quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Aproximação ao Apocalipse (49) 
 A OUTRA BESTA


E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como dragão”. Ap. 13:11.

Comentários de crítica textual

Vamos abrir a palavra, irmãos. Hoje com a ajuda do Senhor chegamos já na segunda parte do capítulo 13 de Apocalipse. Apocalipse 13:11-18. Vamos fazer, como costumamos, uma leitura inicial desta versão de Reina-valera, revisão de 1960*, e realmente são poucos os ajustes ao texto grego que terá que se fazer aqui; de todos os modos façamo-lo. “11 E vi ( em Reina-valera ao invés de “E vi” se lê “depois vi”)  subir da terra outra besta”; a palavra que aqui se traduziu “depois”, realmente é a palavra “kai” que quer dizer: “e” ou “também”, ou “igualmente”; aqui ao se traduzir “depois”, dá a impressão como se cronologicamente fora uma continuidade; realmente a palavra é simplesmente  “kai”, ou seja, “e”: “11 E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como dragão. 12 Também exercia toda a autoridade da primeira besta na sua presença; e fazia que a terra e os que nela habitavam adorassem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada. 13 E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu à terra, à vista dos homens; 14 e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da besta, enganava (a palavra poderia ser traduzida com mais exatidão: “extravia”) os que habitavam sobre a terra e lhes dizia que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia”.

No verso seguinte, que vamos ler, o tradutor resumiu para ser um pouco mais estética a tradução, porque o apóstolo João utiliza três vezes a expressão “a imagem da besta”; assim completa neste versículo; aqui na primeira vez disse a frase completa; depois disse só “imagem”, depois se referiu a ela através do artigo “a adorassem”; mas João foi totalmente explícito; João citou três vezes “a imagem da besta”. Diz Reina-valera de 1960: “15 Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.”; o que João disse no grego foi: “lhe Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta”; a palavra “fôlego”, mais exatamente é “espírito”, é a palavra “pneuma”; no sentido mais íntegro é “ infundir espírito à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse”; volta e acrescenta “para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.”; a frase final: “e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta” (Ele volta a mencionar pela terceira vez: “a imagem da besta”).

E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte, 17 para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão aquele que tivesse o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.

 Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule (a palavra é literalmente “calcule”, faça a conta) o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis”. Assim dizem os mais antigos e a maioria dos manuscritos; uns pouquíssimos manuscritos, um de Ticônio, outro do códice C e alguns outros minúsculos dizem: seiscentos e dezesseis, mas os mais antigos todos dizem: seiscentos e sessenta e seis. A razão pela qual dizem seiscentos e dezesseis é por causa de Nero; quando se diz Neron Kaiser; quando se somam as letras com seu valor numérico tanto em hebraico como no grego, Neron Kaiser , ou seja o César Nero, dá seiscentos e sessenta e seis; só que em latim não se diz Neron com n, mas se diz Nero; ao faltar a letra n, dá seiscentos e dezesseis. Por isso alguns  dos manuscritos, muito poucos, dizem seiscentos e dezesseis; quando Ireneu existia acontecia isso; porque ele é muito próximo à João, porque Ireneu foi discípulo de Policarpo, que por sua vez foi discípulo de João; já no tempo do próprio Ireneu, em seus próprios escritos, diz que algumas cópia de manuscritos erradamente diziam seiscentos e dezesseis, mas ele, que tinha falado com os que conheceram João, que foram Policarpo e Papias, ele sabia que era seiscentos e sessenta e seis. Assim dizem a maioria dos manuscritos e os mais antigos. De todas as maneiras é bom que os irmãos saibam que alguns poucos dizem seiscentos e dezesseis; certamente para adaptá-lo à codificação de César Nero em latim, porque em hebraico dá certo, em grego dá certo; em latim dá só seiscentos e dezesseis. Como Ticônio escreveu em latim, ele fez essa adaptação assim. Então, irmãos, isto era o comentário de crítica textual, crítica baixa,  não é verdade? Crítica textual, ou seja, do texto.

Relação de Apocalipse e Daniel

Agora, passemos a considerar a exegese do que estamos vendo. nos lembremos em primeiro lugar de que esta passagem se encontra na segunda parte de Apocalipse. A primeira parte apresenta o esqueleto básico, que vai do capítulo 1 ao capítulo 11; e logo, do capítulo 12 até o 22, que é a segunda parte, começa a dar os detalhes do que na primeira parte se mencionou à grandes traços. Já a besta que sobe do abismo foi mencionada no capítulo 11, na passagem  das duas testemunhas; mas pode ser que alguém ficará sem saber qual é esta besta que sobe do abismo; então na segunda parte entra já com mais detalhe a descrever esta besta. Eu tinha recomendado aos irmãos, que para que pudéssemos entender melhor Apocalipse, que estudássemos o livro de Daniel, porque as figuras que aparecem no livro do Apocalipse têm seu início em Daniel. Apocalipse é o último livro da Bíblia; não o último que se escreveu, porque realmente João escreveu primeiro Apocalipse quando estava em Patmos, e logo, quando retornou a Éfeso, escreveu o evangelho e as epístolas; mas João é o que termina toda a Bíblia. Todos os outros escritores foram anteriores a João; João foi o último escritor inspirado, e de fato o Apocalipse é o livro que culmina a Bíblia. Havemos dito que a Bíblia sem Apocalipse seria uma história sem conclusão; o Apocalipse é o que dá conclusão  à Bíblia, e tudo o que aparece em Apocalipse tem seu início no resto da Bíblia, de Gênesis até o final.

Conotações da palavra “a besta”

De maneira que este assunto das bestas, para se poder entender em Apocalipse, temos que considerar Daniel. Vocês recordam que em Daniel capítulo 7 aparecem quatro grandes bestas que saem do mar. Uma primeira besta representando ao império babilônico, aquele leão com asas de águia, os caldeus e os assírios, as duas asas do império babilônico; logo veio uma segunda besta semelhante a um urso que se elevava mais de um lado que do outro, que são os medos e os persas, porque os persas eram mais fortes que seus aliados os medos; uma terceira besta semelhante a um leopardo, o império grego, ao que lhe saíram quatro asas, porque ao morrer Alexandre o grande, ele dividiu entre seus quatros gerais o reino; e a quarta besta de Daniel 7 era uma besta terrível, que se refere ao império romano; e diz que dessa quarta besta saíram dez chifres, e no meio desses dez chifres saiu um chifre blasfemo que falava grandes coisas, que pensou em trocar os tempos e a lei, que perseguia os Santos do Altíssimo; ou seja, é o anticristo, o filho de perdição, o homem de pecado, ou a besta, como lhe chamam.

Vejamos que, quando se fala da palavra “a besta”, tem uma conotação muito mais ampla; a besta significa todo esse império, toda essa civilização, claro que encabeçada por um personagem; então sempre que falamos da besta temos que levar em conta dois aspectos: o aspecto de civilização, o aspecto de império, e necessariamente junto com os dois, o aspecto do emcabeçamento desse império; ou seja, a besta é todo o império.

Estas quatro bestas são, pois, 1) o Império Babilônico; mas lógico, o império babilônico era encabeçado por Nabucodonosor, logo por Nabonido, logo por Evil-Merodak ou por Belssazar; então o rei da Babilônia encabeçava o império babilônico; 2) o mesmo passava com o Império Persa, Ciro encabeçava o império persa, depois Cambises, depois Esmerdis Bardilla, depois Dario Hispastes, depois Xerxes, depois Artaxerxes; mas todos eles eram o rei da Pérsia; 3) o mesmo passou com a Grécia; o império grego é toda uma civilização, mas o que encarnava a direção do império grego era Alexandre o Grande, esse primeiro chifre que foi quebrado e saíram quatro em seu lugar, os quatro generais de Alexandre, que dividiram o império) o mesmo passa com o Império Romano; o império romano foi que muitos séculos; o império romano foi o que mais durou; a quarta besta de Daniel 7 era a besta mais terrível, mas os Césares: Julho César, César Augusto, Tibério, Calígula, Claudio, Nero e todos os outros que vieram depois, são o império romano. Depois veio o Papa e ocupou o lugar que antes ocupavam os imperadores, ou pelo menos pretendia a autoridade de ungi-los.

Origem do supremo pontificado de Roma

Constantino se fez cristão, transladou-se para Constantinopla, e um dos sucessores de Constantino, que se chamou Graciano, ele renunciou à coroa imperial no sentido do título religioso de supremo pontífice; o supremo pontificado da Babilônia tinha sido herdado pelos reis de Pérgamo; tinham chegado à cidade de Pérgamo onde estava o trono de Satanás; ali se adorava a serpente queue se chamava Esculápio; e logo o título de supremo pontífice, o mesmo que tinha passado da Babilônia à Pérgamo, passou ao imperador romano, e o imperador romano era o supremo pontífice; todos foram herdando. Quando o imperador Graciano, sucessor de Constantino, não imediato, recusou o título de supremo pontífice, então Dâmaso, bispo de Roma, assumiu esse título para si mesmo; de maneira que o supremo pontificado da Babilônia, que passou à Pérgamo e aos Césares de Roma, continuou através do papado; e de fato o papado romano não é hoje como era no passado; o papado foi também político. Todos os Estados Pontifícios tinham seus exércitos, pretendia nomear,  inclusive, aos reis, e inclusive, a um imperador, Henrique IV, da França, tratou de tirar-lhe a obediência dos súditos, até que o imperador teve que se humilhar ante o Papa romano, e descalço pedir perdão a Gregório VII, o Papa Hildebrando; ou seja que Roma, pelo papado e os imperadores, a prostituta sobre a besta, segue em continuação à identidade da antiga besta; e dessa quarta besta saem os dez chifres, que é a mesma situação na estátua de Daniel 2, que são os dez dedos da estátua. A cabeça de ouro corresponde ao leão, a primeira besta; os peitos de prata correspondem ao urso, a segunda besta; o ventre e as coxas de bronze da estátua, correspondem ao leopardo alado, a Grécia; e as duas pernas de ferro da estátua corresponde a Roma, uma besta horrível; mas das duas pernas de ferro saem dez dedos, mescla de ferro com barro, que se chama em Daniel um reino dividido; não é ele quem chama assim; ele recebe isso de Deus; um reino mas dividido, ou seja, a situação do que antes foi o império romano convertido agora em uma multidão de países, mas fazendo alianças entre si;  ele chama de “um reino”; ainda que sejam muitos, porque se aliarão mas não se unirão; entretanto, é um reino. Essa é a situação atual, mas que se projeta a dominar o mundo inteiro; e como na vez passada dizíamos, já no projeto da constituição do planeta terra está dividido o mundo em uma federação de dez setores, e esses dez setores conformando o governo do mundo; é um desenvolvimento.

Os Estados Unidos na profecia

Daniel nos diz que são só quatro bestas, e que depois receberão o reino os Santos do Altíssimo; ou seja que os dez chifres e o anticristo se consideram como a prolongação ou o desenvolvimento da quarta besta de Daniel capítulo 7. Quando vamos ao Apocalipse 13, o que estudamos na vez passada do verso 1 até o verso 10, vimos como todas essas coisas que caracterizavam às bestas anteriores como o leão, como o urso, como o leopardo, aparecem mescladas e sintetizadas na besta final; tinha boca de leão, tinha pés de urso, tinha corpo de leopardo; e víamos que é a influência e a síntese, o ecletismo das civilizações anteriores juntas para a parte final, para o governo final. A besta final será uma síntese de todo o humanismo, de todo a contribuição das civilizações humanas mescladas em um governo mundial; mas então a gente diz: Senhor, se nós, por tantas coisas que estão acontecendo, damo-nos conta de que seu reino está realmente perto, Israel já está outra vez em sua terra, o sistema do 666 já está bem adiantado, as coisas já estão “no ponto”, então o que acontece com o resto da civilização? Que lugar tem na profecia? Já vimos que a China tem seu lugar nos reis do Oriente; ali estão os reis do Oriente, ali está a China, pode ser Vietnã, pode ser o Japão, Camboja, o extremo Oriente; vemos que a Rússia já está lá, Europa está, o rei do sul também está, está o mundo muçulmano, inclusive o terceiro mundo associado, Venezuela associado com o mundo muçulmano através do petróleo, a OPEP; vemos o Ocidente, mas e quanto a América? Quanto aos Estados Unidos? o mundo ocidental? Será que não há lugar nenhum? Um império tão grande como o que é hoje em dia os Estados Unidos, e não tem lugar na profecia? será que Deus não sabia nada disso?

Mas olhem o que diz aqui. Estamos em Apocalipse 13:11; justo no capítulo 13. Estados Unidos da América nasceu com o número 13 desde o começo: 13 estados, as 13 estrelas, as 13 raias iniciais da bandeira; se você olhar o dinheiro dos Estados Unidos, ali aparece o selo dos Estados Unidos; aparece aquela águia com 13 flechas, com 13 plumas; o número 13 sempre identificou aos Estados Unidos; e claro que quando João escreveu, ele, pois, escreveu sem capítulos, mas quando o que ele escreveu se dividiu por seções, caiu justamente no número 13 esta outra misteriosa besta.

Então olhem o que diz aqui: “11 E vi outra besta”; além do império mundial que vem da antigüidade no oriente médio e Europa, ou seja, o velho mundo, além disso, Deus lhe mostrou outra besta. Disse-lhes no princípio que deverá se levar em conta os dois aspectos: o aspecto de império, que é o da besta, e o aspecto da liderança, que é o rei. Porque aqui vamos ver primeiro o aspecto da besta, ou seja, o aspecto imperial, o aspecto político; já mais adiante veremos que esta besta se identifica com o falso profeta.

O aspecto imperial da besta da terra

Aqui no capítulo 13, A esta outra besta com chifres de cordeiro que fala como dragão não é chamada ainda de “o falso profeta”; aqui está se falando sobre o aspecto imperial; já no capítulo 16 aparece essa trindade satânica: o dragão, a besta, e o falso profeta, que deles saíam três espíritos imundos para reunir a todos para a batalha do Armagedom; levar os reis da terra para reuní-los para pelejar contra Cristo. Já no capítulo 19 aparece outra vez o falso profeta que fazia sinais diante da primeira besta. Percebemos, pois, de que esta segunda besta que aparece aqui em Apocalipse 13 é o mesmo falso profeta; só que há um aspecto imperial, e há também um aspecto final que será encabeçado por um personagem. Assim como a besta foi muita gente, mas no final será o anticristo, uma pessoa, assim também esta outra besta é um império mas no final será uma pessoa; será como dizer: o João Batista do falso Cristo, do anticristo; como João Batista foi o que preparou o caminho à Cristo, assim o anticristo que se fará passar por Cristo de Deus e se sentará no templo de Deus como Deus, ele também tem seu precursor, que lhe prepara o caminho que é o falso profeta; mas o falso profeta está identificado com esta segunda besta que aparece aqui em Apocalipse 13.

Então vamos nos deter no que nos diz desta besta, primeiro no aspecto imperial, e olhemos se não foi assim e se agora mesmo ante nossos olhos não é assim a história. Diz: “11 E vi outra besta que subia da terra”; subia já não do mar como as outras, mas sim da terra. As pessoas que estão no mundo, as nações, são consideradas como o mar, mas o Senhor nos tira; a Igreja são os tirades do mar; e aqui aparece esta outra besta, este outro império, mas este outro império já não é o velho mundo, este outro império já não é Babilônia, já não é Pérsia, já não é o Egito, nem Assíria, anteriores a Babilônia, nem tampouco é a Grécia, nem tampouco é Roma, porque esses já estão aqui na primeira parte de Apocalipse 13; é outro império que está diante dele, associado com ele, seu aliado; são os Aliados do Ocidente; Deus o vê aqui: “E tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro, mas falava como dragão”. Vemos que esta besta era supostamente cristã; aparentemente era uma civilização cristã; as outras eram abertamente pagãs, mas aqui aparece um império que parece ser cristão, com dois chifres de cordeiro; e o que é que surgiu no Ocidente depois do desenvolvimento que houve na Europa? surgiu a Inglaterra e surgiu os Estados Unidos; isso é o que veio depois da civilização ocidental européia. O que surgiu depois deles e frente a eles, e ao lado deles, e trabalhando juntos e trabalhando agora para um governo mundial? O que surgiu? O império anglo-americano, os ingleses e os americanos; eles não são católico romanos; eles dizem que são protestantes, dizem queue são cristãos, mas essa é uma cristandade nominal, não é um verdadeiro império cristão. Os chifres são de cordeiro, mas fala como dragão, ou seja é pseudo-cristão; por isso se chama esse personagem que encabeçará a parte final “o falso profeta”. Aqui não aparece ainda como o falso profeta; aqui fala da besta; terá que se comparar com as outras bestas que sempre foram impérios, foram reino; e claro, dirigidos por uma pessoa.

Ocidente prepara a plataforma do anticristo

“12 Também exercia toda a autoridade da primeira besta na sua presença”. Aqui vemos que é outro império, outra civilização que surge frente à que havia; a que havia, a final, era Roma; depois de Roma sobrevém o reino dividido, a situação atual do Ocidente, e na presença do Ocidente surge a outra; uma frente à outra, e não brigando, não; associadas; a Aliança do Ocidente, a aliança ocidental com a América. Note como diz: “Também exercia toda a autoridade da primeira besta na sua presença”. Aí está a outra, está a Europa, está a Comunidade Européia, preparando-se já para colocar seu personagem, mas junto com eles à frente, associados, está esta outra besta, supostamente cristã, mas que fala como dragão, que tem o mesmo objetivo globalista de pôr a plataforma ao anticristo; aparece aí, “e fazia que a terra e os que nela habitavam adorassem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.”; ou seja, a primeira besta. A outra besta, a que prepara o ambiente da globalização para o anticristo, e isso não é o que vemos com nossos próprios olhos agora? de onde é que surge esse assunto do código de barras para controlar primeiro os mantimentos, as mercadorias, mas logo às pessoas? Quem são os que estão dirigindo tudo? Não é o Ocidente? Não é o Ocidente o que lidera isto? e lidera em conivência com a Europa Ocidental. Diz: “e fazia que a terra e os que nela habitavam adorassem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.”. Significa que o Ocidente, tanto a Europa como a América, é o que está preparando a plataforma do anticristo; é uma preparação; primeiro a nível que já se vê muito claro, digamos, imperial, de civilização; mas aparecerá um personagem final que dirigirá isto para o campo religioso; isto é uma mescla do econômico, do político e do religioso.

antes de que possa haver o religioso tem que haver um instrumento de coesão, porque Satanás não vai ser adorado opcionalmente, não; quem não o adorar vai perder a cabeça; mas então antes de que se possa forçar o sistema religioso, tem queue se preparar algo político; os dez chifres têm que dar autoridade à besta; este falso profeta  tem que preparar, fazer que a terra o adore; mas antes de que se possa dar o político, tem queue se dar o econômico; não se poderá comprar nem vender; ou seja, através de um acerto econômico forçarão uma unidade política, e quando já a economia forçar a política, virá o religioso; porque através da abertura econômica, através das novas realidades econômicas se necessitam entidades políticas que se adaptem à nova realidade da inter-relação econômica, da globalização; porque agora são nações. Uma coisa é o internacional, outra coisa é o global. O internacional passa ao global através do econômico; antes havia autarquias, cada nação se bastava para si mesmo, agora não; agora estão dependendo uma da outra; portanto, os estados nacionais ficaram insuficientes para controlar o governo mundial; necessita-se uma entidade mundial que se corresponda com a realidade econômica, que é a que está sendo usada para criar a plataforma política e a econômica; é a plataforma que vai criar a religiosa. Não vai se chegar ao religioso enquanto você ainda for independente econômica e politicamente. Quando já não puder ser independente no sistema globalista, aí sim as pessoas estarão prontas para serem, por coerção, obrigadas a adorar a este personagem mundial; ele não forçará nada primeiramente; a primeira metade da semana setenta são pactos internacionais.

Fogo do céu

O Senhor disse que era necessário atar o joio em molhos para queimá-los; não disse isso na parábola do trigo e o joio? Bom, o que é todo este mundo de globalismo, de abertura econômica, de inter-relação, de transferência eletrônica de recursos, etc., pactos de comércio, o Alca? Podemos pôr um montão de nomes; esse é o joio sendo atado em molhos para ser queimado. Então essa é a primeira parte; a primeira parte é econômica, a segunda parte é política; uma vez que controlem a subsistência das pessoas, já vão ser obrigados a adorar religiosamente; porque o Senhor é adorado voluntariamente, e Ele não quer o que não seja voluntário; mas o diabo não, ele quer obrigar a ponto da morte, não é assim? Assim está fazendo o diabo. Então olhem o que diz no verso 13:

“13 E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu à terra, à vista dos homens”. Os homens ficam assustados pelo poderio do fogo do céu que tem esta outra besta, esta segunda besta com chifres de cordeiro; dizendo-se civilização cristã; até os presidentes são protestantes; mas fala como dragão; tudo vai, não segundo a Bíblia, mas segundp à globalização do anticristo; não viram aqui? “E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu à terra, à vista dos homens”. Quem são os que controlam as nações com fogo do céu? Como parou a segunda guerra mundial? Quem foi o que pôs  bombas em Hiroshima e Nagasaki? Não foi América?  E aí venceram; todo mundo dizia, o que vamos fazer? Não podem nos dar trabalho e nos acabam. Quem entrou no Panamá, ou em Granada, ou na Líbia? Ou no Afeganistão? Ou em qualquer outra parte com fogo do céu? Sempre é a América. América é a que faz descender fogo do céu, e todo mundo fica atemorizado. Iraque, quem o fez? A América do Sul? Se olharmos a história onde há outro império que seja pseudo-cristão e que tenha a mesma autoridade que tem a Europa, e que faz descer fogo do céu? Onde há outro? Busque-o em outra parte, onde há? Não há outro; temos que ver à luz da história.

antes de que as coisas acontecessem, lógico que havia cumprimentos tipológicos, sempre foi assim; as profecias de Daniel foram cumpridas parcialmente, tipológicamente, por Antíoco Epifanes; mas logo Jesus tomou e as pôs para o futuro; de onde Antíoco Epifanes foi somente uma figura, a besta que era, mas não é e será; ou seja que a verdadeira já não é a tipología, a não ser a definitiva; vem depois, no final.

Adiantamentos tipológicos da besta

De maneira que sempre há um adiantamento tipológico. Notem que Nabucodonosor também fez uma grande estátua de seu deus Marduk, e fez que todo mundo a adorasse, e o que não a adorasse, morria; e queriam que Daniel a adorasse, e queriam que também o fizessem esses três jovens amigos de Daniel. Bom, isso é uma figura; já desde o começo quis fazer uma imagem da besta para ser adorada; ainda no tempo quando João escreveu isto, já esse mesmo espírito tratava de fazer isso; ou seja, quando o diabo quer chegar a algo, ele tenta fazer fora de tempo e se cumpre parcialmente algo; não é o definitivo, é sua primeira intenção.

Note que Nero foi o primeiro 666; e como Nero se suicidou, os historiadores da época de Nero, diziam que não havia se suicidado, e que ia voltar outra vez, e falavam de Nero redivivo, ou seja revivido, e diziam que Domiciano, que era César no tempo de João, era esse Nero revivido; e assim como houve esse Nero revivido, os imperadores colocavam uma estátua de si mesmos e se faziam adorar; e o sacerdócio pagão era o que colocava essas estátuas em todas as cidades do império romano, especialmente na Ásia Menor, especialmente em Esmirna, e faziam adorar ao imperador através da estátua. Já estamos vendo esse mesmo espírito, querendo fazer as coisas através de uma estátua física; a fez primeiro Nabucodonosor, fez também Nero e Domiciano; em outra época, Antíoco Epifanes colocou a estátua de si mesmo; ele disse ser Theo Epífanes, ou seja, ele disse que ele era Júpiter Olímpico; fez uma estátua dele e a pôs no Lugar Santo do templo em Jerusalém e fez sacrificar porcos no altar do templo santo. Não recordam que assim diz a história?

Os dois chifres de cordeiro

Significa que o final já teve seus cumprimentos típicos; por isso quando lemos estes capítulos podemos ver a parte tipológica; mas na parte tipológica não terminou tudo. Se você olhar o tempo atual, o tempo atual se ajusta à profecia, inclusive mais que os cumprimentos tipológicos, amém, irmão?  Você encontrou algum outro império depois dos impérios europeus? Começaram por lá os impérios no Egito, esse é o norte da África; Assíria, é na Ásia; Babilônia é na Ásia; Pérsia é na Ásia;  cada vez vão se aproximando mais, mas a Grécia já é a Europa; Roma já é a Europa. Mas depois disso você viu na história levantar-se algum outro império além dos europeus, que são os últimos? Não há outro, irmão, não há outro, a não ser a Inglaterra e Estados Unidos da América; dois chifres de cordeiro, porque são civilizações que se disseram cristãs. Os ingleses fizeram uma oferenda para comprar o códice sinaítico; é um país cristão que se interessa pela Bíblia; no princípio se apoiaram na Bíblia, mas agora o mesmo príncipe é ocultista. No princípio os Estados Unidos começou com os tripulantes do Mayflower; o navio Mayflower. Foram 52 famílias de peregrinos, os pais originais que fugiam das guerras de religião na Europa, e vieram aos Estados Unidos e fundaram uma nação cristã para que houvesse liberdade; mas prestem atenção em que depois não vai haver liberdade, mas cresceu com o cristianismo. Estados Unidos chegou a ser uma potência do Ocidente pelo Cristianismo; seu poder foi cristão; por isso seus chifres são de cordeiro, mas resulta falando como dragão, resulta em acordo com Satanás.

Roma: a besta que foi ferida

Apocalipse 16 diz que da boca do dragão, a besta e o falso profeta saíam três espíritos imundos para reunir os reis da terra e reuní-los para a batalha do Armagedom; e os quais dirigiam isto? o dragão, a besta e o falso profeta. Significa que o Ocidente está sendo dirigido por Satanás para a globalização, para a plataforma de seu filho da perdição, o anticristo. Quem está trabalhando? América e Europa, e mais a América; porque se você falar de ti mesmo quem te vai acreditar? Mas foi João Batista o que falou de Jesus, e assim é o falso profeta o que fala da besta, e aparece aqui no verso 14: “14 e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da besta, enganava os que habitavam sobre a terra, (não é a mesma besta, é outra besta, é outro império, mas associado, trabalhando em comum acordo; a Aliança do Ocidente, a Aliança Atlântica) mandando aos moradores da terra (notem) que façam imagem à besta que tem a ferida de espada e viveu.” Nos versos 12 e 14 diz que agora é a besta a que tinha a ferida de espada e viveu. Quando lemos a primeira parte, era uma das cabeças que foi ferida, mas agora é a última besta a que foi ferida. por que? porque o Egito não foi ferido, nem Assíria, nem Babilônia, nem Pérsia, nem Grécia; mas Roma sim foi ferida; a Roma pagã caiu e foi substituída pela Roma sacra e papal; o que era o império romano pagão chegou a ser o sacro império romano com os imperadores cristãos com Carlo Magno, a dinastia carolíngia,  Carlos V, etc. com os Papas; e então essa besta, no princípio, quando lhe descrevia, era uma das cabeças; ou seja, o império romano que era uma das partes da civilização humana; uma dessas cabeças era o império romano, mas agora é a última, porque depois de Roma não há outro.

Mas Roma tem um servidor que Daniel não nos havia dito isso, mas nos disse Deus por João; sem tirar a outra besta, nos mostrou seu servo; já sabemos quem está servindo à globalizalção, e olhem onde leva as coisas: “engana os moradores da terra com sinais que lhe permitiu fazer”. Se no econômico e no político é assim, imaginem no religioso; imagine a confusão religiosa, imagine o ecletismo, imagine a fusão, através da nova era, de todas as religiões e todas as confissões; imagine isso. Porque aqui leva não só a comprar e a vender, mas também a adorar; pois aqui está misturado o religioso com o econômico e com o político.

O papel da ONU

e lhes dizia que fizessem uma imagem à besta”. Claro que em um primeiro sentido uma imagem pode ser algo físico; a imagem que fez Nabucodonosor foi uma imagem física de seu deus Marduk; e fazia que todos os súditos do império adorassem à imagem; foi físico; Antíoco Epifanes também fez uma imagem de si mesmo e se chamou Júpiter Olímpico e a pôs no templo de Jerusalém e o profanou; também foi algo físico; os imperadores romanos também faziam a estátua  deles mesmos e mandavam que fossem adoradas, mas não somente isso é uma imagem. A palavra imagem abrange muitas coisas e não podemos apenas dar somente um significado à palavra imagem; a palavra imagem não é só algo físico; sem negar que pode haver algo físico, sem negar isso, terá que se deixar mais espaço para entendimento da palavra “imagem”. O que é uma imagem? Uma imagem é uma representação, e esta besta mundial é o império mundial que abrange toda tribo, língua e nação; por isso é mundial; tem uma representação, não só física, não só material.

Onde está representada a civilização atual hoje? Onde se tomam as decisões globais hoje? Nas Nações Unidas; as Nações Unidas são a representação de todas as nações do mundo, e todas as medidas de tipo global se tomam nas Nações Unidas. O que são as Nações Unidas? A representação de todo o mundo, do sistema global; por isso os Estados Unidos não quer fazer as coisas sozinho, sempre procura aliados Através da ONU; se a ONU der o requisito, eles atuam em nome da ONU; mas fixem-se em como esta imagem serve à besta, se dão conta? E como a outra besta, a de chifres de cordeiro, também serve à besta. No fim, toda organização econômica, política, religiosa mundial, tudo vai servir ao diabo e ao anticristo, tudo. Isso é o que está acontecendo agora, olhe por onde você o olhar; no religioso, no político, no econômico, tudo está se unificando e globalizando para que haja um governo luciferiano mundial. Todos lhe servem; servem-lhe o Ocidente, serve-lhe a ONU, ele quer que todo mundo entre nesse culto.

Antes você trabalhava e lhe davam seu dinheiro, agora não; agora o põem em um banco, e te dão um cartão para que outro administre o seu dinheiro. Sabem o que aconteceu na Argentina? Com um só decreto as pessoas ficaram sem direito de usar suas economias; um só decreto do Presidente fez o curralzinho financeiro, e tudo o que você ganha, que é dele, você não o tem, não pagam a você, pagam a um sistema, e você o retira aos pouquinhos; mas realmente eles são os que trabalham com seu dinheiro; um só decreto fez que as pessoas não tivessem acesso ao que era deles, por que? porque Satanás está criando uma situação econômica para controlar. Pelo que ele mais teme é da gente independente, a pessoas que acreditam em Deus, a pessoas que não precisam depender do sistema; isso é o que eles não querem. Fazem todo o possível para controlar, controlar e controlar cada vez mais. Teremos que estar em alerta e não nos deixar enredar nessa rede, porque diz a Bíblia que haverá uma rede; mas que o justo passará. Rede foi desdobrada aos nossos passos, diz a Bíblia: o ímpio tende a rede, mas o justo passa de largo. Oxalá passemos de largo diante desta rede que o diabo já tem bem desdobrada.

Infusão de espírito à imagem da besta

“15 Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta”. Se tomarmos no sentido físico, sempre o ocultismo usou as estátuas, as figuras para que os demônios atuem; até uma estátua de uma virgem que chora e um montão de coisas, não é verdade? Sempre foi normal no ocultismo. Não diz São Paulo em 1ª Coríntios 10 que os que adoram os ídolos, adoram aos demônios? A mesa dos ídolos se chama mesa dos demônios; ou seja que os demônios usam a idolatria; lógicamente que há uma idolatria física. Essa palavra imagem é a que aparecia na moeda. Quando perguntaram ao Senhor se era lícito dar tributo à César, ele disse: me dêem uma moeda, e perguntou: De quem é esta imagem? Ou seja, a imagem era uma imagem do imperador mas que estava na moeda, e aqui vemos também a moeda sendo utilizada; ou seja o dinheiro, já não vai ser o dinheiro de moedas e notas. Antes era a troca, logo se fez que o sal fosse a moeda, depois, o cobre, logo o ouro, depois os cheques, o papel moeda, agora são os cartões de crédito, até que por fim vai ser a marca da besta; muito prático porque já não lhe podem assaltar nem te levar ao caixa para tirar o dinheiro, mas sim cada qual vai ser obrigado a levar essa marca na frente, ou na mão direita; vai ser algo físico que tem um sentido espiritual e uma aplicação mais ampla.

Uma mão marcada é algo físico, a frente marcada é algo físico; mas o que representa essa marca? A palavra do grego que se traduz marca é Charagma, com a mesma letra com que se escreve Cristo; essa palavra aplicava ao selo onde aparecia o rosto do imperador; ou seja que ter a fronte marcada embora seja algo físico, representa que seu pensamento concorda com o espírito globalista satânico do anticristo. Que sua mão esteja marcada pode que seja algo físico, que através de uma pequeno chip eles podem seguir por satélite, e o satélite pode dar a ordem de te matar; isso já existe; então também significa que seu trabalho, seu trabalho, pertence ao anticristo; está vivendo para o diabo, para o sistema; como os antigos israelitas fazendo tijolos para faraó, agora é fazendo tijolos para o anticristo, pensando como ele e trabalhando para ele; eles cada vez estão dominando mais às pessoas.

Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse”. Se for, e será uma parte, digamos a parte física, será um milagre ocultista como já aconteceram milagres em outras épocas; milagres de estátuas falando, vírgens chorando e sangrando e todas essas coisas, mas também no sentido mais amplo, ou seja na imagem, na representação do globo estão as ordens; ali se dá a ordem para que aquele que não se submeter à globalização, simplesmente morra.

A marca da besta

Já lhes contei a outra vez que vi uma notícia no Tempo, de Remará, que traziam para a Colômbia um navio cheio de guilhotinas, mas não para cortar papel, mas para cortar cabeças. O que faziam vindo guilhotinas para a Colômbia? Eu acredito que o que a guerrilha pede são metralhadoras; mas quem pedirá guilhotinas? Tiveram-nas que jogar ao mar porque estavam por afundar; mas vejam que é uma notícia que saiu na época; numa equena coluna jornalística, mas fala muito. “e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.”; os que não adorasse à imagem da besta, ou seja, a essa representação do império mundial; dá a ordem de matar ao que não se submeter.

“16 Y E fez que a todos, (todos, aqui nem os grandes milionários ficam fora, inclusive eles estão colaborando) pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal (um Charagma, ou seja um selo de propriedade) na mão direita, (na física, mas que representa seu trabalho, para quem trabalha) ou na fronte; (como pensa, e também fisicamente) 17 para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão aquele que tivesse (três coisas ou uma das três) o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome”. São três coisas que teremos queue levar em conta: a marca, é o Charagma, o selo; o nome ou o número; que ninguém pudesse comprar nem vender, Se dão conta? É o controle da economia. Aqui primeiro veio Makro da Holanda, e no começo só podia comprar e vender o que tivesse o cartão; claro, como ninguém comprava, então agora abriram venda sem cartão; mas isso mostra qual é o espírito, se dão conta? Agora se fazem propaganda na televisão: Olhem, estão fazendo fila? por que você está pagando com dinheiro? por que não paga com cartão? mas com cartão também se terá que fazer fila; isso é pura mentira; preparando totalmente as pessoas para que não controlem suas próprias coisas, e sabe porque? as pessoas aceitam; ai eles atropelam, e se ninguém protesta, seguem atropelando.

Eu recordo quando lá nos Seguros Sociais e no INTRA começaram a dizer que já não vão pagar mais a ti, mais vão  te dar uma conta no banco e te dão um cartão; somente houve na época duas pessoas que protestaram; no Seguro foi Alejandro Pacheco, que depois saiu daí, e no INTRA, a doutora Amparito; ela disse: me pagam com dinheiro como sempre, eu não tenho que ir e vir ao banco, perdendo tempo; me pagam no escritório; e ela conseguiu que lhe paguassem com dinheiro; ela fez isso; mas outros, inclusive os cristãos, não fizeram; porque e se me expulsarem, e depois não me pagarem? e é assim que o diabo vai tomando passos atropelados; ele atropela, e isso vai  fazer com que ninguém possa comprar nem vender. No mundo econômico, as lojinhas, mercadinhos, vendinhas estão se acabando, e tudo é através de grandes supermercados e de grandes coisas, e logo já não será com dinheiro, mas com transferência eletrônica de recursos que agora está em cartões mas daí passa à marca; através da marca, simplesmente passa a mão e um scanner e aparecem todos os teus dados e aparece sua conta corrente, então aí se tira do teu e se transfere ao supermercado. Parece muito prático, não é verdade?  Mas o que receber a marca não terá repouso de dia, nem de noite, e terá úlceras; a bateria que se usa para os chips, produz úlceras, e a Bíblia diz que quem tem essa marca terá úlceras. Que bom que o Senhor nos avisou de todas estas coisas; as coisas que devem acontecer logo. “para que ninguém pudesse comprar ou vender”. É bom ter coisas, como pés de manga, como uma pequena horta, como poços artesianos, como pequenas propriedades; porque se não puder comprar, pode comer; isso é o que eles não querem, e cada vez as leis vão tratar de impedir que você possa ter algo em que possa ser independente de seu sistema, mas nós já sabemos, temos que procurar ser o mais independentes do sistema que possamos; que Deus nos ajude; Ele nos guardará.

Seu número será 666

“18 Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule (terá que contar; a palavra é “calcule”, ou seja, com contas, a palavra vem de “pedras”; antes se contava com pedras, assim como os chineses contam com bolinhas, os ábacos, não é verdade? Então esse é o verbo que se usa aqui; terá que se contar, terá que se fazer a conta, não aparece aberta, terá que calculá-la) o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis”. Este será o número final que identificará o nome dessa pessoa. Na história várias pessoas apareceram já com este número; são os cumprimentos típicos; não é o cumprimento definitivo. Pessoas que estão nessa linha; o primeiro: Nero César, porque sempre o nome dos imperadores era com o César, é 666; mas os títulos que depois teve o papado e que até hoje tem o papado, também dão 666; inclusive no princípio do império romano. Dizia Ireneu que era o reino latino, porque ele identificou essa quarta besta; é o reino latino, e a palavra latinos se diz: lateinos. Ireneu fez o cálculo, lateinos 666; o aplicou a Roma, ao Império Romano, ao papado, vicarius filii dei é 666, logo também diclvx 666; ordinarius ovilis cristi pastor, todos são títulos papais também dão 666; ou seja que o 666 sempre esteve no império romano; tei tão, que esse era outro nome que eles tinham, dá 666; agora, o código de barras dá 666; esses dois numerous pequenos mais larguinhos são 666, por que? porque é do sistema sexagesimal dos sumérios; os sumérios não eram decimais, eles trabalhavam com o 6, tudo eles contavam em 6, e esse sistema é o que se utiliza agora em computadores e tudo, e por isso aparece o 666, ou seja, que o 666 está aparecendo por muitas partes, porque certamente há um anticristo definitivo; mas disse João: “Filhinhos, esta é a última hora; e, conforme ouvistes que vem o anticristo, já muitos anticristos se têm levantado; por onde conhecemos que é a última hora” (1ª João 2:18). Isso significa que há um definitivo final e há outros que trabalham sob esse mesmo espírito, que estão nessa mesma onda. Terá queue se seguir analisando os personagens finais; todos os personagem que apareça na Europa querendo governar, todos os que queiram trabalhar em pró de algo mundial, devemos fazer a análise, lendo seus números, porque o Senhor nos deu isto para com entendimento calcularmos. Temos que estar alertas; tudo o que pareça global, ecumênico, interbancário, intereconômico, interpolítico; de todas as coisas que são joio atado em molhos, teremos que fugir. Diz Provérbios 1:17: “Pois debalde se estende a rede à vista de qualquer ave”. Significa que se a ave ver que estão colocando a armadilha, não vai passar ali; então que o Senhor nos abra os olhos para que se o ímpio arme a rede, nós passemos de largo.

Valor numérico das letras

As letras têm valor numérico; no hebraico, cada letra tem seu valor numérico; por exemplo Alef, é o número 1, Bet, é o número 2, Guimel é o número 3, Dálet é o número 4, Hei é o número 5. Também no grego cada letra tem um valor: Alfa é o 1, Beta é o 2, Gama é o 3, Delta é o 4, Epsilon é o 5; tão logo chega aos 10, passa dos 10 aos 20, do 30 aos 40, aos 50, até o 100; logo vai de 100 aos 200, aos 300. Vocês podem ver aqui comigo no Salmo 119; o Salmo 119 é um salmo onde aparecem as letras hebraicas; inclusive se você tiver um lápis ou uma caneta, à frente da letra, ponha o valor numérico. No Salmo 119 você vê que diz: Alef, então coloque o 1, isso vale 1; depois Bet, vale 2; depois Guimel vale 3; o Salmo 119 está dividido em 22 seções que são as 22 letras do alefato hebreu; diz-se alefato porque começa pelo Alef. Em grego se diz alfabeto porque começa com Alfa; em espanhol se diz alfabeto porque começa A, b, c, d. Salmo 119: alef vale 1, bet vale 2, guimel vale 3, dálet vale 4, hei vale 5, vau, a letra vau é como uma vírgula larga, essa vale 6; e vocês vêem na Internet www, o duplo v, é a letra vau, 666; na Internet www ponto tal, vau, vau, vau, 666.

Vocês vêem o baloto ( símbolo de uma lotérica), está uma mão assim: um seis, outros seis e o outros seis. O 6 aparece por muitas partes. Zain vale 7, jato vale 8, tet vale 9; yod, essa é a j que é como um apóstrofo, que é a letra menor, essa vale 10; depois de yod vem caf que é a k, vale 20; depois lambam vale 30, mem 40, nun 50, sámec 60, ayin 70, p 80, tsade 90, cof 100, resh 200, sem 300 e tau 400. A palavra Roma em hebraico se diz Romiti, e também dá 666; Nero César: 666.

Irmãos, até o Bill Gates dá 666. Isto é para estar completamente alertas.

Irmãos, hoje o irmão Richard escutou a notícia de que hoje o primeiro homem já fez mercado com o chip na mão direita, essa é a notícia de hoje. Também clonaram a primeira mulher e a chamaram Eva.

vamos fazer o exercício : Roma se escreve em hebraico com as letras resh, vau, mem, yod, tau e yod; agora escrevamos seu respectivo número: Resh, 200; vau, 6; mem, 40; yod, 10; tau, 400, e yod 10, total 666. Se dão conta como se faz? Cada letra tem um valor numérico, Roma é Romiti. busca-se cada letra com seu equivalente em número, ou seja que se calcula, somando.

Façamos outro exercício com o Vicarius Filii Dei. Vicarius: A letra v vale 5 em latim, o i vale 1, a c vale 100, o outro i 1, o outro v, 5; isso soma 112. Filii: o primeiro i vale 1, a l, 50; outros dois i, 2; isso soma 53; 112 mais 53 são 165. Dei: o d vale 500, e o i, 1. Total 666. E Diclvx é outro dos títulos que usam também em Roma, e dá 666, de acordo ao valor numérico de cada letra.

encontrou-se em hebraico, em caldeu, em grego, em latim, porque são as letras que têm valor numérico; você as contas e te dá exatamente; até o nome do Bill Gates aparece com 666. É um personagem misterioso norte-americano que está pagando vacinas.
Irmãos, vamos parar aqui. Oremos. ?

Continua com: As primicias.



Versão da Bíblia usada na tradução para o português JFA RA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário