segunda-feira, 19 de outubro de 2009

35. A Abertura do Sétimo Selo

Aproximação ao Apocalipse ( 35)

A ABERTURA DO SÉTIMO SELO



“Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo, houve silêncio no céu cerca de meia hora”. Apocalipse 8:1.

ALISTAM-SE AS SETE TROMBETAS

Irmãos, estamos no livro de Apocalipse; o livro que aquele que ler, ouvir e guardar é uma grande bem-aventurança. Estamos chegando ao capítulo 8. Vamos ler do verso 1 aos 6, essa é a porção sobre a qual queríamos meditar nesta noite. Trata-se da abertura do sétimo selo. Vou fazer a primeira leitura com uns mínimos comentários de crítica textual que realmente não os necessita a não ser o primeiro verso, comparando-a com esta tradução que estou lendo, que é a Reina Valera de 1960. “1 Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo, houve silêncio no céu cerca de meia hora”. A palavra “e” que falta nesta tradução, “kai” no grego, é uma conjunção, não aparece aqui; aparece “quando”; realmente diz: “e enquanto”; a palavra “quando” é ote, a palavra “enquanto” é otan. A palavra que aparece nos manuscritos mais antigos, na maioria deles, é a palavra otan; mas como em outras ocasiões, quando se abriam os selos, aparecia a palavra ote, parece que alguns escribas copistas de alguns manuscritos trocaram a palavra otan por ote; ou seja que tem manuscritos que dizem otan e tem manuscritos que dizem ote; a palavra otan significa enquanto; a palavra ote significa quando. Esse é somente o pequeno detalhe de crítica textual; o resto todo concorda com o grego. “E enquanto” ou “quando”. Como na vez passada havia dito “quando”, também esta vez disseram: “quando”, mas é “enquanto”, porque neste caso “enquanto” tem mais sentido que “quando”. Então diz:

“Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo, houve silêncio no céu cerca de meia hora.
2 Então, vi os sete anjos que se acham em pé diante de Deus, e lhes foram dadas sete trombetas.3 Veio outro anjo e ficou de pé junto ao altar, com um incensário de ouro, e foi-lhe dado muito incenso para oferecê-lo com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que se acha diante do trono;4 e da mão do anjo subiu à presença de Deus a fumaça do incenso, com as orações dos santos.5 E o anjo tomou o incensário, encheu-o do fogo do altar e o atirou à terra. E houve trovões, vozes, relâmpagos e terremoto.
6 Então, os sete anjos que tinham as sete trombetas prepararam-se para tocar”.

Por hoje vamos estar considerando esta passagem; Deus nos guiando depois, vamos considerar as próprias trombetas, mas agora é necessário compreender aqui algumas coisas. Esta passagem é muito importante: a palavra “e” inicial, “kai”, “E enquanto abriu o sétimo selo,” esse “e” mostra a continuidade com os selos anteriores; é como dizer já houve o primeiro, o segundo, o terceiro, o quarto, o quinto, o sexto aberto e continua e termina com o sétimo selo; não há a não ser sete selos; estes sete selos são os que terminam o programa de Deus para conquistar o reino, para estabelecer a seu Filho como rei, e o Filho dar ao Pai outra vez o reino.

TRANSFUNDO PANORÂMICO

Quando o Filho morreu, ressuscitou, ascendeu, diz-se que subiu em uma nuvem à destra daquele que estava sentado no trono, e foi dado um cilindro com sete selos. Recordemos que a ascensão do Senhor é para sentar-se à mão direita do Pai, para Deus pôr todas as coisas debaixo dos pés de seu Filho, pôr todas as coisas sob as escabelo de seus pés. Então o que Deus está fazendo com a abertura dos selos é pôr todas as coisas debaixo de seus pés.

Quando o Cordeiro vai abrindo os selos, as coisas vão acontecendo, e acontecem para que tudo seja submetido aos pés do Senhor Jesus. O propósito de abrir os selos é que tudo lhe seja submetido; então começa esse primeiro selo, aquele cavalo branco; porque primeiro Deus envia o evangelho para que as pessoas se salvem, mas por causa de que o recusaram então vem a guerra, vem a fome, vem a peste, a morte, e o Hades que lhe segue. Todas estas coisas acontecem por causa de que os homens não recebem ao Senhor. Então se não receberem pelas boas o governo do Senhor, pois o Senhor tem que começar a apertar as porcas. Aqui no quarto selo o Senhor permite que a quarta parte da terra seja ferida, mas agora as coisas não trouxeram às pessoas ao domínio do Senhor. O Senhor tem autoridade, e nós que o recebemos nos submetemos voluntariamente a Ele, mas outros não querem submeter-se. O que disse o Senhor? Que os que não quiseram submeter-se a Ele, então terão que ser submetidos à força. Agora a partir do sétimo selo, que é o último selo, culmina-se todo o trabalho de Deus para submeter todas as coisas sob escabelo dos pés de seu Filho. Este sétimo selo, como vocês acabam de ver, com a letra “e” do verso 1, inclui o toque das trombetas.

SILÊNCIO NO CÉU

“E enquanto abriu o sétimo selo, fez-se silêncio no céu como por meia hora”. Quer dizer que antes de que o Cordeiro abrisse o sétimo selo não havia silencio no céu, havia adoração, havia louvores; mas quando abriu o sétimo selo, aí houve um silêncio; este silêncio nos fala de uma tremenda solenidade no céu. Algo aconteceu no céu que os quatro serafins, aqueles seres viventes que estavam dizendo constantemente: Santo, Santo, Santo é o Senhor, inclusive eles se calaram; os vinte e quatro anciões se calaram, os milhares de anjos se calaram, todas as criaturas no céu que adoravam a Deus se calaram; quer dizer que eles perceberam algo que ia começar a acontecer, diferente do que até aí tinha acontecido. O Senhor disse uma vez: “Já há muito que guardo silêncio, que me conservo quieto, e que me retenho; agora darei gritos como a que está de parto, abrirei a boca e ficarei esbaforido a um mesmo tempo”. Ou seja que neste momento o que tinha sido o tempo de normalidade se acaba, e começa a ser introduzido o dia do Senhor, começam a ser soadas as trombetas, que são as que introduzem a grande tribulação, começam a introduzir o julgamento.

SILÊNCIO ANTES DO JULGAMENTO

Até aqui Deus tinha esperado e esperado e esperado e calado, mas agora vai começar a gritar como mulher que está de parto; por isso no céu a gente se cala, até os serafins, os vinte e quatro anciões, os anjos, os arcanjos, tronos, principados, potestades, calaram-se, deram-se conta de que agora Deus ia fazer algo. Este é o sétimo selo, é o último; aqui é quando Deus começa a pôr todas as coisas sob os pés de seu Filho, Deus introduz o julgamento. Isto desta meia hora de silêncio é muito significativo; notem que quando ia haver o dilúvio, que era o julgamento, antes desse dilúvio houve uma misteriosa semana silenciosa. Vocês recordam isso no dilúvio? Está no capítulo 7 de Gêneses, quando Noé entrou. O 6 é quando Noé construiu a arca; no 7 entrou Noé com sua família e os animais. “1Disse o SENHOR a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque reconheço que tens sido justo diante de mim no meio desta geração”. E aí entraram com ele todos os animais; e chega o verso 4: “Porque passados ainda sete dias, (olhem essa palavra) eu farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites; e rasparei de sobre a face da terra a todo ser vivente que fiz”. Entra agora, porque daqui a sete dias vou trazer o julgamento. Então o que passou? Entrou Noé, entraram os animais e se fechou o arca, e aí houve um período de sete dias, e já ninguém mais podia entrar na arca; já a arca se fechou, mas durou sete dias a arca fechada, e então começou o dilúvio, começou o julgamento de Deus. Notem esse período misterioso de sete dias.

Agora diz aqui no sétimo selo do Apocalipse, que de repente algo começou a acontecer: “fez-se silêncio no céu”; quer dizer, todos se calaram, é como esse temor, chegou a hora de ira. Todo mundo como que fica com a mão na boca: chegou o julgamento, como quem diz, a mudança de dispensação, o tempo da graça está chegando a seu fim e começa Deus a trazer o julgamento definitivo sobre a terra. Notem que as trombetas somente o introduzem; as taças o consumam, mas as trombetas o introduzem; quer dizer, com as trombetas se começa; com as taças se termina.

“E enquanto abriu o sétimo selo”. Que terrível! Todos sabiam que não eram a não ser sete. Como vai terminar tudo? Que tremenda solenidade! Penso que nunca houve um momento mais solene, e é porque realmente o julgamento de Deus não é coisa leviana, é coisa de temer. O princípio da sabedoria é o temor de Deus; nós temos que aprender também a pôr nossa mão na boca e temer o julgamento de Deus. “fez-se silêncio no céu como por meia hora”; meia hora de silêncio é tremendo; às vezes um minuto de silêncio é solene, é tremendo, como será meia hora? Agora, essa meia hora o que significará? Porque se nós com nosso relógio dizemos: meia hora é meia hora de trinta minutos, mas estamos no céu, estamos em uma atmosfera diferente; isto não o digo de uma maneira dogmática, e sim só para pensar. São Pedro, conforme os Salmos, diz que para o Senhor um dia é como mil anos e mil anos como um dia. Se você dividir os 1000 dias em 48, porque se forem vinte e quatro horas, por meia hora dá quase vinte e um dias; meia hora equivaleria quase a vinte e um dias, no caso de que se tomasse um dia como mil anos; então se um dia é mil anos, meia hora é quase vinte e um dias. Curioso é que aconteceu algo de vinte e um dias no livro de Daniel. No livro de Daniel, capítulo 10, Deus enviou uma resposta, mas há uma oposição ao Senhor; mas essa oposição à resposta do Senhor se desfez em vinte e um dias; vinte e um dias durou a oposição; passados vinte e um dias se acabou a oposição. A oposição se acaba nos vinte e um dias. Diz no 10:2: “2 Naqueles dias, eu, Daniel, pranteei durante três semanas”. Três semanas são vinte e um dias. Logo diz o verso 13: “Mas o príncipe do reino da Pérsia me opôs durante vinte e um dias”; ou seja que algo aconteceu no céu; não estou dizendo que sejam exatamente vinte e um dias; são realmente quase vinte e um dias; mil dividido em quarenta e oito dá vinte ponto algo; então é como dizer quase vinte e um.

INICIA-SE O CAPÍTULO DO JUÍZO

Então o que significa um silêncio absoluto, um silêncio de temor reverente, onde até os que estavam adorando e louvando ao Senhor desde que nasceram, de repente ao ver o momento da ira do Senhor calaram a boca, e depois nas trombetas disseram: justo é; justos são seus juízos; significa que se trocou o tempo. Na economia de Deus começou o capítulo do juízo; então esta meia hora é bastante séria. O que diz no verso 2, é o resultado da meia hora, porque a que se referia essa meia hora? entendemos pelo seguinte: “2Então, vi os sete anjos que se acham em pé diante de Deus; (eles estavam em pé, ainda até aqui não lhes tinham dado as trombetas; eles estavam na presença de Deus, mas não tinham recebido as trombetas; mas diz que a partir dessa meia hora) e lhes deram sete trombetas”. Ou seja, o céu começou a dizer: Bom, vocês se preparam, porque vamos começar a julgar a terra.

AS ORAÇÕES DOS SANTOS

Agora, notem em que não continua a não ser com o verso 6; entre o verso 2 e o verso 6 há uns versos misteriosos onde nós temos que ver. Por que será isto? Irmãos, ouçam isto: as trombetas que soarão sobre a terra dependem de nossas orações. Se Deus responder nossas orações, então soam as trombetas; por quê? O que nos pede o Senhor que oremos? Pai nosso que está nos céus, santificado, não burlado, não, santificado; não menosprezado, santificado seja Seu nome, e venha a nós Seu reino; como quem diz: acaba com os outros reinos, e venha Seu reino, e faça-se Sua vontade; não já a vontade dos outros, a não ser a Tua, Sua vontade aqui na terra como no céu. Quando nós dizemos: Vem, Senhor Jesus; estamos trazendo de cabresto às trombetas. Quando dizemos de todo coração: Vem, Senhor Jesus, as trombetas estão cada vez mais perto; isso é o que nos explica do verso 3 aos 5. “2 Então, vi os sete anjos que se acham em pé diante de Deus, e lhes foram dadas sete trombetas”. E o verso 6 diz: “E os sete anjos que tinham as sete trombetas se dispuseram a tocar”; ou seja que aqui vemos um período dos anjos sem as trombetas. No momento de abrir o sétimo selo lhes dão as trombetas, e então eles se dispõem a tocar as trombetas; mas quando é que se dispõe a tocar as trombetas? Depois do que acontece nos versos 3 aos 5 do capítulo 8 de Apocalipse. Olhemos bem essa outra passagem. “3 Veio outro anjo...”. Até aqui isto não tinha acontecido no céu; começou a acontecer algo estranho no céu; houve um silêncio, e deram trombetas a estes anjos; então veio outro anjo, porque diz: “3 e ficou de pé junto ao altar, com um incensário de ouro, e foi-lhe dado muito incenso para oferecê-lo com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro”; ou seja, daqui é de onde sobem as orações ao Senhor.

INÍCIO DO DIA DA VINGANÇA

Vocês recordam o quinto selo que diz: os mártires que tinham morrido pela palavra do Senhor, pelo testemunho que eles tinham, clamavam ao Senhor: Senhor, até quando não julgas e vingas nosso sangue dos que moram na terra? Até quando não julgas? E lhes disse: Bom, descansem ainda um pouco de tempo até que se complete o número; ou seja que quando se completar o número dos mártires que Deus tem como um cúmulo, para julgar, o julgamento começa. Agora, essas orações: Senhor, até quando não julgas e vingas nosso sangue? Trata-se do dia da vingança; até agora é o dia agradável. O dia agradável quando se converte no dia de vingança? Durante a abertura do sétimo selo. O sétimo selo é o que converte o dia agradável em dia de vingança. Ele disse: não vinguem a vós mesmos, deixem a mim dar o pagamento; e Deus começa a dar o pagamento de uma maneira muito medida; começa a fazê-lo com as trombetas; não começa com as taças, e faz tocar as trombetas procurando que os homens se arrependam, e ainda assim depois de soar essas trombetas irá acontecer o que essas trombetas anunciam, introduzem, e os homens não se arrependem; então Deus consuma sua ira com as taças; as trombetas são apenas o início, são para que os homens se arrependam, mas a consumação da ira já é para consumar a mesma. Por isso diz aqui: “Outro anjo veio”; alguns interpretam que este anjo é Cristo; eu o deixo aberto, porque aparece aqui apresentando as orações; outros dizem que pode ser um anjo que esteja cumprindo uma ordem de Cristo. Se for Cristo ou um anjo que cumpra uma ordem Dele, deixamo-lo aberto; o fato é que está em um ministério sacerdotal.

AS ORAÇÕES DE CRISTO E AS NOSSAS

“Veio outro anjo e ficou de pé junto ao altar, com um incensário de ouro, e foi-lhe dado muito incenso para oferecê-lo com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que se acha diante do trono”.

O Senhor Jesus está à destra do Pai intercedendo por nós como nosso advogado, e é o nome do Senhor Jesus o que tem valor ante o Pai; por isso lhe acrescentou muito incenso; ou seja, as orações de Cristo; porque estas não são as dos Santos, estas são as do Senhor, as orações de Cristo. “E lhe deu muito incenso para acrescentá-lo às orações de todos os Santos”; aqui está você; as orações de todos os Santos; por isso disse: as trombetas têm que ver contigo. Nós dizemos: Senhor, nós não queríamos ver estas trombetas, mas um dia o Espírito Santo nos vai ensinar que devemos cooperar com a causa do Senhor. Se nós não aplicarmos o julgamento do que Deus aplica, então é como se fôssemos coniventes com ele; nós temos que aprender a pôr os pontos sobre as ís, e aprender a dizer não ao que Deus diz não. Quando nós oramos: Faz o que tenha que fazer para estabelecer seu reino na Colômbia, essas orações chegam ao céu e Deus sabe o que faz. Ao final não está procurando que a gente morra; está procurando que se estabeleça o reino, e que o pecado não continue, e que Satanás não continue no seu. Não podemos deixar de orar, temos que impedir que Satanás continue, que o pecado continue, e bom, então Deus sabe o que tem que fazer para responder essas orações; e isso é o que diz aqui: “lhe deu muito incenso para acrescentá-lo às orações de todos os Santos, (aqui estamos todos nós) sobre o altar de ouro que estava diante do trono. (Assim como estava diante da arca no modelo terrestre) 4e da mão do anjo subiu à presença de Deus a fumaça do incenso, com as orações dos santos”. O incenso que subia em nome de Cristo, tinha aquelas especiarias aromáticas: o estoraque, a ônica, o gálbano, que foi o que estivemos estudando no acampamento lá perto de Arbeláez; tudo isto representa a Cristo; tudo isto chega a Deus porque vem em nome de Cristo; este é um exercício sacerdotal, inclusive aquelas orações desses Santos que diziam: Senhor, até quando não julgas e vingas? Deus diz: esperem um momento. Quando chegou o momento, então o Senhor ficou sério, e todo mundo se deu conta, e começou e disse: Dêem trombetas a estes anjos. E logo o outro anjo veio e apresentou todas essas orações, como quem diz: chegou a hora de responder as orações em forma definitiva, varrer com tudo o que esteja mau e estabelecer o reino de Deus.

Irmãos, nossas orações têm estas conseqüências; nós temos que entender isto. Se você disser: Vem, Senhor Jesus, é como quem diz: passe este mundo; as duas coisas estão juntas. Vamos ver que as trombetas têm esse duplo sentido. Um sentido positivo para o povo de Deus e um sentido negativo para o mundo. Quando o povo de Deus ouvir as trombetas, alegrar-se-ão porque chegou o Senhor, Javé Sabaot, Senhor dos exércitos, pois, é alegria para o povo, mas logicamente que não para os inimigos. Para nós Cristo é aroma de vida, mas para os que não acreditam é aroma de morte; a mesma fragrância de Cristo é vida para os que acreditam e morte para os que resistem. Então, as trombetas, como vamos ver uns versos depois, têm esses distintos sentidos: um para convocar ao povo, para preparar ao povo, para regozijar-se, para dirigi-lo, e outro para varrer a seus inimigos e submetê-los sob escabelo de Seus pés. Duas coisas estão acontecendo; temos que concordar com os julgamentos de Deus como concorda o céu. O céu disse: justos são seus julgamentos; como eles derramaram o sangue dos Santos, você lhes deu a beber sangue; justos são seus julgamentos.

QUANDO DEUS COMEÇA A FALAR

Irmãos, às vezes nós não concordamos com os juízos de Deus; às vezes queremos ser melhores que Deus, mas Deus sabe até quanto esperar; muito calou Deus; Deus sabe calar. Enquanto falavam os homens de Deus com Jó lá, eles falavam e falavam e falavam e Deus calado, calado, calado, mas quando Deus vai falar, quando as trombetas vão soar, aí é quando o homem cala; ou seja, ou fala o homem, ou fala Deus. Quando fala o homem, Deus por paciência cala, mas quando Deus começa a falar, o homem cala e todo mundo cala. Então diz aqui no verso 5: “E o anjo tomou o incensário, encheu-o do fogo do altar e o atirou à terra”.Esta é a resposta de Deus. O primeiro incensário subiu a Deus; agora aquelas pedras de fogo do altar enchem esse incensário e vem a resposta, ou seja, o início do juízo. “Tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o jogou na terra; e houve trovões, e vozes, e relâmpagos e um terremoto”. Já os tínhamos visto no trono, no capítulo 4, mas agora lhes acrescenta algo: “e um terremoto”, ou seja, é outro terremoto, porque já no sexto selo se inicia um terremoto mundial, e aqui o sétimo selo introduz as trombetas com outro terremoto. Um é o do sexto selo que já vimos, e este é o do sétimo selo: um terremoto; este é o juízo de Deus.

O JUÍZO COMEÇA PELA CASA DE DEUS

Vamos olhar aqui no Ezequiel algo que lhes vai chamar a atenção, que já o mencionamos em outras vezes, mas que concorda com isto do fogo do altar. No capítulo 9 de Ezequiel aparecem aqueles personagens misteriosos, aqueles seis varões que devem destruir à cidade, mas antes de destruir a cidade lhes põe um selo na frente aos que intercedem, aos que abominam as coisas que acontecem na cidade, e Deus os separa através de sua marca na fronte, do selo do Deus vivo, separa-os dos que vão ser julgados, verdade? Então depois de que passou aquele que foi selando, vieram os julgamentos detrás; assim também em Apocalipse 7 vemos que há esse selo dos cento e quarenta e quatro mil, e também uma multidão tremenda que sai da grande tribulação, que estão em pé diante do Senhor; já no capítulo 8 se inicia o julgamento, igual à em Ezequiel. Primeiro em Ezequiel foram selados os que intercediam, oravam; foram postos à parte Por Deus, e depois disso veio o juízo; o mesmo acontece em Apocalipse; mas olhem aqui o que acontece: “5 Aos outros disse (não aquele varão vestido de linho) ouvindo eu: Passai pela cidade após ele; e, sem que os vossos olhos poupem e sem que vos compadeçais, matai;
6 matai a velhos, a moços e a virgens, a crianças e a mulheres, até exterminá-los; mas a todo homem que tiver o sinal não vos chegueis; começai pelo meu santuário”. Por isso São Pedro, que conhecia este versículo, dizia: “Porque é tempo de que o juízo comece pela casa de Deus”. Por isso Deus permite que seu povo seja aflito, que alguns sejam mortos, outros despojados, outros encarcerados, para purificar primeiro seu povo. Por isso a palavra sim nos fala de Santos passando por grande tribulação; e o mundo, por afligir aos Santos, também é aflito; mas Deus começa primeiro pela casa de Deus. O juízo começa por nós; Deus sempre, durante os vinte e um séculos que levamos de Cristianismo, permitiu que Seu povo passe por tribulações, por perseguições, por martírios; nunca os evitou; todas as gerações de cristãos foram perseguidas; todas; e como o mundo é quem aflige à Igreja, então agora Deus vai afligir ao mundo, pelo mundo ter afligido à Igreja. Diz: “começaram pelos anciãos (ao começar pela casa de Deus, começa-se pelos mais anciões) que estavam diante da casa. E ele lhes disse: Contaminai a casa, enchei de mortos os átrios e saí. Saíram e mataram na cidade. 8 Havendo-os eles matado, e ficando eu de resto, caí com o rosto em terra, clamei e disse: ah! SENHOR Deus! Dar-se-á o caso que destruas todo o restante de Israel, derramando o teu furor sobre Jerusalém?9 Então, me respondeu: A iniqüidade da casa de Israel e de Judá é excessivamente grande, a terra se encheu de sangue, e a cidade, de injustiça; e eles ainda dizem: O SENHOR abandonou a terra, o SENHOR não nos vê.10 Também quanto a mim, os meus olhos não pouparão, nem me compadecerei; porém sobre a cabeça deles farei recair as suas obras.11 Eis que o homem que estava vestido de linho, a cuja cintura estava o estojo de escrevedor, relatou, dizendo: Fiz como me mandaste”.

DEUS ABANDONA O SANTUÁRIO

Agora, o capítulo 10 continua a coisa, não termina no 9. “Olhei, e eis que, no firmamento que estava por cima da cabeça dos querubins, apareceu sobre eles uma como pedra de safira semelhando a forma de um trono.”. Aí é quando começa a descrição do trono, dos querubins, de seus quatro rostos, a descrição das rodas aos lados dos querubins; mas ao que quero lhes chamar a atenção é que este varão que tinha que selar, foi convidado a vir em meio desses querubins; então olhem o que aconteceu. “2 E falou ao homem vestido de linho, dizendo: Vai por entre as rodas, até debaixo dos querubins, e enche as mãos de brasas acesas dentre os querubins, e espalha-as sobre a cidade. Ele entrou à minha vista”. É o mesmo princípio; este personagem celestial veio e marcou aos que eram do Senhor, e depois foi convidado a entrar em meio dos querubins, perto do fogo do altar, e tomou carvões acesos dali, do meio dos querubins. Isso é o que quer dizer querubins queimadores; então o fogo do altar é o fogo da santidade, é a indignação Santa do Senhor contra o pecado, contra a libertinagem dos homens, contra a obstinação dos homens. Tomou esse fogo e o que fez? O mesmo que fez o anjo aqui em Apocalipse: Tomou o incensário e o jogou na terra; assim este varão vestido de linho fino tirou do fogo do altar aqueles carvões acesos e os lançou sobre a cidade; e isso o que significou para a cidade? Fogo sobre a cidade.

Deus deu permissão a Nabucodonosor que viesse, arrasasse, derrubasse os muros, derrubasse as casas e levasse cativa as gentes; a muitos lhes tiraram os olhos como ao próprio rei Zedequias; foram levando a todos, tiraram-lhes tudo; esse é o julgamento de Deus. O julgamento de Deus foi quando o fogo do altar foi espalhado sobre a terra; isso é o mesmo que diz aqui em Apocalipse 8:5: “E o anjo tomou o incensário, encheu-o do fogo do altar e o atirou à terra. E houve trovões, vozes, relâmpagos e terremoto”, e Este segundo terremoto é o que assinala o começo das trombetas. O sexto selo começa com um tremendo terremoto de nível mundial, não só local, a sacudida do planeta; agora, o sétimo selo, quando vão começar as trombetas, também apresenta um terremoto. Então antes de que comecemos a estudar as trombetas uma por uma, é necessário que compreendamos um pouco a respeito das trombetas, por que Deus utiliza a palavra “trombetas”. Então vamos fazer um percurso bíblico, se não pudermos por todos, pelo menos pelos os principais versos onde Deus começa a introduzir este conceito de trombetas, o que quer dizer Deus com trombetas; assim vamos compreender melhor as sete trombetas.

COMEMORAÇÃO E SANTA CONVOCAÇÃO

Tenho, pois, aqui uma série de versículos dos que quisesse que os irmãos tomem nota, uns anotando, outros ouvindo, porque vamos estudar o conceito de trombetas; ver tudo o relativo a trombetas na Bíblia para que possamos lhe dar o melhor sentido aqui no Apocalipse. Por que aparecem trombetas no Apocalipse? Porque já tinham aparecido trombetas antes; o que significam as trombetas? Para alguns significa jazz, mas será que para Deus e seu povo também é jazz? Ou será algum concerto de Monte verde? Vejamos Levítico 23:23,24. Aqui está a primeira vez que Deus manda fazer umas trombetas: “23 Disse mais o SENHOR a Moisés:24 Fala aos filhos de Israel, dizendo: No mês sétimo, (notem, o sétimo; ali também aparecia o sétimo selo; ou seja, o sétimo mês é a última festa, é o último mês onde terminam; aí vêm trombetas, a expiação e os tabernáculos, e com isso se termina o ciclo; é o sétimo; aí concorda o número sete) ao primeiro do mês, tereis descanso solene, memorial, com sonidos de trombetas, santa convocação”. Então como lhes havia dito faz um momento, as trombetas têm um duplo significado, um positivo para o povo do Senhor. Recordem que o Senhor disse: quando virem todas estas coisas acontecendo, o mundo o que faz? mete-se sob as rochas, e o povo que tem o que fazer? Erguei-vos e levantem suas cabeças, porque sua redenção se aproxima.

Irmãos, nós não temos que nos assustar pelo que acontece no mundo; devemos temer e devemos andar erguidos, testemunhando, inclusive trombeteando no nome do Senhor. A primeira coisa que significa as trombetas: as palavras chaves são: comemoração e Santa convocação. Aqui as trombetas começam para comemoração; disse-lhes que tem um duplo sentido: um positivo para o povo e um negativo para seus inimigos. Então para o povo: dia de repouso, comemoração ao som de trombetas; toca-se trombeta e há festa; claro, essa é a festa do reino de Deus, ou seja a festa da destruição dos outros reino. “Comemoração ao som de trombetas, e uma Santa convocação. 25 Nenhuma obra servil fareis, mas trareis oferta queimada ao SENHOR.26 Disse mais o SENHOR a Moisés: 27 Mas, aos dez deste mês sétimo, será o Dia da Expiação”; o dia quando Israel tinha que chorar, humilhar-se; justamente, ao tempo da grande tribulação, chamou-lhe tempo de angústia para Jacó; é o momento quando Israel começará a ser rodeado de todas as nações para atacá-lo; todos se virão contra Israel e será tempo de angústia como nunca foi para Israel; esse tempo de angústia, o dia da expiação [Yom kippur], essa continuação do som de trombetas; há uma festa de trombetas nos primeiro dia e no décimo dia há o Yom kippur, a festa da expiação; nesse dia é dia de arrependimento, dia de humilhação; depois vem a outra festa, a dos tabernáculos, e aí é quando se troca a gente desse tabernáculo e vai morar em outro tabernáculo. A festa dos tabernáculos nos recorda que somos peregrinos, que este não é nosso destino, que nosso destino é outro. Aqui estão relacionadas as trombetas com a expiação.

O ANO DO JUBILEU

Levítico 25:8,9. Outra coisa que simbolizam as trombetas. Já vamos nessas duas palavras chaves: comemoração e Santa convocação.

Podemos ir fazendo a lista das palavras que se associam às trombetas. Agora vem o assunto do jubileu; o jubileu é depois de sete vezes sete, depois de quarenta e nove, então vem o ano do jubileu. “8Y Contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos, (outra vez o número sete) de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos.9 Então (ao final dos setes, assim como no sétimo selo) no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta vibrante; no Dia da Expiação, fareis passar a trombeta por toda a vossa terra.10 Santificareis o ano qüinquagésimo e proclamareis liberdade na terra”. O povo se arrependeu no dia da expiação, humilhou-se, então Deus ouviu a oração e fez soar trombeta e fez proclamar liberdade à terra. Por isso depois das trombetas que se consumam com as taças, começa o Milênio. Este Milênio está tipificado pelo jubileu, quando diz: “10 Santificareis o ano qüinquagésimo e proclamareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família”. Olhem outras palavras chaves que estão relacionadas aqui com essa trombeta: expiação, santificação, voltar cada um para sua posse, jubileu; tudo isto está relacionado com trombeta; este é um toque específico de trombeta, o ano do jubileu, o dia de expiação. Antes a trombeta se tocava o primeiro dia, na festa das trombetas durante quarenta e nove anos; o ano cinqüenta, tocava-se também o dia da expiação; a trombeta aí tinha outro significado. Outro aspecto do significado das trombetas.

AS DUAS TROMBETAS DE PRATA

Números capítulo 10. Estas primeiras expressões são as que têm maior significado porque são as que iniciam o sentido que têm as trombetas. Vamos ver ali a passagem que fala das trombetas de prata; vamos ler o com cuidado para ver de que nos fala.

“1 Disse mais o SENHOR a Moisés: 2 Faze duas trombetas de prata; de obra batida as farás, (e justo, vocês isto recordam : em plenas trombetas, entre a sexta e sétima há uns profetas profetizando) servir-te-ão para (notem essa é a palavra chave: para que servirão as trombetas? para que servem as trombetas? Aqui diz para que) convocares a congregação e para a partida dos arraiais”. Porque há uma guerra do inimigo contra o povo de Deus; mas as portas do Hades não prevalecerão contra a Igreja; o Senhor faz avançar a Seu povo rumo ao Milênio ao som de trombetas. As trombetas servem para isto: para convocar a congregação, ou seja, reunir o povo do Senhor, e fazer mover os acampamentos. Quando se vai avançando, avança-se ao som de trombeta.

OS DIFERENTES SONS DA TROMBETA

“3 Quando tocarem, toda a congregação se ajuntará a ti à porta da tenda da congregação”. Quando estão soando as trombetas é hora de oração, o povo unido em oração. “4 Mas, quando tocar uma só, (notem que há distintos toques de trombeta; uns som só para o povo; uns som para descanso, outros são para ataque, outros são para alarme, outros são para convocação, uns som para festa; as trombetas têm distintos sentidos, mas a mesma trombeta se toca para várias coisas) a ti se ajuntarão os príncipes, os cabeças dos milhares de Israel.

5 Quando as tocardes a rebate, (pois aquela outra não é ainda alarme, mas este outro é alarme) partirão os arraiais que se acham acampados do lado oriental”. O movimento começa no oriente, depois no sul, depois no ocidente e depois no norte, mas o movimento começa no oriente. “6 Mas, quando a segunda vez as tocardes a rebate, então, partirão os arraiais que se acham acampados do lado sul; a rebate, as tocarão para as suas partidas. 7 Mas, se se houver de ajuntar a congregação, tocá-las-eis, porém não a rebate”. A congregação entende quando não é alarme, quando é alarme. A trombeta tem distintos sons. Por isso diz Paulo: “Pois também se a trombeta der som incerto, quem se preparará para a batalha?” (1 CO. 14:8). Há um alvo que é para levantar-se, para convocar a orar, para introduzir a arca, para celebrar festa, e outra é para avançar. Primeiro os do oriente, logo os do sul, logo os do ocidente e depois os do norte; assim nesta ordem. “8 Os filhos de Arão, sacerdotes, tocarão as trombetas; (o ministério é o que proclama) e a vós outros será isto por estatuto perpétuo nas vossas gerações. 9 Quando, na vossa terra, sairdes a pelejar (ah! é outro som: um é para avançar, outro é para festejar, outro é alarme e outro é guerra) contra os opressores que vos apertam, também tocareis as trombetas a rebate, e perante o SENHOR, vosso Deus, haverá lembrança de vós, e sereis salvos de vossos inimigos”. Que importância têm as trombetas.

As trombetas fazem que Deus nos recorde que estamos em meio dos inimigos e nos guarda dos inimigos. Quando soam as trombetas, os inimigos são prejudicados, mas o povo vai se aproximando mais e mais do seu livramento. “10 Da mesma sorte, no dia da vossa alegria, (ah! já não é guerra, é alegria; as trombetas também são alegria) e nas vossas solenidades, e nos princípios dos vossos meses, (chamado-os luas novas) também tocareis as vossas trombetas sobre os vossos holocaustos e sobre os vossos sacrifícios pacíficos, e vos serão por lembrança perante vosso Deus. Eu sou o SENHOR, vosso Deus”. Aí vemos vários sentidos associados com as trombetas.

AS TROMBETAS E O MINISTÉRIO

Números 29:1 “1 No primeiro dia do sétimo mês, tereis santa convocação; nenhuma obra servil fareis; ser-vos-á dia do sonido de trombetas”. Aqui volta a falar da festa das trombetas, mas olhem que coisa curiosa: Não farão obra de servos; quando é dia de trombetas, não é dia de fazer tijolos para Faraó; todos os tijolos que façamos a Faraó serão destruídos na grande tribulação; se for trombeta, não é obra de servos, é hora de erguer-se e levantar as cabeças. Ou se soam trombetas, ou se faz obra de servos; não são compatíveis estas duas coisas. Quando as trombetas soam, o povo é livrado e descansa do inimigo.

Números 31:6. Aqui está quando houve a vingança de Israel contra Midiã. “6 Moisés os enviou à guerra, mil de cada tribo, com Finéias, filho do sacerdote Eleazar, o qual tinha na mão os objetos sagrados e as trombetas para tocar alarme”. Olhem como é que se vai à guerra; foi à guerra com os copos do santuário, ou seja com o ministério e tocando trombeta. O ministério e a proclamação da verdade é o que tem que acontecer no dia da guerra e no dia das trombetas. Eleazar foi com os copos do ministério e com som de trombeta. aonde? À guerra; nós também temos que levar os copos do ministério; nós somos os copos do ministério; é dia de guerra, é dia de trombeta, é dia de ministério, que Deus envie operários a sua colheita e que proclamem a palavra do Senhor com as trombetas em sua mão para tocar e brigar, etc.

Em Juízes 7 temos já um exemplo da vitória do Senhor com as trombetas. Este é o caso do Gideão, que vocês conhecem bem. O que fez Deus? Estavam frente aos inimigos; o que fez Deus? Deu-lhes três coisas: um cântaro de barro; esses somos nós, somos copos de barro, mas dentro do cântaro de barro, uma tocha acesa; esse é o fogo do Espírito, essa é a vida do Senhor, e o que mas lhes deu? Deu-lhes umas trombetas; estavam os inimigos lá, e não é necessário que sejamos muitos; não, não são muitos, com poucos é suficiente. Quando chegou o momento fizeram três coisas: gritaram, romperam os cântaros, quer dizer, negaram-se a si mesmos para que a luz que estava escondida no cântaro aparecesse, e soaram as trombetas; isso foi o que lhes deu a vitória. Gritaram pelo Senhor e por Gideão; quebrar o cântaro, que apareçam as tochas e soem as trombetas; eles estavam cem por lá, cem por lá e cem por lá; não eram a não ser trezentos, mas bem localizados; negaram-se a si mesmos e no momento oportuno, em coordenação, à uma, às duas e às três, traaaaaa, todos os inimigos espavoridos se começaram a matar entre eles, e assim o Senhor lhes deu a vitória, como? Quebrando o cântaro; isso somos nós, nosso eu, nosso ego; podemos ter a vida do Senhor dentro, a tocha dentro do cântaro, mas aí não se vê nada; terá que quebrá-lo para que se veja. Quando um se quebra, vê-se a luz que temos e ao mesmo tempo soam as trombetas, e essa é a vitória que Deus deu desta maneira. Não vou ler, mas está em Juízes 7:8-22.

TROMBETAS DE VITÓRIA

Em 1 Samuel 13:3, vemos outras menções das trombetas. Tratava-se de uma guerra contra os filisteus. “Jônatas derrotou a guarnição dos filisteus que estava em Gibeá, o que os filisteus ouviram; pelo que Saul fez tocar a trombeta por toda a terra, dizendo: Ouçam isso os hebreus”. Quando houve vitória contra os filisteus se tocou trombeta para que ouvissem os hebreus; ouvissem o que? Que tinha havido vitória sobre os filisteus. O que significava, pois, a trombeta? Que houve vitória contra nossos inimigos. Irmãos, quando lemos das trombetas que é tão difícil de engolir, terá que entender que significa vitória sobre nossos inimigos.

Passemos a 2 Samuel 6:15, inicialmente; isto se repete depois em Crônicas. Vemos para que se tocava também a trombeta. “15 Assim, Davi, com todo o Israel, fez subir a arca do SENHOR, com júbilo e ao som de trombetas”. Ou seja que a arca está vindo a seu lugar, e enquanto vem soam as trombetas; as trombetas soam enquanto a arca é conduzida de longe a seu lugar em Jerusalém. Depois fez o mesmo Salomão. No capítulo 15 volta a dizer o mesmo porque a primeira vez Davi não teve em conta uns detalhes e falhou a coisa; então vejam o que acontece no capítulo 15:10. Absalão, ele por si mesmo usurpou o lugar do David, ele com suas palavras conquistou aos amigos, começou a criticar a Davi, e criticando ao David foi levando as pessoas para si mesmo e se foi fazendo ele mesmo autoridade em lugar de Davi por meio de suas palavras; e então fez tocar trombeta e se proclamou a si mesmo rei com trombeta; mas também tocaram trombeta quando morreu. Ele por meio de seus ditos se fez rei a si mesmo, então o que fez Deus? Permitiu que Joabe tocasse a trombeta a ele. No 15:10 está quando ele toca trombeta: “Enviou Absalão emissários secretos por todas as tribos de Israel, dizendo: Quando ouvirdes o som das trombetas, direis: Absalão é rei em Hebrom!”. Mas o quem reinava em Hebrón era Davi, mas ele fez seu trabalho; então olhem o que passou aqui: vamos aos 18:16, no capítulo da morte de Absalão. “16 Então, tocou Joabe a trombeta”; quando? Quando diz o verso 15: “Cercaram-no dez jovens, que levavam as armas de Joabe, e feriram a Absalão, e o mataram”. Os escudeiros de Joabe mataram a Absalão. “16 Então, tocou Joabe a trombeta, e o povo voltou de perseguir a Israel, porque Joabe deteve o povo”. O problema não era com o povo, o problema era somente com Absalão. O mesmo aconteceu com Seba no capítulo 20. Seba era outro que também se revoltou contra Davi, e lhe aconteceu a mesma coisa que ao Absalão. Verso 1: “1 Então, se achou ali, por acaso, um homem de Belial, cujo nome era Seba, filho de Bicri, homem de Benjamim, o qual tocou a trombeta, (este também tocou a trombeta; ele não a tinha que tocar, ele não era de Aarão, ele era de Benjamim, mas tocou a trombeta) e disse: e disse: Não fazemos parte de Davi, nem temos herança no filho de Jessé; cada um para as suas tendas, ó Israel!” Outra vez proclamou rebelião, apartou às pessoas de Davi. Assim como ele tocou trombeta, também lhe tocaram trombeta no versículo 22: “E a mulher, na sua sabedoria, foi ter com todo o povo, e cortaram a cabeça de Seba, filho de Bicri, (ele quis ser cabeça e ficou sem cabeça) e a lançaram a Joabe. Então (Joabe, outra vez, primeiro para o Absalão e logo para a Seba) tocou este a trombeta, e se retiraram da cidade, cada um para sua casa. E Joabe voltou a Jerusalém”. Os outros se apartaram, mas Joabe voltou para o rei, a Jerusalém. Do mesmo nos fala 1 Crônicas 13:8, 15, 24 e 28 e 16:6; não o vou ler porque já o lemos em Samuel onde se repete o mesmo.

SALOMÃO É UNGIDO

Vamos ver agora o caso do Salomão, em 1 Reis 1:34-41. É o tempo em que vai ser estabelecido Salomão, mas claro que se adiantou Adonias. Adonias fez as coisas por si mesmo, em troca o do Salomão foi Deus o que o fez. Há uma diferença em fazer as coisas por nós mesmo e fazer as coisas por preparação de Deus, Dizem os versículos 34-41: “Zadoque, o sacerdote, com Natã, o profeta, ali o ungirão (ao Salomão) rei sobre Israel; então, tocareis a trombeta e direis: Viva o rei Salomão” E assim ia toda a procissão: “41Adonias e todos os convidados que com ele estavam o ouviram, (que tinha feito as coisas por si mesmo, que quis ser rei a sua maneira; Adonias fez o mesmo que tinha feito Absalão) quando acabavam de comer; também Joabe ouviu o sonido das trombetas e disse: Que significa esse ruído de cidade alvoroçada?” Notem: “Que significa esse ruído de cidade alvoroçada?” Isto nos recorda a passagem de Amós. “Tocar-se-á a trombeta na cidade, sem que o povo se estremeça?” (Am. 3:6), ou seja que a trombeta traz também alvoroço. O de Salomão está também em 2 Crônicas 5:12-13 e 7:6. Como já o lemos em Reis, não o leremos de novo em Crônicas.

Passemos a 2 Reis 11:13,14. Isto é muito significativo; recordem de Jezabel; aqui recorda a Jezabel; recordam a grande prostituta que mesclava o de Deus com o pagão? Mas então houve um julgamento contra Jezabel, mas é verdade que a grande prostituta teve filhas? É verdade que Jezabel teve também uma filha que se chamou Atalia, e Atalia também usurpou o trono de Israel. Do que nos falará esta Atalía? Também lhe tocaram trombeta, aí está. “13 Ouvindo Atalia o clamor dos da guarda e do povo, (Atalía era a filha de Jezabel, não era Jezabel, mas era a filha, muito cuidado, era a filha) veio para onde este se achava na Casa do SENHOR”. Ah! Atalia, uma fornicação, quis colocar ao templo. “14 Olhou, e eis que o rei (o verdadeiro rei que ainda era um menino, então, claro, como ainda os legítimos eram pequenos, a grande Atalia se acreditou que ela podia reinar, mas os fiéis apoiaram ao menino Joás, e tocaram trombeta a Atalia) estava junto à coluna, segundo o costume, e os capitães e os tocadores de trombetas, junto ao rei, e todo o povo da terra se alegrava, e se tocavam trombetas. Então, Atalia rasgou os seus vestidos e clamou: Traição! Traição!” Claro, traição a ela, mas ela tinha traído a Deus e ao povo. “15 Porém o sacerdote Joiada deu ordem aos capitães que comandavam as tropas e disse-lhes: Fazei-a sair por entre as fileiras, (cuidado com o ecumenismo perigoso) se alguém a seguir, matai-o à espada. (Porque o sacerdote disse que não a matassem no templo do Senhor). 16 Lançaram mão dela; e ela, pelo caminho da entrada dos cavalos, foi à casa do rei, onde a mataram”. É o julgamento da Atalia que usurpou o reino que correspondia a Joás, mas como Joás era menino, ela se fez que era a grande, que era a que tinha os direitos, e aí foi quando terminou.
Agora 2 Crônicas 13:12. É o reinado do Abias. Abias era o filho de Roboão, e Jeroboão levou ao povo a si para outro lado, mas então Abias subiu a um dos Montes perto, ali onde estavam os Montes de Gerizim., e disse: “12 Eis que Deus está conosco

Eis que Deus está conosco, à nossa frente, (ou seja, vocês as dez tribos que se foram com o Jeroboão, que disse: não se vão lá para Judá; porque o povo vai com Roboão, melhor vamos fazer aqui as coisas a nossa maneira; fez-se uns ídolos em Dã e por isso foi apagada essa tribo; agora Abias gritou a dez tribos) “12 E eis que Deus está conosco, à nossa frente, como também os seus sacerdotes, tocando as trombetas, para dar alarme contra vós (olhem como lhes chama; para nós é júbilo mas para contra quem soam é outra coisa, é julgamento) ó filhos de Israel; não pelejeis contra o SENHOR, Deus de vossos pais, porque não prosperareis”. No 15:14, já não é Abias, a não ser Asa; notem que as trombetas soaram no tempo dos reis bons. Soou no tempo de Davi, soou em tempo do Salomão, soou em tempo do Abias, soou em tempo de Asa, soou em tempo do Josafá, soou em tempo do Ezequias, os que fizeram reformas e retornaram para a casa de Deus, os que voltaram para a palavra de Deus, aí soaram as trombetas; os outros reis que se separaram do Senhor e fizeram o mau, não lhes soaram as trombetas a favor deles. Isso o temos aqui no caso de Asa: “14 E juraram ao SENHOR, em alta voz, com júbilo, e com trombetas, e com buzinas”. por que? porque quando o povo está sendo fiel a Deus, está em pacto com Deus, ao inimigo lhe soa mau. “15 Todo o Judá se alegrou por motivo deste juramento, porque, de todo o coração, eles juraram e, de toda a boa vontade, buscaram ao SENHOR, e por eles foi achado. O SENHOR lhes deu paz por toda parte”. No caso de Asa, os inimigos foram retidos. Vamos a outro caso interessante. O Senhor na Palavra nos mostra vários casos para nos ilustrar as distintas posições. No 20:28 é o caso do Josafá. Abias, Asa e Josafá, reis que fizeram o bem. “28 Vieram para Jerusalém com alaúdes, harpas e trombetas, para a Casa do SENHOR”. Notem, pelo lado deles era júbilo, mas olhem o seguinte versículo: “29 Veio da parte de Deus o terror sobre todos os reinos daquelas terras”. Entendem como é a coisa? Enquanto o povo do Senhor, o acampamento do Senhor, vai avançando ao som de trombetas, então para o povo do Senhor é um avanço, mas para as nações inimigas é uma derrota; assim temos que entender as trombetas. Quando os anjos ouviram as trombetas apocalípticas glorificaram a Deus dizendo: Justos são seus juízos; nós temos que dizer o mesmo. 2 Crônicas 29:26-28. Este já é o caso do Ezequias; reis que fizeram o bem. “Estavam, pois, os levitas em pé com os instrumentos de Davi, e os sacerdotes, com as trombetas. 27 Deu ordem Ezequias que oferecessem o holocausto sobre o altar. Em começando o holocausto, começou também o cântico ao SENHOR com as trombetas, ao som dos instrumentos de Davi, rei de Israel.28 Toda a congregação se prostrou, quando se entoava o cântico, e as trombetas soavam; tudo isto até findar-se o holocausto.”. Até que se cumpriu; por isso o número 7.

TROMBETAS NA REEDIFICAÃO DA CASA DE DEUS

Agora sim passemos a Esdras 3:10. Notem também quando se tocava trombeta: “Quando os edificadores lançaram os alicerces do templo do SENHOR, apresentaram-se os sacerdotes, paramentados e com trombetas, e os levitas, filhos de Asafe, com címbalos, para louvarem o SENHOR, segundo as determinações de Davi, rei de Israel”.

Aparecem as trombetas quando se fundamenta o reino de Deus. E logo quando Neemias reedificou os muros também se tocaram trombetas. Neemias 4:19-20: “19 Disse eu aos nobres, aos magistrados e ao resto do povo: Grande e extensa é a obra, e nós estamos no muro mui separados, longe uns dos outros.
20 No lugar em que ouvirdes o som da trombeta, para ali acorrei a ter conosco; o nosso Deus pelejará por nós”. Nós somos reunidos na Santa convocação, mas o Senhor briga por nós. Os dois sentidos das trombetas. Agora em Neemias 12;35,41: “35 e dos filhos dos sacerdotes (isso é quando se dedicou o muro) foram com trombetas com trombetas: Zacarias, filho de Jônatas, filho de Semaías, filho de Matanias, filho de Micaías, filho de Zacur, filho de Asafe.; Os sacerdotes Eliaquim, Maaséias, Miniamim, Micaías, Elioenai, Zacarias e Hananias iam com trombetas”. Houve trombetas para começar a pôr os fundamentos do templo, e houve trombetas para dedicar o muro de separação da cidade de Deus dos que estão fora. Até aqui os livros históricos. Temos que ver algo dos livros sapienciais e proféticos.

Em Salmos há umas passagens preciosas. Salto a menção que aparece em Jó que diz que aos cavalos Deus os fez isentos do temor a trombeta. Salmos 47:5. Este Salmo é muito interessante. “1 Ao músico-mor; sobre Lírios. Salmo dos filhos do Coré”. Sabem como lhe chamaram neste Salmo por seu conteúdo? Deus, o Rei de toda a terra. Claro, Deus é rei nos céus, mas disse: venha Seu reino a terra, e quando Deus reina na terra é quando soa a trombeta; as trombetas são para introduzir o reino. “1 Batei palmas, todos os povos; celebrai a Deus com vozes de júbilo.2 Pois o SENHOR Altíssimo é tremendo, é o grande rei de toda a terra.3 Ele nos submeteu os povos e pôs sob os nossos pés as nações.4 Escolheu-nos a nossa herança, a glória de Jacó, a quem ele ama.5 Subiu Deus por entre aclamações, o SENHOR, ao som de trombeta.6 Salmodiai a Deus, cantai louvores; salmodiai ao nosso Rei, cantai louvores. 7 Deus é o Rei de toda a terra; salmodiai com harmonioso cântico.8 Deus reina sobre as nações; Deus se assenta no seu santo trono. (por isso se introduziu com trombeta) 9 Os príncipes dos povos se reúnem, o povo do Deus de Abraão; (aqui fala dos gentios convertidos a Cristo) porque a Deus pertencem os escudos da terra; ele se exaltou gloriosamente”. O reino do Senhor se introduz com trombeta. Salmo 81:3: “Tocai a trombeta na Festa da Lua Nova, na lua cheia, dia da nossa festa”. Toquem a trombeta na lua nova. Colossenses diz que as luas novas, assim como os sábados e as demais festas, são sombra de Cristo. A lua nova é para começar de novo; é um novo começo, e para um novo começo terá que tocar trombeta.

Salmo 98:6. A este Salmo o chamaram: “Louvor pela justiça de Deus”. Justos são seus juízos. “6 com trombetas e ao som de buzinas, exultai perante o SENHOR, que é rei.7 Ruja o mar e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam”. Nós o aclamamos, mas o mundo brama e treme. “8 Os rios batam palmas, e juntos cantem de júbilo os montes,9 na presença do SENHOR, porque ele vem julgar a terra. (por isso se toca trombeta) julgará o mundo com justiça e os povos, com eqüidade”.

TROMBETAS NOS ORÁCULOS

Chegamos à parte profética. Até aqui era tipológica. Isaías 18:3:: “Vós, todos os habitantes do mundo, e vós, os moradores da terra, quando se arvorar a bandeira nos montes, olhai; e, quando se tocar a trombeta, escutai”. Tinham sido espalhados os israelitas, mas agora estão outra vez em seu lugar. Isaías 27:13: “Naquele dia, se tocará uma grande trombeta, e os que andavam perdidos pela terra da Assíria e os que forem desterrados para a terra do Egito tornarão a vir e adorarão ao SENHOR no monte santo em Jerusalém”. Aqui é uma Santa convocação dos filhos espalhados de Israel à seu tempo. Isaías 58:1: “Clama a plenos pulmões, não te detenhas, ergue a voz como a trombeta, (aqui nos damos conta de que a proclamação profética é considerada como uma trombeta. Eleva sua voz como trombeta, diz Deus a Isaías) e anuncia ao meu povo a sua transgressão e à casa de Jacó, os seus pecados”. Quer dizer que a profecia está simbolizando uma trombeta. Por isso falando da profecia, Paulo diz que se falarmos em língua estranha sem que haja tradução ou interpretação, é como o que toca trombeta sem som certo, então ninguém se prepara para a batalha; a profecia está simbolizada com trombeta.

Jeremias 4:5,19,21. “5 Anunciai em Judá, fazei ouvir em Jerusalém e dizei: Tocai a trombeta na terra! Gritai em alta voz, dizendo: Ajuntai-vos, e entremos nas cidades fortificadas!”. Vejam o que significa aqui uma trombeta. “19 Ah! Meu coração! Meu coração! Eu me contorço em dores. Oh! As paredes do meu coração! Meu coração se agita! Não posso calar-me, porque ouves, ó minha alma, o som da trombeta, o alarido de guerra”. Som de trombeta igual a alarido de guerra. Agora sim, depois estudaremos as trombetas, mas era necessário ver isto antes. “21 Até quando terei de ver a bandeira, terei de ouvir a voz da trombeta?” Jeremias 6:17: “Também pus atalaias sobre vós, dizendo: Estai atentos ao som da trombeta; mas eles dizem: Não escutaremos”. Há gente que não quer pôr atenção às trombetas, mas o que diz o Senhor em relação a estas atalaias em Ezequiel 33? Filho de homem, se eu puser um vigia e ele vir vir a espada e não tocar a trombeta, o julgamento será sobre ele por não falar. Jeremias 42:14, fazendo o seguimento do que está ao redor da trombeta. As pessoas que estavam se separando do povo olhem o que diziam: “dizendo: Não; antes, iremos à terra do Egito, (como quem diz: mesclaremo-nos com o mundo) onde não veremos guerra, nem ouviremos som de trombeta, nem teremos fome de pão, e ali ficaremos,”. Ai ai ai! Lá é onde lhe vão chegar as trombetas, exatamente. 51:27: “Arvorai estandarte na terra, tocai trombeta entre as nações, consagrai as nações contra ela; (refere-se à Babilônia) convocai contra ela os reinos de Ararate, Mini e Asquenaz; ordenai contra ela chefes, fazei subir cavalos como gafanhotos eriçados.28 Consagrai contra ela as nações”; ou seja, contra Babilônia se toca trombeta.

Ezequiel 7:14. O capítulo se chama: O fim vem, no contexto da vinda do fim. “Tocaram a trombeta e prepararam tudo, mas não há quem vá à peleja, porque toda a minha ira ardente está sobre toda a multidão deles”. Em Zacarias fala que entre eles mesmos brigarão e serão feridos de loucura e outras coisas.

Oséias 5:8: “Tocai a trombeta em Gibeá e em Ramá tocai a rebate! Levantai gritos em Bete-Áven! Cuidado, Benjamim!”. A trombeta se toca para que se trema também. 8:1. Aqui volta a palavra profética a assemelhar-se a trombeta: “Emboca a trombeta! Ele vem como a águia contra a casa do SENHOR, porque transgrediram a minha aliança e se rebelaram contra a minha lei”. A trombeta anuncia julgamento ainda à casa rebelde.

Joel 2:1,15 “Tocai a trombeta em Sião e dai voz de rebate no meu santo monte; perturbem-se todos os moradores da terra, porque o Dia do SENHOR vem, já está próximo”. Se toca trombeta porque o dia do Senhor está próximo; as trombetas introduzem o dia do Senhor.

“Tocai a trombeta em Sião, promulgai um santo jejum, proclamai uma assembléia solene.16 Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, reuni os filhinhos e os que mamam; saia o noivo da sua recâmara, e a noiva, do seu aposento.17 Chorem os sacerdotes, ministros do SENHOR, entre o pórtico e o altar, e orem: Poupa o teu povo, ó SENHOR, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que as nações façam escárnio dele.”. Irmãos, a trombeta é também para orar, para jejuar, para interceder. Enquanto soam as trombetas são convocados a oração, jejum e intercessão.

Amós 2:2 e 3:6: “2 Por isso, meterei fogo a Moabe, fogo que consumirá os castelos de Queriote; Moabe morrerá entre grande estrondo, alarido e som de trombeta”. 3:6: “6 Tocar-se-á a trombeta na cidade, sem que o povo se estremeça? Sucederá algum mal à cidade, sem que o SENHOR o tenha feito? 7 Certamente, o SENHOR Deus não fará coisa alguma, sem primeiro revelar o seu segredo aos seus servos, os profetas”.

Sofonias 1:16. Espero que estando tão perto aos 11 de setembro se lembrem de Nova Iorque: “dia de trombeta e de rebate contra as cidades fortes e contra as torres altas”. Zacarias 9:14: “O SENHOR será visto sobre os filhos de Sião, e as suas flechas sairão como o relâmpago; o SENHOR Deus fará soar a trombeta e irá com os redemoinhos do Sul.”.

Por isso diz 1ª aos Tessalonicenses que o Senhor vem com voz de arcanjo e com trombeta de Deus.

Agora vamos ao Novo Testamento . Mateus 24:31: “E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, (anjos com voz de trombeta, e o que fazem as trombetas?) os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus”. Porque há alguns que estão no paraíso, e Marcos diz de um extremo da terra, porque há alguns ainda na terra. 1 Coríntios 14:8 é onde fala de que se a trombeta der som incerto, quem se prepararia? Mas em 15:51,52 é onde fala da sétima trombeta, ali fala da final, ou seja da sétima trombeta. “51 Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos,52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta, (a sétima, essa é a final) A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”. A sétima trombeta é o tempo de dar o galardão.

1 Tessalonicenses 4:16: “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro”. Este verso está relacionado com 1 Coríntios 15.

Hebreus 12:18,19; provavelmente escrito por São Lucas. “Ora, não tendes chegado ao fogo palpável e ardente, e à escuridão, e às trevas, e à tempestade,19 e ao clangor da trombeta, (havia trombeta na revelação do Sinai) e ao som de palavras tais, que quantos o ouviram suplicaram que não se lhes falasse mais”. A trombeta também anuncia o santo do Senhor; e os últimos versos que aparecem são os de Apocalipse que são os que vamos estar estudando. Há outra menção das trombetas, que é quando não terá que tocá-la, quando estamos dando esmola e quando estamos jejuando e quando estamos orando; aí não terá que tocar trombeta, mas em todo o resto, sim. Irmãos, todos estes versos que seguimos, fizemos para ter os sentidos que se associam às trombetas, para que logo possamos entrar propriamente em cada uma delas. Vamos orar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário