Deus vivo.

O AMPARO DO SELO DE DEUS

Nos adiantemos um pouquinho a Apocalipse 9 e olhemos o que ordena a esses demônios como gafanhotos que sobem do abismo na quinta trombeta, que é o primeiro ai; no capítulo 9 do verso 3 em diante diz: “3 Também da fumaça saíram gafanhotos para a terra; e foi-lhes dado poder como o que têm os escorpiões da terra, 4 e foi-lhes dito (notem) que não causassem dano à erva da terra, nem a qualquer coisa verde, nem a árvore alguma e tão-somente aos homens que não têm o selo de Deus sobre a fronte” Isso significa que na tribulação onde estas trombetas estão soando e estes julgamentos se estão iniciando, haverá pessoas que têm o selo do Deus vivo e não lhes alcançará o mal; em troca aos que não o têm, a esses o mal lhes alcançará. Contínua dizendo no verso 5: “Foi-lhes também dado, não que os matassem, e sim que os atormentassem durante cinco meses. E o seu tormento era como tormento de escorpião quando fere alguém”.

Depois voltaremos sobre as trombetas, mas isto era para relacionar que os que tinham o selo do Deus vivo não eram atacados por estes espíritos malignos que saem do abismo, por estes gafanhotos diabólicos que aparecem aqui. Então esta frase aqui é importante: ter o selo de Deus na frente.

Agora, por que na fronte? O que representa a fronte? Notem que aqui se sela os 144.000; quando os 144.000 aparecem outra vez no capítulo 14, olhem o que têm em sua fronte: 14:1: “Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, tendo na fronte escrito o seu nome (do Cordeiro) e o nome de seu Pai”. Ter escrito na fronte o selo do Deus vivo, ter o nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ter a Trindade na fronte, são pessoas que pensam em Deus, que vivem para Deus, que julgam as coisas do ponto de vista de Deus. O mundo tem sua própria maneira de pensar; a Bíblia diz que o diabo entrevou o entendimento dos incrédulos para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo; ou seja que seu pensamento é completamente diferente ao de Deus; como diz Deus: como são tão altos os céus da terra, assim são meus pensamentos em relação a seus pensamentos; os pensamentos do homem são pensamentos totalmente loucos, totalmente fora de foco em relação ao que Deus tem pensado; mas diz São Paulo: nos escolhidos temos a mente de Cristo; ou seja, o nome do Cordeiro escrito na fronte, e o nome de nosso Pai, e do Espírito Santo; nossa mente é uma mente renovada, é uma mente que pensa conforme Deus pensa e não conforme a mente caída, a ignorância do homem natural; precisamos ter o selo de Deus na fronte, quer dizer, ser pessoas iluminadas, com o entendimento iluminado pelo Espírito Santo a respeito de Cristo, a respeito de Deus, sobre o plano de Deus. Em contraste, os do anticristo têm a marca da besta em suas frontes ou em suas mãos direitas.

O SELO DOS SERVOS DE DEUS

Seguimos em Apocalipse 7:3: “3 Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus.
4 Então, ouvi o número dos que foram selados, que era cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel”. Do 5 aos 8 aparecem mencionadas estas tribos em uma ordem específica. A palavra “selados” somente aparece em relação a Judá e em relação a Benjamim na crítica textual, no texto grego; aqui o tradutor, para igualar, acrescentou a outros, mas a palavra “selados” somente aparece em Judá e em Benjamim.

“5 da tribo de Judá foram selados doze mil; da tribo de Rúben, doze mil; da tribo de Gade, doze mil;6 da tribo de Aser, doze mil; da tribo de Naftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil; 7 da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil; 8 da tribo de Zebulom, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim foram selados doze mil”.

Interessante que aparece primeiro Judá; mas quem foi primogênito era Rúben, mas vocês recordam que Rúben subiu ao leito de seu pai e se deitou com sua madrasta, a concubina de seu pai, e por isso perdeu a primogenitura, e por isso não aparece em primeiro lugar. Quem recebeu a primogenitura em lugar de Rúben foi Judá, e o que recebeu a dupla porção em lugar do Rúben, que era o primogênito, foi José; e o que recebeu o sacerdócio em lugar do Rúben, foi Leví. O primogênito tinha o direito ao reino, ao sacerdócio e a dupla porção. Como Rúben a perdeu, o reino passou ao Judá, o sacerdócio ao Leví e a dupla porção a José. Então aqui aparece em primeiro lugar: Judá, porque é o leão da tribo de Judá; logo aparece Rúben que é o primogênito de Lia, e aparece Gade que é o primogênito de Zilpa a sirva de Lia; logo Aser o segundo de Zilpa; logo aparece Naftali que é o segundo da Bila a serva de Raquel. Não aparece Dã, Dã é o primeiro da Zilpa e Aser é o segundo; aqui Naftali é o segundo, mas não aparece Dã; entre estas tribos não aparece Dã.

É curioso, vamos ver as razões. Logo aparece Manassés, que é o primogênito de José, que o assumiu Jacó como filho dele; logo aparece Simeão a segunda de Lia; Leví a terceira de Lia, Isacar a quinta de Lia, porque Judá é o quarto, Zebulom o sexto de Lia, José o primeiro de Raquel, e Benjamim o segundo de Raquel. Não aparece Dã e em vez de aparecer Efraim ao mesmo tempo com Manassés, aparece José. Há umas razões aqui pelas quais Deus tira Dã, e não aparece Efraim.

Vamos ver essas razões porque é muito importante; vamos ao Deuteronômio 29:18 e seguintes: “18 para que, entre vós, não haja homem, nem mulher, nem família, nem tribo cujo coração, hoje, se desvie do SENHOR, nosso Deus, e vá servir aos deuses destas nações; para que não haja entre vós raiz que produza erva venenosa e amarga, 19 ninguém que, ouvindo as palavras desta maldição, se abençoe no seu íntimo, dizendo: Terei paz, ainda que ande na perversidade do meu coração, para acrescentar à sede a bebedice. 20 O SENHOR não lhe quererá perdoar; antes, fumegará a ira do SENHOR e o seu zelo sobre tal homem, e toda maldição escrita neste livro jazerá sobre ele; e o SENHOR lhe apagará o nome de debaixo do céu”.

NÃO APARECEM NEM EFRAIM NEM DÃ

Todo homem, ou mulher, ou família, ou tribo que se separar do Senhor para os ídolos, O Senhor apagará seu nome de debaixo do céu; não diz nos céus, não diz no reino dos céus, não diz no Milênio, não diz na Nova Jerusalém, mas diz debaixo do céu; ou seja, enquanto estamos ainda neste regime. Agora, isso foi o que precisamente fez Dã. Vamos ver isso em 1 Reis 12:25 em diante; ali onde aparece a história de Jeroboão I. Olhem como às vezes as pessoas, por estar cegas por interesses naturais, não discernem que estão ultrapassando uma delicada linha espiritual. Às vezes o Senhor não quer que cometamos enganos, que não sejamos atrevidos, mas nossos interesses naturais, a agitação de nossa alma natural, oculta-nos que estamos cruzando uma linha delicada; e olhem o que passou aqui. 1 Reis 12:25: “25 Jeroboão edificou Siquém, na região montanhosa de Efraim, e passou a residir ali; dali edificou Penuel.26 Disse Jeroboão consigo: Agora, tornará o reino para a casa de Davi. 27 Se este povo subir para fazer sacrifícios na Casa do SENHOR, em Jerusalém”. Como quem diz: eu não vou permitir que a gente vá lá a Jerusalém, porque vão seguir ao Roboão e não a mim; eu tenho interesse que o povo fique comigo e não com aquele outro; então se preparou uma cilada, e diz aqui:

“27 Se este povo subir para fazer sacrifícios na Casa do SENHOR, em Jerusalém, o coração dele se tornará a seu senhor, a Roboão, rei de Judá; e me matarão e tornarão a ele, ao rei de Judá. 28 Pelo que o rei, tendo tomado conselhos (olhem o conselho que houve em Efraim) fez dois bezerros de ouro, (ou seja, seus interesses pessoais à frente de Deus) e disse ao povo: Basta de subirdes a Jerusalém; vês aqui teus deuses, ó Israel, que te fizeram subir da terra do Egito!29 Pôs um em Betel e o outro, em Dã”.

As pessoas em Betel não caíram na mentira, mas os de Dã sim caíram no conto de Jeroboão; então diz: “30 E isso se tornou em pecado, pois que o povo ia até Dã, cada um para adorar (não os de Betel, mas sim o de Dã) o bezerro”. O povo de Dã começou a adorar outra vez o bezerro de ouro pela armadilha que Jeroboão I lhes fez para que o povo não fosse outra vez a Jerusalém com o Roboão. Isso fez que essa maldição, que estava em Deuteronômio 29, onde estão as bênçãos e as maldições e o pacto, caísse sobre a tribo de Dã, e foi apagada. Por isso, quando você os vê aqui em Apocalipse 7 as tribos de Israel, em vão procura a tribo de Dã; não aparece, foi apagada.

DÃ NA PROFECIA DE JACÓ

Olhem o que dizia a profecia de Jacó em Gêneses 49 a respeito de Dã; está nada menos que associado com a serpente. Lemos a profecia de Jacó em Gêneses 49:16: “16 Dã julgará o seu povo, como uma das tribos de Israel.. (uma das tribos do Israel, que é Dã, será julgada) 17 Dã será serpente junto ao caminho, uma víbora junto à vereda, que morde os talões do cavalo e faz cair o seu cavaleiro por detrás”. Notem, isso é o que se profetiza de Dã. No escudo da tribo de Dã havia uma serpente. Agora, sabemos a quem representa a serpente. Então aqui não aparece Dã entre os 144.000 escolhidos das tribos de Israel, no contexto do sexto selo da grande tribulação; já depois, no Milênio, quando vem a distribuição da terra segundo a profecia em Ezequiel 48, aí sim aparece outra vez Dã, mas aparece lá bem longe. Se você olhar a distribuição da terra, que está mais longe é Dã. Isso está em Ezequiel capítulo 48. Se vocês o querem olhar um minutinho comigo; diz Ezequiel 48:1: “1 São estes os nomes das tribos: desde a parte extrema do norte, via Hetlom, até à entrada de Hamate, até Hazar-Enom, o limite norte de Damasco até junto de Hamate e desde o lado oriental até ao ocidente, Dã terá uma porção”. É a franja de Dã no Milênio; porque isto de Ezequiel 48 é no Milênio. Sim aparece; os que aparecem mais perto ao tabernáculo são os filhos de Sadoque; os que aparecem mais longe, os filhos de Dã. Graças a Deus que essa promessa era debaixo do céu, mas no reino dos céus, em que o Milênio é uma parte, volta a aparecer Dã, mas no extremo norte.

O CASO DE EFRAIM NA PROFECIA

Voltemos para Apocalipse 7 de novo; agora vemos que em vez de Dã, José teve duas partes e essas duas partes, uma era Manassés e outra era Efraim, mas aqui não aparece Efraim, e em seu lugar aparece José mesmo. Se vocês querem saber porquê não aparece Efrain, vamos a Oséias 4:17; ali nos diz a razão de por que não aparece Efraim. “Efraim está entregue aos ídolos; é deixá-lo”. Então tampouco aparece Efraim; é deixado por essa razão. Então, qual é este José que aparece em lugar de Efraim? Vamos a Gêneses, onde está a razão pela que aparece José em vez do Efraim; então ali quando Jacó, que é o Israel, abençoa aos filhos de José, ali Jacó toma para si a Manassés e a Efraim. Vamos ver isso na bênção dos filhos do José por parte de Jacó.

Gêneses 48:1: “1 Passadas estas coisas, disseram a José: Teu pai está enfermo. Então, José tomou consigo a seus dois filhos, Manassés e Efraim”. Ele tomou consigo a seus dois filhos, Manassés e Efraim; eram filhos de José. “2 E avisaram a Jacó: Eis que José, teu filho, vem ter contigo. Esforçou-se Israel e se assentou no leito.3 Disse Jacó a José: O Deus Todo-Poderoso me apareceu em Luz (essa é Betel) na terra de Canaã, e me abençoou,
4 e me disse: Eis que te farei fecundo, e te multiplicarei, e te tornarei multidão de povos, e à tua descendência darei esta terra em possessão perpétua. 5 Agora, pois, os teus dois filhos, que te nasceram na terra do Egito, antes que eu viesse a ti no Egito, são meus; Efraim e Manassés serão meus, como Rúben e Simeão”. Isto não incluía os filhos que José teve depois de ter tido ao Efraim e ao Manassés. Então por isso aparece José entre as tribos de Apocalipse 7. É como se houvesse dito: José, como Manassés e Efraim são meus, sua tribo serão os que você gerar, mas depois de que eu vim para cá; os que gerou antes de que eu viesse: Efraim e Manassés, são como se fossem meus; agora, os teus serão os que você gerar daqui em diante. Bom, José gerou filhos, e por isso aparece aqui a tribo do José, mas não aparece a tribo de Efraim. “6 Mas a tua descendência, que gerarás depois deles, será tua”. Essa é, pois, a tribo do José, separa-se do Manassés e Efraim, que aparece em Apocalipse 7:8.

OS SELADOS DAS DEMAIS NAÇÕES

Voltemos para Apocalipse 7:9: “Depois destas coisas, vi”. Graças a Deus, não é uma só parte; aqui se vê que Deus separou 144.000, mas esses 144.000 são das tribos do Israel. Mas, Senhor, somente selará com o selo do Deus vivo a Israelitas? Não, também terei outros; e aqui vêm os das outras tribos, povos, línguas e nações, descritos em 7:9-12. A mesma seqüência aparece no 14, onde aparecem os 144.000, em Apocalipse 14:1-5; e logo aparece no verso 6: “Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo”. Deus tem um primogênito. Deus disse que Israel era seu primogênito; Deus prometeu que teria um povo israelita, não só gentio. Há alguns irmãos que pensaram que uma vez que o Israel recusou ao Senhor, foi absolutamente abandonado e que Deus se voltou totalmente para os gentios; que Israel já não tem nada que ver, mas São Paulo diz que não é assim, porque São Paulo conhecia as profecias.

RESTAURAÇÃO DE ISRAEL

Vejamos, por exemplo, duas profecias em Ezequiel 36 e 37, para que nos demos conta de que Deus tem pensado, depois de pulverizar e castigar a Israel por todas as nações, retrocedê-lo a sua terra; tem Deus pensado neles; isso está aqui em Ezequiel 36 e 37; ali fala da restauração futura de Israel: diz ali: “1 E tu, ó filho do homem, profetiza aos montes de Israel e dize: Montes de Israel, ouvi a palavra do SENHOR. 2 Assim diz o Senhor JEOVÁ: Pois que diz o inimigo sobre vós: Ah! Ah! Até as eternas alturas serão nossa herança; 3 portanto, profetiza e dize: Assim diz o Senhor JEOVÁ: Visto que vos assolaram e devoraram em redor, para que ficásseis feitos herança do resto das nações, e andais em lábios paroleiros e na infâmia do povo, (não acontece assim com os judeus?) 4 portanto, ouvi, ó montes de Israel, a palavra do Senhor JEOVÁ: Assim diz o Senhor JEOVÁ aos montes e aos outeiros, às correntes e aos vales, aos lugares assolados e solitários e às cidades desamparadas, que se tornaram rapina e escárnio para o resto das nações que estão ao redor delas. 5 Portanto, assim diz o Senhor JEOVÁ: Certamente, no fogo do meu zelo, falei contra o resto das nações e contra todo o Edom. Eles se apropriaram da minha terra, com alegria de todo o coração e com menosprezo de alma, para ser lançada à rapina. 6 Portanto, profetiza sobre a terra de Israel e dize aos montes, e aos outeiros, e às correntes, e aos vales: Assim diz o Senhor JEOVÁ: Eis que falei no meu zelo e no meu furor, porque levastes sobre vós o opróbrio dos gentios”. Não foi assim com Israel? Pogrom por aqui, pogrom por lá; os nazistas queimando judeus nos campos de concentração? “7 Portanto, assim diz o Senhor JEOVÁ: Eu levantei a mão, para que os gentios que estão ao redor de vós levem o seu opróbrio sobre si mesmos”. Não o estão levando agora quando vemos as notícias? “8 Mas vós, ó montes de Israel, vós produzireis os vossos ramos e dareis o vosso fruto para o meu povo de Israel; porque estão prestes a vir”. No tempo de Ezequiel era quando estavam sendo expulsos por Nabucodonosor, mas agora diz: vão voltar, vão retornar; por isso, irmãos, o que acontece em Israel é o relógio de Deus, a profecia cumprindo-se.

OS ÍDOLOS POLUEM A TERRA

E segue dizendo: “Porque eis que eu estou convosco; e eu me voltarei para vós, e sereis lavrados e semeados.10 E multiplicarei homens sobre vós, a toda a casa de Israel, sim, a toda ela; e as cidades serão habitadas, e os lugares devastados serão edificados”. Não foi assim com o Israel? “11 E multiplicarei homens e animais sobre vós; e eles se multiplicarão e frutificarão; e vos farei habitar como dantes e farei vosso estado melhor que nos vossos princípios; (Deus vai fazer algo grande com o Israel, por isso há 144.000 selados das doze tribos de Israel, assim com esse acerto que teve que fazer Deus) e sabereis que eu sou o SENHOR.12 E farei andar sobre vós os homens, o meu povo de Israel; eles te possuirão, e serás a sua herança e nunca mais os desfilharás. 13 Assim diz o Senhor JEOVÁ: Visto como vos dizem:: (olhem o que dizem dos judeus) Tu és uma terra que devora os homens e és uma terra que desfilha os seus povos;
14 por isso, tu não devorarás mais os homens, nem desfilharás mais os teus povos, diz o Senhor JEOVÁ. 15 E farei que nunca mais se ouça em ti a afronta dos gentios; e não levarás mais sobre ti o opróbrio das nações, nem mais desfilharás a tua nação, diz o Senhor JEOVÁ. 16 E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: 17 Filho do homem, quando a casa de Israel habitava na sua terra, então, a contaminaram com os seus caminhos e com as suas ações; como a imundícia de uma mulher em sua separação, tal era o seu caminho perante o meu rosto. 18 Derramei, pois, o meu furor sobre eles, por causa do sangue que derramaram sobre a terra e dos seus ídolos com que a contaminaram”.

O SENHOR MESMO REUNIRÁ A ISRAEL

Não foi assim a história de Israel? “20 E, chegando às nações para onde foram, profanaram o meu santo nome, pois se dizia deles: Estes são o povo do SENHOR e saíram da sua terra.21 Mas eu os poupei por amor do meu santo nome, que a casa de Israel profanou entre as nações para onde foi.
22 Dize, portanto, à casa de Israel: Assim diz o Senhor JEOVÁ: Não é por vosso respeito que eu faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que profanaste entre as nações para onde vós fostes.23 E eu santificarei o meu grande nome, que foi profanado entre as nações, o qual profanastes no meio delas; e as nações saberão que eu sou o SENHOR, diz o Senhor JEOVÁ, quando eu for santificado aos seus olhos”. Já não os trouxe Deus para sua terra? Em 1948 se criou outra vez o Israel; em 1967 tomaram Jerusalém; em 1980 declararam Jerusalém capital eterna de Israel, e agora já estão preparando o terceiro templo para reconstruí-lo. Quantos milhares de anos e isso não acontecia! mas isto é sinal de que um pouco muito próximo está por acontecer.

“24 E vos tomarei dentre as nações, e vos congregarei de todos os países, e vos trarei para a vossa terra”. Aí está isso completo claramente.

“25 Então, espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. 26 E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne. 27 E porei dentro de vós o meu espírito e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis. 28 E habitareis na terra que eu dei a vossos pais, e vós me sereis por povo, e eu vos serei por Deus. 29 E vos livrarei de todas as vossas imundícias; e chamarei o trigo, e o multiplicarei, e não trarei fome sobre vós. 30 E multiplicarei o fruto das árvores e a novidade do campo, para que nunca mais recebais o opróbrio da fome entre as nações. 31 Então, vos lembrareis dos vossos maus caminhos e dos vossos feitos, que não foram bons; e tereis nojo em vós mesmos das vossas maldades e das vossas abominações. 32 Não é por amor de vós que eu faço isso, diz o Senhor JEOVÁ; notório vos seja: envergonhai-vos e confundi-vos pelos vossos caminhos, ó casa de Israel. 33 Assim diz o Senhor JEOVÁ: No dia em que eu vos purificar de todas as vossas maldades, então, farei com que sejam habitadas as cidades e sejam edificados os lugares devastados. 34 E a terra assolada se lavrará, em vez de estar assolada aos olhos de todos os que passam”. Não está acontecendo isso já? “35 E dirão: Esta terra assolada (assim dizemos ainda hoje) ficou como jardim do Éden; e as cidades solitárias, e assoladas, e destruídas estão fortalecidas e habitadas. 36 Então, saberão as nações que ficarem de resto em redor de vós que eu, o SENHOR, tenho reedificado as cidades destruídas e plantado o que estava devastado; eu, o SENHOR, o disse e o farei.”. Já o fez. “37 Assim diz o Senhor JEOVÁ: Ainda por isso me pedirá a casa de Israel, que lho faça: multiplicar-lhes-ei os homens, como a um rebanho.38 Como o rebanho santificado, como o rebanho de Jerusalém nas suas solenidades, assim as cidades desertas se encherão de famílias; e saberão que eu sou o SENHOR”.

Logo contínua o capítulo 37 com o vale dos ossos secos, comparando a Israel com ossos secos pulverizados, e Deus diz que os juntará e os trará de novo a sua terra. Irmãos, isto o tinha presente Paulo quando escreveu o capítulo 11 de Romanos; isto é necessário o ter claro porque isto é o que explica estes 144.000 selados das tribos de Israel como primícias do Senhor, separados, porque ele tinha prometido isso com o Israel.

O REMANESCENTE

Então vamos ler Romanos 11, embora seja rapidamente, para entender este assunto. “1 Pergunto, pois: terá Deus, porventura, rejeitado o seu povo? (Isso é o que dizem alguns, não!) De modo nenhum!.

Porque eu também sou israelita, (não me desprezou Deus) da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim.2 Deus não rejeitou o seu povo, (aqui se refere ao Israel) a quem de antemão conheceu. Ou não sabeis o que a Escritura refere a respeito de Elias, como insta perante Deus contra Israel, dizendo:3 Senhor, mataram os teus profetas, arrasaram os teus altares, e só eu fiquei, e procuram tirar-me a vida.4 Que lhe disse, porém, a resposta divina? Reservei para mim sete mil homens, (no tempo do Elias se reservou sete mil; para a grande tribulação se reserva 144.000) que não dobraram os joelhos diante de Baal.
5 Assim, pois, também agora, no tempo de hoje (quer dizer, inclusive em tempo de Paulo ficou um remanescente escolhido por graça; Paulo era judeu, os apóstolos eram judeus, até hoje há judeus cristãos; não é a maioria mas há um remanescente) sobrevive um remanescente segundo a eleição da graça. 6 E, se é pela graça, já não é pelas obras; (Paulo tinha claro, o de “não o faço por vós, mas sim por meu santo nome, diz o Senhor”), do contrário, a graça já não é graça.
7 Que diremos, pois? O que Israel busca, isso não conseguiu; mas a eleição o alcançou; e os mais foram endurecidos, 8 como está escrito: Deus lhes deu espírito de entorpecimento, olhos para não ver e ouvidos para não ouvir, até ao dia de hoje. 9 E diz Davi: Torne-se-lhes a mesa em laço e armadilha, em tropeço e punição; 10 escureçam-se-lhes os olhos, para que não vejam, e fiquem para sempre encurvadas as suas costas”. Não foi isso com os que recusaram a Cristo? Mas será isso para sempre? O endurecimento de Israel é eterno? Não, é parcial e é a favor dos gentios. Por isso diz: “11 Pergunto, pois: porventura, tropeçaram para que caíssem? De modo nenhum! Mas, pela sua transgressão, veio a salvação aos gentios, para pô-los em ciúmes.12 Ora, se a transgressão deles redundou em riqueza para o mundo, e o seu abatimento, em riqueza para os gentios, quanto mais a sua plenitude!” Notem, Paulo fala pelo Espírito Santo da plena restauração de Israel. “13Dirijo-me a vós outros, que sois gentios! Visto, pois, que eu sou apóstolo dos gentios, glorifico o meu ministério, 14 para ver se, de algum modo, posso incitar à emulação os do meu povo e salvar alguns deles. 15 Porque, se o fato de terem sido eles rejeitados (quando foram pulverizados) trouxe reconciliação ao mundo, que será o seu restabelecimento, senão vida dentre os mortos?” Quando eles forem readmitidos, chega a ressurreição.
“16 E, se forem santas as primícias, (que eram eles) da massa, igualmente o será a sua totalidade; (o remanescente que virá depois) se for santa a raiz, também os ramos o serão.17 Se, porém, alguns dos ramos (não todos) foram quebrados, e tu, sendo oliveira brava, foste enxertado em meio deles e te tornaste participante da raiz e da seiva da oliveira,18 não te glories contra os ramos (há muito anti-semitismo hoje na cristandade) porém, se te gloriares, sabe que não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz, a ti.19 Dirás, pois: Alguns ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado.20 Bem! Pela sua incredulidade, foram quebrados; tu, porém, mediante a fé, estás firme. Não te ensoberbeças, mas teme.21 Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, também não te poupará.22 Considerai, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas, para contigo, a bondade de Deus, se nela permaneceres; doutra sorte, também tu serás cortado.23 Eles também, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; pois Deus é poderoso para os enxertar de novo. 24 Pois, se foste cortado da que, por natureza, era oliveira brava e, contra a natureza, enxertado em boa oliveira, quanto mais não serão enxertados na sua própria oliveira aqueles que são ramos naturais! 25 Porque não quero, irmãos, que ignoreis este mistério (para que não sejais presumidos em vós mesmos): que veio endurecimento em parte a Israel, até que haja entrado a plenitude dos gentios. 26 E, assim (endurecimento em parte até que tenha entrado a plenitude de vos gentios, e logo todo o Israel será salvo; não diz todo Israelita. Se um israelita não acreditar em Cristo, perde-se; mas o Israel como nação, a totalidade das tribos, os 12.000 selados de cada tribo, os 144.000 que estamos vendo em Apocalipse 7, são este o Israel salvo) todo o Israel será salvo, como está escrito: Virá de Sião o Libertador e ele apartará de Jacó as impiedades.27 Esta é a minha aliança com eles, quando eu tirar os seus pecados.28 Quanto ao evangelho, (por agora) são eles inimigos por vossa causa; (eles não querem aos cristãos, não aceitam a Jesus como o Messias) quanto, porém, à eleição, amados por causa dos patriarcas”.

A RAZÃO DO REMANESCENTE

Deus ama aos patriarcas: Abraão, Isaque e Jacó, e por causa deles, embora agora recusem ao evangelho são amados, e por isso, porque são amados, reservou-lhes nação. Não que cada israelita seja salvo, mas sim a linhagem de Israel se manterá em pé até que uma nação israelita das 12 tribos, 12.000 de cada tribo, esteja em pé com o Messias. Então por isso diz: “29 porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis.30 Porque assim como vós também, outrora, fostes desobedientes a Deus, mas, agora, alcançastes misericórdia, à vista da desobediência deles,31 assim também estes, agora, foram desobedientes, para que, igualmente, eles alcancem misericórdia, à vista da que vos foi concedida”. Notem, pois, que fala da admissão de Israel e da misericórdia que será alcançada para o Israel. Por isso há 144.000 selados das doze tribos do Israel.

“32 Porque Deus a todos encerrou na desobediência, a fim de usar de misericórdia para com todos.33 Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!”

Então por isso há 144.000, porque Deus fez uma promessa; a quem? A Abraão, à descendência de Abraão e à terra.

Então, claro, a descendência de Abraão é Cristo; nós entramos em Cristo e herdamos com Cristo; mas e a respeito da descendência de Abraão mesmo e a respeito da terra? Não se cumpriria? Diz que Deus reservou um remanescente por graça; por isso aparecem 144.000 selados.

FRENTE A OUTRAS INTERPRETAÇÕES

Vamos ler destes, pelo menos para associá-los, no capítulo 14 de Apocalipse. Há irmãos, inclusive muito respeitados por mim, como o mesmo irmão Watchman Nee, como Christian Chen, como Witness Lee, que interpretam estes 144.000 como outros. Eu não me atrevo a interpretá-lo assim pelo seguinte: Há um princípio de hermenêutica, que não se pode fazer doutrina de um só versículo, mas sim tem que haver pelo menos outros versículos paralelos; portanto estes 144.000 de Apocalipse 7 têm que ser confirmados com os de Apocalipse 14; se não, ficariam soltos uns e soltos outros.

Para identificar as características destes 144.000, leiamos Apocalipse 14:1-5: “1Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, (por isso aparecem das tribos de Israel, porque estão relacionadas com o monte de Sião) e com ele cento e quarenta e quatro mil, que tinham o nome dele e o de seu Pai escrito em suas fronte são cristãos, são israelitas cristãos especiais, é um remanescente especial que pelo zelo de Deus, Ele o reservou; não por obras; não o faço por vós, mas sim por meu nome, diz o Senhor.

“2Ouvi uma voz do céu como voz de muitas águas, como voz de grande trovão; também a voz que ouvi era como de harpistas quando tangem a sua harpa”. Este verso 2 fala de um coro celestial, um coro tremendo; parece como da voz mesma de Deus, mas ninguém podia aprender esse coro celestial, a não ser só os 144.000. “3Entoavam novo cântico (quer dizer que a economia de Deus vai se desenvolvendo; primeiro se cantavam umas coisas, mas logo Deus revelou outras coisas, entrou-se em uma nova etapa, então se canta um cântico novo; porque agora há novas coisas reveladas, e se entra em uma nova etapa na economia divina) diante do trono, diante dos quatro seres viventes e dos anciãos. E ninguém pôde aprender o cântico (o cântico da voz celestial, o trovão, dos harpistas, ninguém o podia aprender) senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra”. Só estes cento e quarenta e quatro mil puderam estar em sintonia com o coro celestial. Algo maravilhoso! Antes eu não me tinha fixado, e pensava que esse cântico o cantavam só eles, não; cantava-o o coro celestial e só eles aprendiam. “4 São estes os que não se macularam com mulheres, porque são castos. (Jesus disse que nem a todos foi dado o dom do celibato, a não ser a quem foi dado pelo Senhor; Deus a uns dá o dom da continência e a outros dá o dom da sexualidade; todos são dons de Deus, mas estes cento e quarenta e quatro mil são virgens) São eles os seguidores do Cordeiro por onde quer que vá.

São os que foram redimidos dentre os homens, primícias para Deus e para o Cordeiro; (Deus estabeleceu a Israel como primogênito, e aqui na culminação do plano de Deus, estes cento e quarenta e quatro mil são as primícias que são o primogênito) 5 e não se achou mentira na sua boca, (o que primeiro se disse do Cordeiro, agora se diz deles) não têm mácula”. Notem essa palavra: diante do trono. Quem poderá estar em pé? Os cento e quarenta e quatro mil diante do trono de Deus. Mas agora, Deus também tem lugar para outros, de outras nações, de outras tribos. Por isso no verso 6 diz: “6 Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo” Isso significa que Deus também trabalha com as nações, com as outras etnias.

OS SANTOS QUE VIERAM DA GRANDE TRIBULAÇÃO

Devido a isso, em Apocalipse 7 a partir do versículo 9 aparecem os Santos provenientes de outras etnias; ou seja que Deus não diz que são somente os israelitas, não; estes cento e quarenta e quatro mil israelitas têm um lugar especialíssimo, mas também outros têm lugar diante de Deus. Quem poderá sustentar-se diante do Senhor? Também estes; olhem como o diz aqui no capítulo 7:9 e seguintes: “9 Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas (esta palavra “nações” é etnias) em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos 10 e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação (esta frase “a nosso Deus” é uma palavra para esclarecer) Todos os anjos estavam de pé rodeando o trono, os anciãos e os quatro seres viventes, e ante o trono se prostraram sobre o seu rosto, e adoraram a Deus,12 dizendo: Amém!. (diziam “Amém” ao que estas nações diziam a Deus) O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graças, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém!”. Uns poucos manuscritos não têm este segundo “Amém” do verso, mas a maioria e os mais antigos o têm; melhor o deixamos. “13 Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: (não era que ele não soubesse, mas era para revelar algo) Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram?” Porque João era também judeu; era a segunda vez que um dos anciãos lhe falava. “14 Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. (Pois primeiro lhe disse: Não chore, por que choras? e agora volta e lhe fala outro destes anciões) Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, (quer dizer, estiveram dentro, ou se não, como vão sair? quer dizer, há uma grande multidão que estará na tribulação) lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro”. Lembrem-se de que este é o contexto no sexto selo: a grande tribulação. “15 razão (porque lavaram suas roupas) por que se acham diante do trono de Deus, (alguns dizem que não, que na tribulação se salvam é com seu próprio sangue, com sua própria cabeça; mas ninguém se salva por sua própria cabeça, nos salvamos pelo sangue do Cordeiro, não pela nossa própria) e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo”. por que o estenderá? Porque é que antes continha aos anteriores, mas faltavam os da tribulação; então agora tem que estendê-lo para que estes da grande tribulação também fiquem cobertos por seu tabernáculo. “estenderá sobre eles o seu tabernáculo. 16 Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum,17 pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima”.

Então, como se responde essa pergunta? E quem poderá sustentar-se em pé? responde-se com Apocalipse 7; cento e quarenta e quatro mil selados das tribos de Israel; inumerável quantidade de pessoas que lavarão suas roupas no sangue do Cordeiro sairão da grande tribulação para estar diante do Senhor, e Ele estenderá seu tabernáculo que tinha chegado até um ponto; agora o estenderá para abrangê-los também a eles; porque isto é no contexto da grande tribulação, porque o sexto selo era a grande tribulação, e a pergunta era: Quem podia sustentar-se em pé quando Ele viesse? E agora vemos estes de Israel e das demais nações, pelo Cordeiro, por Ele, ser tidos por dignos de estar em pé diante do Filho do Homem. Vamos dar graças ao Senhor e vamos parar aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário