sábado, 16 de abril de 2022

Aproximação ao Apocalipse 84- APÊNDICE PEQUENO APOCALIPSE SINÓTICO

 

Aproximação ao Apocalipse (84)

 

 

APÊNDICE

 

PEQUENO APOCALIPSE SINÓTICO

 

 

 

RESPOSTA DE JESUS DE NAZARÉ A SEUS DISCÍPULOS NO MONTE DAS OLIVEIRAS

DOIS DIAS ANTES DA PÁSCOA.

 

 

 

1. Quando Jesus saiu do templo e se ia, aproximaram-se seus discípulos para lhe mostrar os edifícios do templo. Saindo Jesus do templo, disse-lhe um de seus discípulos: - mestre, veja que pedras, e que edifícios! - E a uns que falavam de que o templo estava adornado de formosas pedras e de oferendas votivas, Jesus respondendo lhes disse: - veem tudo isto? Vê estes grandes edifícios? Quanto a estas coisas que veem, de certo lhes digo: dias virão em que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada, que não seja destruída.

 

2. E se sentou no monte das oliveiras, frente ao templo. E estando Ele sentado no monte das oliveiras, os discípulos Pedro, Tiago, João e André se aproximaram à parte, e à parte lhe perguntaram dizendo: - Mestre, nos diga quando será isto? Quando serão estas coisas e que sinal haverá quando estas coisas estejam para cumprir-se e tenham que acontecer? Que sinal terá da Sua vinda e do fim do século?

 

3. respondendo então Jesus, começou a lhes dizer: - vejam que ninguém vos engane; vejam que não sejam enganados; porque virão muitos em meu nome dizendo: -eu sou o Cristo- e - o tempo está perto -, e enganarão a muitos; mas não vão após eles.

 

4. E ouvirão de guerras e rumores de guerras; mas quando ouvirem de guerras e de rumores de guerras e de rebeliões, vejam que não vos assusteis, não se alarmem; porque é necessário que aconteça assim, que todas estas coisas primeiro aconteçam; mas o fim não será imediatamente; ainda não é o fim.

 

5. Então lhes disse: - porque se levantará nação contra nação, e reino contra reino; e haverá grandes terremotos em muitos diferentes lugares, e haverá em diferentes lugares fomes, pestes e pestilências, e alvoroços, e haverá terror e grandes sinais do céu. E tudo isto será o princípio das dores; princípios de dores são estes.

 

6. Mas antes de todas estas coisas vos lançarão mão, e vos perseguirão; mas vejam por vós mesmos, porque vos entregarão às sinagogas, aos concílios e aos cárceres, e nas sinagogas vos açoitarão; e serão levados ante reis e ante governadores por causa de meu nome; e diante de governadores e de reis vos levarão por causa de mim para testemunho a eles. E isto lhes será ocasião de dar testemunho. E é necessário que o evangelho seja pregado antes a todas as nações.

 

7. Mas quando vos trouxerem para vos entregar, não se preocupem com o que têm que dizer, nem pensem; proponham em seu coração não pensar antes como têm que responder em sua defesa; porque Eu lhes darei palavra e sabedoria, a qual não poderão resistir, nem contradizer todos os que se oponham. Somente o que for dado naquela hora, isso falem; porque não sois vós os que falam, mas o Espírito Santo.

 

8. Mas sereis entregues ainda por seus pais, e irmãos, e parentes e amigos; e o irmão entregará à morte ao irmão, e o pai ao filho; e se levantarão os filhos contra os pais, e os matarão; e matarão a alguns de vós. Então lhes entregarão a tribulação e lhes matarão. E serão odiados de todos, de todas as nações por causa de meu nome. Mas nem um fio de cabelo de sua cabeça perecerá. Com vossa paciência ganhareis as vossas almas. Muitos tropeçarão então, e se entregarão uns aos outros, e uns aos outros se trairão.

 

9. E muitos falsos profetas se levantarão e enganarão a muitos; e por haver se multiplicado a maldade, o amor de muitos se esfriará. Mas o que perseverar até o fim, este será salvo. E será pregado este evangelho do reino em todo mundo, para testemunho a todas as nações; e então virá o fim.

 

10. Mas, portanto, quando virem no lugar santo a abominação desoladora de que falou o profeta Daniel posta onde não deve estar (que lê entenda), e quando virem Jerusalém rodeada de exércitos, saibam que sua destruição chegou; então os que estiverem na Judéia fujam aos Montes; e os que estiverem no meio da casa, fujam; e os que estiverem nos campos não entrem na casa. quem estiver no terraço, não desça à casa, nem entre para tomar algo de sua casa; e o que estiver no campo não volte atrás para tomar sua capa. Porque estes são dias de retribuição, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas. Mas ai! Das que estiverem grávidas, e das que amamentam naqueles dias, porque haverá grande calamidade na terra e ira sobre este povo. E cairão a fio de espada, e serão levados cativos a todas as nações; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se cumpram. Orem, pois, que sua fuga não seja no inverno, nem em dia de repouso, porque aqueles dias serão de tribulação.

 

11. Haverá então grande tribulação, qual nunca a houve desde o começo da criação que Deus criou até este tempo, desde o começo do mundo até agora, nem a haverá. E se o Senhor não tivesse abreviado aqueles dias, se aqueles dias não fossem abreviados ninguém seria salvo; mas por causa dos escolhidos que Ele escolheu, abreviará aqueles dias; aqueles dias serão abreviados.

 

12. E disse a seus discípulos: - Tempo virá quando desejarão ver um dos dias do Filho do Homem, e não o verão. E lhes dirão: ei-lo aqui, ou ei-lo ali. Não vão, nem os sigam. Então, se alguém vos disser: - vejam, aqui está o Cristo;- ou: - vejam, ali está,-  não creiam. Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios, para enganar, e de tal maneira enganarão, se fosse possível, ainda aos escolhidos. Mas vejam, já vos disse isso tudo antes. Assim se vos disserem: - vejam, está no deserto,- não saiam; ou: -vejam, está nos aposentos,- não creiam. Porque como o relâmpago que ao fulgurar resplandece de um extremo do céu até o outro, que sai do oriente e se mostre até o ocidente, assim será também a vinda do Filho do Homem em Seu dia.  Mas primeiro é necessário que padeça muito, e seja descartado por esta geração.

 

13. Mas naqueles dias, e imediatamente depois da tribulação daqueles dias, então haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas, e na terra angústia das nações, perplexas por causa do bramido do mar e das ondas; desfalecendo os homens pelo terror e a expectativas das coisas que sobrevirão na Terra; o sol se escurecerá, e a lua não dará seu resplendor, e as potências que estão nos céus serão abaladas, e as estrelas cairão do céu.

 

14. Então aparecerá o sinal do Filho do Homem no céu, e então lamentarão todas as tribos da Terra, e então verão o Filho do Homem que virá em uma nuvem, vindo sobre as nuvens do céu com grande poder e grande gloria. E então enviará seus anjos com grande voz de trombeta, e juntarão a seus escolhidos dos quatro ventos, de um extremo do céu até o outro, do extremo da terra até o extremo do céu. Quando estas coisas começarem a acontecer, erguei-vos e levantem sua cabeça, porque sua redenção está perto.

 

15. Também lhes disse uma parábola: - Aprendam a parábola da figueira. Vejam a figueira e todas as árvores. Quando já brotam, vendo-as, saibam por vós mesmos que o verão está perto. Quando já seu ramo está tenro, e brotam as folhas, sabeis que o verão está perto. Assim também vós, quando virem que sucedem todas estas coisas, saibam que está perto das portas; saibam que está perto o reino de Deus. De certo lhes digo que não passará esta geração até que tudo isto aconteça. O céu e a terra passarão, mas minhas palavras não passarão.

 

16. Olhai também por vós mesmos, que seus corações não se carreguem de gulodices e embriaguez e dos afãs desta vida, e venha de repente sobre vós aquele dia. Porque como um laço virá sobre todos os que habitam sobre a face de toda a terra. Vigiem, pois, em todo tempo orando que sejam tidos por dignos de escapar de todas estas coisas que virão, e de estar em pé diante do Filho do Homem.

 

17. Mas daquele dia e da hora ninguém sabe, nem ainda os anjos dos céus que estão no céu, nem o Filho, mas somente o Pai, meu Pai. Vejam, vigiem e orem; porque não sabeis quando será o tempo. É como o homem que indo para longe, deixou sua casa, e deu autoridade a seus servos, e a cada um sua obra, e ao porteiro mandou que vigiasse. Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o Senhor da casa, se ao anoitecer, ou à meia noite, ou ao canto do galo, ou à manhã; para que quando vier de repente, não lhes ache dormindo. E o que a vós digo, a todos o digo: vigiem.

 

18. Mas como foi nos dias de Noé, assim também será nos dias da vinda do Filho do Homem. Porque como nos dias antes do Dilúvio estavam comendo e bebendo, casando-se e dando-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e não entenderam até que veio o Dilúvio e os levou a todos, assim será também na vinda do Filho do Homem.  Comiam, bebiam, casavam-se e se davam em casamento, até o dia que entrou Noé na arca, e veio o Dilúvio e os destruiu a todos. Deste modo como aconteceu nos dias de Ló; comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam, edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre, e os destruiu a todos. Assim será o dia em que o Filho do Homem se manifestar. Naquele dia, quem estiver no terraço, e seus bens em casa, não desça a tomá-los; e quem estiver no campo, deste modo não torne atrás. Lembrai-vos da mulher de Ló. Todo o que procurar salvar sua vida, perdê-la-á; e todo o que a perder, a salvará.

 

19**. Digo-lhes que naquela noite estarão dois em uma cama; um será tomado, e o outro deixado. Duas mulheres estarão moendo juntas em um moinho; uma será tomada, e a outra deixada. Então dois estarão no campo; um será tomado, e o outro deixado.-  e respondendo lhe disseram: onde, Senhor?  Ele lhes disse: - Porque onde estiver o corpo morto, ali se juntarão também os abutres. Vigiem, pois, porque não sabeis a que hora tem que vir seu Senhor. Estejam cingidos seus lombos, e suas lâmpadas acesas; e sedes semelhantes a homens que aguardam que seu senhor retorne das bodas, para que quando chegar e chamar, abram-se em seguida. Bem-aventurados aqueles servos aos quais seu senhor, quando vier, achar vigiando; de certo lhes digo que se cingirá, e fará que se sentem à mesa, e virá a lhes servir. E embora venha à segunda vigília, e embora venha à terceira vigília, se os achar assim, bem-aventurados são aqueles servos. Mas saibam isto, que se o pai de família soubesse a que hora vem o ladrão, velaria certamente, e não deixaria minar sua casa. Portanto, também vós estejais preparados; porque o Filho do Homem virá à hora que não pensam.

 

20**. Então Pedro lhe disse: - diz esta parábola a nós, ou também a todos? - E disse o Senhor: -Quem é, pois, o servo mordomo fiel e prudente, ao qual pôs seu senhor, e porá, sobre sua casa para que lhes dê o alimento a tempo, para que a tempo lhes dê sua ração? Bem-aventurado aquele servo ao qual, quando seu senhor vier, o ache fazendo assim. Na verdade, de certo lhes digo que sobre todos seus bens lhe porá. Mas se aquele servo for mal e disser em seu coração: meu senhor demora a vir; e começar a golpear os criados e às criadas, seus conservos, e ainda a comer, beber e embriagar-se com os bêbados, virá o senhor daquele servo no dia em que este não espera, e à hora que não sabe, e o castigará duramente, e lhe porá com os infiéis; porá sua parte com os hipócritas; ali haverá choro e ranger de dentes. Aquele servo que conhecendo a vontade de seu senhor, não se preparou, nem fez conforme a sua vontade, receberá muitos açoites. Mas o que sem conhecê-la fez coisas dignas de açoites, será açoitado pouco; porque todo aquele a quem se deu muito, muito lhe demandará; e ao que muito se haja confiado, mais se lhe pedirá.

 

21**. Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que tomando suas lâmpadas saíram a receber o noivo. Cinco delas eram prudentes e cinco insensatas. As insensatas, tomando suas lâmpadas, não tomaram consigo azeite; mas as prudentes tomaram azeite em suas vasilhas, junto com suas lâmpadas. E demorando o noivo, cochilaram todas e dormiram. E à meia-noite se ouviu um clamor: aqui vem o noivo; saiam a receber-lhe!  Então todas aquelas virgens se levantaram, e arrumaram suas lâmpadas. E as insensatas disseram às prudentes: nos deem de seu azeite, porque nossas lâmpadas se apagam. Mas as prudentes responderam dizendo: para que não falte a vocês e a nós, vão aos que vendem, e comprem para vocês mesmas. Mas enquanto elas foram comprar, veio o noivo; e as que estavam preparadas entraram com ele às bodas; e se fechou a porta. Depois vieram também as outras virgens, dizendo: Senhor, senhor, abre-nos!  Mas ele respondendo disse: de certo lhes digo, que não lhes conheço. Vigiem, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do Homem tem que vir.

 

22. Porque o reino dos céus é como um homem que indo para longe, chamou a seus servos e lhes entregou seus bens.  A um deu cinco talentos, e a outros dois, e a outro um, a cada um conforme a sua capacidade; e logo se foi longe. E o que tinha recebido cinco talentos foi e negociou com eles, e ganhou outros cinco talentos. Deste modo o que tinha recebido dois, ganhou também outros dois. Mas o que tinha recebido um foi e cavou na terra, e escondeu o dinheiro de seu senhor. Depois de muito tempo veio o senhor daqueles servos, e tomou contas com eles. E chegando o que tinha recebido cinco talentos, trouxe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, cinco talentos me entregou; aqui tem, ganhei outros cinco talentos sobre eles. E seu senhor lhe disse: Bem, servo bom e fiel; sobre pouco fostes fiel, sobre muito te porei; entra no gozo de seu senhor. Chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, dois talentos me entregastes; aqui tem, ganhei outros dois talentos sobre eles. Seu senhor lhe disse: Bem, servo bom e fiel; sobre pouco fostes fiel, sobre muito te porei; entra no gozo de seu senhor. Mas chegando também o que tinha recebido um talento, disse: Senhor, conhecia que és homem duro, que sega onde não semeou e recolhe onde não espalhou; pelo qual tive medo, e fui e escondi seu talento na terra; aqui tem o que é teu. Respondendo seu senhor, disse-lhe: servo mau e negligente, sabia que sego onde não semeei, e que recolho onde não espalhei. Portanto, devia ter dado meu dinheiro aos banqueiros, e ao vir eu, teria recebido o que é meus com os juros. Tirem-lhe, pois, o talento, e deem ao que tem dez talentos. Porque ao que tem, ser-lhes á dado, e terá mais; e ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. E ao servo inútil o joguem nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.

 

23**. Quando o Filho do Homem vier em Sua glória, e todos os Santos anjos com Ele, então se sentará em Seu trono de glória, e serão reunidas, diante Dele todas as nações; e apartará uns dos outros, como aparta o pastor as ovelhas dos cabritos. E porá as ovelhas à sua direita, e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos da Sua direita: venham, benditos de meu Pai, herdai o reino preparado para vós antes da fundação do mundo. Porque tive fome, e me deram de comer; tive sede, e me deram de beber; fui forasteiro, e me acolheram; estive nu, e me cobriram; doente, e me visitaram; no cárcere, e vieram para me ver. Então os justos lhe responderão dizendo: Senhor, quando te vimos faminto, e te sustentamos; ou sedento, e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro, e te acolhemos; ou nu, e te cobrimos? Ou quando te vimos doente, ou no cárcere, e viemos a Ti? E respondendo o Rei lhes dirá: De certo vos digo que quando o fizeram a um destes meus irmãos mais pequenos, fizeram a mim.

 

24. Então dirá também aos da esquerda: apartai-vos de mim, malditos, ao fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos. Porque tive fome, e não me deram de comer; tive sede, e não me deram de beber; fui forasteiro e não me acolheram, estive nu, e não me cobriram; doente, e no cárcere, e não me visitaram. Então também eles o responderão dizendo: Senhor, quando te vimos faminto, sedento, forasteiro, nu, doente, ou no cárcere, e não te servimos? Então lhes responderá dizendo: De certo vos digo que assim que não fizeram a um destes mais pequenos, tampouco o fizeram a mim. E irão estes ao castigo eterno, e os justos à vida eterna.

 

25. Quando acabou Jesus de proferir todas estas palavras, disse a seus discípulos: - Sabeis que dentro de dois dias se celebra a páscoa, e o Filho do Homem será entregue para ser crucificado.

*

 

Fontes: Mateus, Marcos e Lucas, segundo a versão Reina-valera revisão de 1960 das Sociedades Bíblicas. Notas do Evangelho de Tomé, versão do compilador, consultadas com cinco versões em vários idiomas. Nota da Didaké, segundo a versão castelhana de Daniel Ruiz Bom, Biblioteca de Autores Cristãos. Compilação e integração: Gino Iafrancesco V., Teusaquillo, Bogotá D.C., Colômbia,  agosto 2003. Editado pelo departamento de publicações do cristão instituto internacional de investigações bíblicas. Publicado por Cristianía Edições, da comunhão apostólica da Igreja Cristã. Impresso na Colômbia, América do Sul. Distribuição gratuita.

 

*6 À respeito diz o evangelho de Tomé logon 37: “ Lhes disseram seus discípulos: Que dia te revelarás a nós e te veremos? Disse-lhes Jesus: Quando forem como meninos pequenos que pisando em sua roupa não se envergonham de estarem nus, então vereis o Filho do Deus vivente, e não tereis temor”.

*7 À respeito diz o evangelho de Tomé logon 61: “ Disse Jesus: dois estarão descansando em uma mesma cama; um viverá, o outro morrerá. Salomé lhe perguntou:_ Quem és tu que tens descansado em minha cama e tens comido à minha mesa? Jesus lhes respondeu:_Sou quem saiu do que me é igual porque me tem sido dado por meu pai. Disse-lhe Salomé: _ Eu sou tua discípula. Jesus lhe respondeu:_ Por isso te digo, se o discípulo chega a ser igual, estará cheio de luz, mas caso se separe estará cheio de trevas.

*8 À respeito diz o evangelho de Tomé logon 21: Disse Maria a Jesus:_A quem são semelhantes seu discípulos? Disse Ele:_ São semelhantes a meninos em um campo que não é seu. Quando vierem os donos do campo lhes pedirão o campo, Eles se despojarão em sua presença para a cessão do campo. Portanto vos digo: se o dono da casa sabe que o ladrão está vindo, não permitirá ao ladrão entrar em sua casa e roubar seus bens. Vós, portanto, vigiai frente ao mundo. Cingis vossos lombos com firmeza para que os ladrões, não encontrem caminho até vós, ao saber os bens com os quais contais. Que haja um homem apercebido entre vós! Quando o fruto está maduro, em seguida se mete a foice. O que tem ouvidos para ouvir, ouça!

Também diz à respeito o evangelho de Tomé logon 103: “ Bem aventurado o homem que conhece por onde há de chegar o ladrão; pois se levantará antes que chegue, reunindo aos seus e cingindo os lombos”.

*9  À respeito diz o evangelho de Tomé logon 41: Disse Jesus: Ao que tenha na mão, se lhe dará, mas ao que não tenha, o pouco que tem lhes será tirado”.

Aproximação ao Apocalipse 83 - FECHAMENTO

 

Aproximação ao Apocalipse (83)

 

 

FECHAMENTO

 

 

FECHAMENTO

 

Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém; vem, Senhor Jesus.” Ap. 22:20.

 

Comentários de crítica textual

 

Irmãos amados, com a ajuda do Senhor, hoje estamos chegando à perícope do fechamento do Apocalipse. Esta perícope compreende Apocalipse 22:6-21. É a perícope de fechamento. Vamos ler inicialmente toda a perícope fazendo alguns breves comentários de crítica textual, como costumamos fazer; e depois voltamos na exegese. “6 E disse-me: Estas palavras são fiéis e verdadeiras; e o Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou o seu anjo, para mostrar aos seus servos as coisas que em breve hão de acontecer.”. Aqui a tradução de Reina-valera, conforme o grego, é bastante exata; somente há dois manuscritos tardios, o 1 e o 34, que têm uma pequena variante; mas realmente, assim como está aqui, está perfeito. “7 Eis que cedo venho! Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.  8 Eu, João, sou o que ouvi e vi estas coisas. E quando as ouvi e vi, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava, para o adorar.

 9 Mas ele me disse: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.  10 Disse-me ainda: Não seles as palavras da profecia deste livro; porque próximo está o tempo. 11 Quem é injusto, faça injustiça ainda: e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda”. Em relação à frase: “faça a justiça ainda” há algumas variantes nos manuscritos, mas também, nesta ocasião, Reina-valera traduziu exatamente. “12 Eis que cedo venho e está comigo a minha recompensa, para retribuir a cada um segundo a sua obra. 13 Eu sou o Alfa e o Ómega, o primeiro e o derradeiro, o princípio e o fim. 14 Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes no sangue do Cordeiro para que tenham direito à arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.”. Também a respeito desse verso: “aqueles que lavam suas vestes”, existem variantes, mas nesta ocasião Reina-valera traduziu exatamente. Aviso das variantes para que os irmãos saibam, mas a tradução está perfeita. “15 Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira.  16 Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de David, a resplandecente estrela da manhã. 17 E o Espírito e a noiva dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida. 18 Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro; 19 e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida”; aqui Reina-valera colocou “livro”; porém a frase é “árvore da vida”; todos os manuscritos em grego, todos, dizem “árvore da vida”; somente algumas poucas versões em latim foram traduzidos como se fosse “livro”.

 Quando Erasmo só tinha o códice 1 incompleto em grego, porque lhe faltavam os últimos versículos, este versículo lhe faltava, estes versos finais; então ele copiou de um manuscrito latino e o retraduziu ao grego, porque ainda não haviam encontrado ainda outros manuscritos gregos; Erasmo somente contou com um para sua edição do texto grego. Então, outros livros tinham mais testemunhas, mas do Apocalipse, na época do Erasmo, só estava nas mãos dele, que era o erudito da época, o códice 1; então ele o passou do latim, mas realmente de todos os manuscritos gregos, todos, não há nenhum que diga: “livro da vida” neste verso 19; todos os manuscritos gregos dizem: “árvore da vida” e não “livro da vida”. Só há, pois, umas poucas versões em latim que o traduzem: “livro da vida”; a Nova Versão Internacional o traduz: “árvore da vida”. Então o verso 19 diz assim: “e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro. 20 Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém; vem, Senhor Jesus.”. E o último verso diz desta forma nos manuscritos mais antigos. Com este último verso acontece um fenômeno nos testemunhos dos manuscritos: quanto mais antigos são os manuscritos, mais breve é a despedida; vão passando os séculos e a despedida se vai fazendo um pouquinho mais florida; e passam mais séculos e a despedida se fez mais florida; assim como chegou à Reina-valera, que traduziu do Textus Receptus, já aparece bem florida; os escribas ao longo do tempo foram adicionando flores. Vamos comparar como está aqui traduzido e como dizem os manuscritos mais antigos. Os manuscritos mais antigos dizem assim no verso 21: “A graça do Senhor Jesus seja com todos”. Assim João terminou. Os escribas foram adicionando. “A graça de nosso Senhor Jesus Cristo”; adicionaram o “nosso”, adicionaram o “Cristo”; “seja com todos vós”. Como podia faltar o amém? então puseram também o “amém”; os manuscritos mais tardios têm florida a versão; os mais antigos são bastante simples. Não haveria nenhuma razão, se João tivesse escrito uma coisa “florida”, não haveria nenhuma razão para os escribas simplificá-la; finalmente os escribas querem adorná-la. Então, irmãos, assim termina o Apocalipse e assim termina a Bíblia: “A graça do Senhor Jesus seja com todos”. Precioso, não é verdade? Amém, irmãos. Esse era o comentário de crítica textual.

 

Agora vamos ao comentário exegético. Voltemos sobre nossos passos ao verso 6. deram-se conta de que o final, ou o fechamento do Apocalipse tem tremenda relação com o princípio? quase as mesmas frases que aparecem no princípio, aparecem outra vez no final, mostrando que realmente tudo o que foi revelado é completamente coerente. Vamos lendo de novo devagar, e vamos vendo como se relaciona com o princípio.

 

Palavras fiéis e verdadeiras

 

Aqui também nesta perícope de fechamento aparece o anjo falando, às vezes João, às vezes o Senhor; é Deus falando pelo Espírito, seja através do anjo ou através do Senhor Jesus, ou através de João; às vezes fica difícil saber quem é o que está falando. Por exemplo, no verso 6, “disse-me”, não sabemos quem disse; seria o anjo que disse? seria o Senhor que disse? Pois, se houver continuidade com o seguinte verso, é o Senhor. Então diz: “E me disse: Estas palavras são fiéis e verdadeiras”. É pela segunda vez que o Senhor diz assim; a primeira vez, quando revelou a vinda da noiva descendendo do céu à terra, e revelou o lago de fogo, vocês recordam, disse desta maneira no capítulo 21:5, na metade do verso diz: “Escreve; porque estas palavras são fiéis e verdadeiras”; e aqui Deus volta a repetir isto. Deus conhece o coração das pessoas; antes que se manifeste o pecado dos homens, suas opiniões, seus desvios, suas heresias, o Senhor se adianta. Por exemplo, você vê em Gênesis. Gênese é um livro antiquíssimo que foi escrito muitíssimo antes dos gnósticos, muitíssimo antes de Marcião, muitíssimo antes de Platão e outros filósofos, de Zoroastro e os dualistas; entretanto diz: E criou Deus tal coisa, e viu Deus que era bom; e diz que era bom, por que? Porque Deus sabia que alguns diriam que a criação era má, que a matéria é má; então Deus lhes adianta. E disse Deus que era bom; agora aqui no final, outra vez Deus fala umas coisas tão maravilhosas, tão gloriosas, que alguns não vão acreditar, e o Senhor tem que insistir que estas palavras são fiéis e verdadeiras. Se tem alguém em quem devemos acreditar é somente em Deus; em Deus sim devemos acreditar; e Ele diz: Estas palavras, ou seja, tudo o que há dito no Apocalipse, tudo o que está revelado, porque este é o fechamento: Estas palavras são fiéis e verdadeiras. Ai ai ai! Eu não consigo explicação do porque alguns na história da Igreja tiraram este livro da Bíblia. Em Laodicéia, a igreja que não foi muito bem no Apocalipse, houve um concílio, e nesse concílio não incluíram o Apocalipse; deixaram-no de fora; no Oriente, as Igrejas do Oriente não aceitaram o Apocalipse até o século V; somente no Ocidente o Apocalipse foi bem apreciado desde o começo, porque este é um livro bastante sério; e as pessoas têm essa tendência, que o que lhes golpeia, não comem; mas tirar um pedaço é sério, quanto mais tirar o livro inteiro? Meu Deus! Deus tenha misericórdia! Não é verdade, irmãos? Então diz assim: “Estas palavras são fiéis e verdadeiras. E o Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou seu anjo, para mostrar a seus servos as coisas que devem acontecer logo”. Fixem-se em como as palavras do final são semelhantes às do princípio.

No princípio do Apocalipse diz assim: “A revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu, para manifestar a seus servos as coisas que devem acontecer logo; e a declarou enviando-a por meio de seu anjo a seu servo João”; e agora diz o mesmo no capítulo 22:6: “E o Senhor, Deus dos espíritos dos profetas...”. Notem que na Bíblia há muitas palavras com as quais se descrevem o Senhor; muitas palavras com as quais se o adjetivam; inclusive, o próprio Senhor se apresenta às vezes de distintas maneiras; por exemplo, a cada igreja se apresenta conforme a necessidade da igreja; é porque Ele tem tudo o que a Igreja necessita; aqui a Igreja necessita uma coisa, então Ele se apresenta como isso; aqui a Igreja está em outra situação, então Ele se apresenta como aquilo outro, e ali conforme ao que se necessita. Agora, aqui está falando uma profecia; então agora Deus podia apresentar-se como Deus dos exércitos, mas aqui não está falando de guerra; podia dizer: Jeová nosso pastor, mas aqui não está falando disso; este livro é uma profecia; do começo até o final, ele chama o livro de profecia. Então diz: “o Deus dos espíritos dos profetas é quem fala aqui: “o Deus dos espíritos dos profetas”; o Senhor, criou os espíritos humanos para ter uma função de comunicação com Deus; o Espírito de Deus se comunica com o espírito do homem.

O espírito da profecia, diz no capítulo 19 de Apocalipse, é o testemunho de Jesus; então Deus se apresenta como o Deus dos espíritos dos profetas; o Deus que revelou a todos os profetas, é o que também revelou esta profecia final. Esta é a profecia final, este é o fechamento de toda a Bíblia. “O Deus dos espíritos dos profetas, enviou seu anjo, para mostrar a seus servos as coisas que devem acontecer logo”. O objetivo de Deus é mostrar a seus servos; se a pessoa não for servo, não entende. É como diz Daniel; o livro de Daniel diz assim dos ímpios: nenhum deles entenderá; os justos compreenderão, mas dos ímpios, nenhum deles entenderá. A pessoa que não é serva do Senhor lê este livro; pensam que é um enredo, um montão de figuras, umas coisas misteriosas, e não entendem; por que? porque este livro está escrito em código, em código para os que servem ao Senhor, para os que acreditaram e servem, e conhecem Sua Palavra; entendem o que o Senhor fala. Este livro está dirigido aos servos. “Para mostrar a seus servos as coisas que devem acontecer logo”; é uma profecia que nos mostra o futuro: “logo”; logo na linguagem de Deus; lembrem-se de que nossa vida é como a flor da erva, que um dia amanhece e amanhã se joga no forno. Para o Senhor um dia é como mil anos. Quando o Senhor diz: logo, é logo aos olhos do Senhor; a nossos olhos podem acontecer muitas gerações, mas mil anos é só um dia para o Senhor. Esse “logo” é na linguagem de quem fala, que é o Senhor. E em seguida Ele diz o principal dentre as coisas que devem acontecer logo; bom, o principal é Sua própria vinda; porque vejam, aqui não fala só que vem o Senhor; aqui fala de coisas que devem acontecer logo; sim, vai vir o anticristo, vão vir terremotos, vão vir essas taças da ira, essas trombetas, vão vir todas essas coisas; mas a quem devemos esperar é o Senhor; ou seja, sim, o Senhor foi fiel; antes que as coisas aconteçam, Ele, a seus servos, diz as coisas. Por exemplo, Ele ia destruir a Sodoma e a Gomorra, e disse Deus: Acaso não vou contar a Abraão, meu amigo, sendo que ele vai ensinar a seus filhos no caminho de Deus? acaso não vou contar a Abraão o que vou fazer com Sodoma e Gomorra? Então disse: Olha, Abraão, vou destruir a Sodoma e Gomorra; e ali começou aquele diálogo, aquela intercessão de Abraão; Deus conta seus assuntos aos amigos. Então Deus diz que essa profecia do Apocalipse, que é uma profecia no geral, a envia a seus servos, e fala de coisas que têm que acontecer; mas de todas as coisas que têm que acontecer, a principal é a vinda do Senhor Jesus. Sim, há legítimas expectativas a respeito de tudo o que o Senhor anuncia, mas nossa principal expectativa deve ser o próprio Senhor.

“12 Eis que, venho logo! ” Ele poderia ter dito: o anticristo vem, o falso profeta vem, as sete pragas vêm, os três anos e meio vêm, mas Ele diz: “Eu venho logo”; Ele já disse as outras coisas, mas agora este é o fechamento; tudo começou com a revelação de Jesus Cristo, e agora: “Eu venho logo”. No fechamento, o Senhor diz três vezes que vem logo; isso é muito significativo; está terminando, e a sensação que o Senhor nos quer deixar é a de expectativa, a de preparação, a de estar preparados. Três vezes no fechamento diz: “Eu venho logo”; no verso 7, no 12 e no 20; o Senhor, três vezes, anunciando Sua vinda.

 

A Igreja de Cristo estabelecida no mundo

 

Eu quero chamar a atenção de vocês para o livro de Cânticos de Salomão, que se relaciona com isto. Vamos um momentinho ao livro de Cânticos de Salomão no Antigo Testamento. Neste livro se fala do amor entre marido e esposa; do amado e a amada; porque o amor do homem e da mulher, do marido e sua esposa, é uma figura do amor de Deus e Seu povo, de Cristo e Sua Igreja; então aqui o marido representa ao Senhor, e a amada representa a Seu povo, à Igreja do Senhor. Então aqui há um desenvolvimento deste drama, da relação do marido com a esposa, que aparece no capítulo 1 e continua se desenvolvendo até o final; mas quando chegamos ao capítulo final de Cânticos de Salomão, é, como dizer, o final parecido ao do Apocalipse. Ct 8:11: “Salomão teve uma vinha em Baal-hamon”; que significativa essa frase? Salomão é o filho do Davi, figura de Cristo; a vinha é onde trabalha o Senhor; mas onde trabalha o Senhor? Em Baal-hamon; na multidão de baales; ou seja, o Senhor semeou uma vinha no mundo onde está o diabo e suas coisas; o Senhor semeou uma vinha em Baal-hamon. Que coisa interessante! Ele veio ao mundo para desfazer as obras do diabo, e estabeleceu Sua Igreja no meio do mundo. E diz: “a qual entregou a guardas, (a seus servos) cada um dos quais devia trazer mil moedas de prata por seu fruto”. Significa que o Senhor espera resultados de todos nós; como Ele nos disse, que a cada um deu uma mina: “Negociem enquanto eu venho”; porque quando Ele vier vai dizer: o que fizestes com o que eu te dei? O que fizeste para mim? porque, claro, todo o tempo tens ocupado contigo, seu dinheiro ocupaste para ti, tudo ocupaste para ti, mas eu não vou te pedir conta do que fez para ti: o que fez para mim? É disso que eu vou te pedir conta. “Cada um dos quais devia trazer mil moedas de prata por seu fruto”. Agora, diz a esposa, e notem que diferença quando ela está no começo; quando ela era novinha no capítulo 1, no final do versículo 6 diz: “Puseram-me a guardar as vinhas; e minha vinha, que era minha, não guardei”. Isso é quando ela era novinha; quando não era responsável; lhe encomendava algo, e o deixava abandonado. “Puseram-me a guardar as vinhas; e minha vinha, que era minha, não guardei”, mas depois no final, quando amadureceu, e teve todas essas experiências, inclusive essas dores e separações que houve no meio do drama de Cânticos de Salomão, agora diz ela no capítulo 8:12: “Minha vinha, que é minha, está diante de mim”. Que diferença! No princípio, minha vinha não guardei. Agora, “Minha vinha, que é minha, está diante de minha”; ela se preocupa com sua vinha; mas olhem, não somente pela sua, mas por todas as de Salomão: diz: “As mil serão tuas, OH Salomão, e duzentas para os que guardam seu fruto”; é a quinta parte; sempre o quinto é sagrado; o Senhor deixa para que os seus compartilhem.

E agora fixem-se em como termina Cânticos de Salomão e como termina Apocalipse: “13 Ó tu, que habitas nos jardins, os companheiros estão atentos para ouvir a tua voz; faze-me, pois, também ouvi-la.”. Esse que habita nos jardins é o Senhor; e os quais são esses jardins? As Igrejas; os companheiros são os que servem ao Senhor, seus servos; “eles ouviram sua voz”; eles dizem que escutaram; agora eu também quero ouvir. Que lindo! Ela não só quer ouvir os companheiros que falam dele, mas também quer ouvir a ele próprio. É muito bom ouvir o que os companheiros dizem Dele. Porém melhor é ouví-lo diretamente! E agora diz: “14 Vem depressa, amado meu, (como quem diz: Vem, Senhor Jesus) e faze-te semelhante ao gamo ou ao filho dos veados sobre os montes dos aromas”. “ Vem depressa amado meu”; isso é o: Vem, Senhor Jesus.

Irmãos, voltemos para Apocalipse 22:7: “ Eis que venho logo! Bem-aventurado o que guarda as palavras da profecia deste livro”. Inicialmente, quando ainda ia contar a profecia, quando apenas iam ler e ouvir a profecia, no 1:3, a bem-aventurança, diz: “Bem-aventurado o que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas nela escritas; porque o tempo está próximo”. Agora, já se leu, já se ouviu, então já não faz falta dizer: “Bem-aventurado o que lê, e os que ouvem”; mas agora faz falta dizer: “Bem-aventurado...”, e esta é a sexta bem-aventurança do Apocalipse: “Bem-aventurado o que guarda as palavras da profecia deste livro, isso implica não só guardar o Apocalipse, mas também obedecê-lo; viver conforme o Senhor e seus princípios, como se revelam neste livro.

 

O estilo do apóstolo João

 

Logo aparece aqui no verso 8 a assinatura do autor deste livro: “Eu João”; mas se houvesse dito somente: “Eu João”; alguém poderia dizer: esse é outro João, porque alguns discutem assim, dizem que é outro João; mas não. Olhem o resto da frase: “Eu João sou quem ouviu e viu estas coisas”. Não lhe parece familiar essa linguagem? “que ouviu e viu estas coisas”. Vejamos 1ª João 1:1: “1 O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida 2e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada), o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros”. Se dão conta do estilo do apóstolo João? Significa que o autor de 1º João, é o mesmo autor do Apocalipse, o mesmo estilo. Agora vamos ao evangelho de São João, e vamos olhar ali também como João é quem fala com essa linguagem. Você não ouve Pedro falar com essa linguagem, embora Pedro também anuncia o evangelho; Paulo anuncia, Lucas, Marcos, Tiago, mas eles não têm esse estilo de linguagem. Esse é estilo de João; João é quem fala com essa linguagem. Diz João 1:14: “ E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai. ”. Também o verso 34 do próprio capítulo 1 diz: “ Pois eu, de fato, vi e tenho testificado que ele é o Filho de Deus”. Então, irmãos, as pessoas têm sua maneira de falar, seu estilo, verdade? Aí, não somente ao dizer: “Eu João”, mas ao dizer toda a frase, podemos perceber o estilo, a identidade do autor; é o mesmo autor do evangelho, o mesmo autor das epístolas; é o mesmo autor do Apocalipse. Claro que o Apocalipse foi escrito antes do ano 86, porque Domiciano morreu no ano 86 e João saiu de Patmos no ano 86 quando o imperador Nerva sucedeu a Domiciano; então ele saiu; ou seja, que tinha escrito em Patmos no 86 ou antes de 86; mas, ao passo que o evangelho ele escreveu um pouco depois, e também as cartas; mas é o mesmo estilo, a mesma linguagem, embora na época quando escreveu em Patmos, João ainda pensava em aramaico e falava o grego com pensamento aramaico; já 10 anos mais, seu grego é um pouco mais grego, como aparece nas epístolas, mas de todas maneiras é a mesma pessoa, é o mesmo estilo, é o mesmo apóstolo João, filho do Zebedeu e Salomé, irmão do Tiago, e primo do Senhor Jesus.

“8 Eu João sou o que ouviu e viu estas coisas”. Aqui outra vez volta a suceder o que já tinha acontecido no 19; quis prostrar-se aos pés do anjo porque era o anjo de Cristo; lá diz: “Eu Jesus enviei meu anjo”; ou seja, é um anjo especial que é mensageiro de Cristo; certamente ao estar na presença de Cristo irradia uma presença tão maravilhosa que o próprio João se prostrou; já no capítulo 19, o anjo disse: Não, não, levanta-te, levanta-te, não te prostre, adora a Deus, não a mim; entretanto, João outra vez voltou a prostrar-se, porque é que João sabia que Cristo, antes da encarnação, era o anjo de Jeová; não um anjo criado, mas o Verbo divino; mas a palavra “anjo” não é nome de natureza, mas de ofício; Ele é mensageiro do Pai; diz a Escritura que apareceu a Moisés na sarça o anjo de Jeová; mas como o anjo de Jeová falou? “Eu sou o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó”; significa que o Senhor aparecia como o Anjo de Jeová, como o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó; então, claro, João estava como que meio confuso e confundiu o mensageiro com aquele que o enviara; e bom, alguma coisa aconteceu com João; duas vezes aconteceu com João. Diz: “E, quando as ouvi e vi, prostrei-me ante os pés do anjo que me mostrou essas coisas, para adorá-lo. Então, ele me disse: Vê, não faças isso; eu sou conservo teu, dos teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.”. Notem isto: o que significa isso no final do livro de Apocalipse? Que Deus não quer que nos inclinemos diante de nenhuma criatura; um servo de Deus não vai permitir que se inclinem à ele; aconteceu isso a São Pedro; quando São Pedro chegou a pregar, veio Cornélio e se prostrou, inclinou-se com reverência, e Pedro disse: não, não, eu sou homem igual a você, levanta-te. Paulo também, quando esteve pregando, fez uns milagres com Barnabé; aí começaram a dizer: deuses em forma de homem vieram; e trouxeram bois com grinaldas; mas eles não aceitaram. Irmãos, como pode alguém ser chamado de santo padre, quando o Senhor disse: a ninguém chamem de Pai na terra, porque um só é vosso Pai? Como um homem pode permitir que o chamem de santo padre e permita que se inclinem e beijem o seu anel e os seus sapatos? Irmãos, a idolatria é abominação ao Senhor; nós devemos ser respeitosos com todas as pessoas, mas adorar só a Deus. “Adora a Deus”, nem sequer a um anjo muito poderoso como eles, nem sequer a eles; eles se declaram nossos conservos, conservo dos irmãos e dos profetas, conservo dos que guardam as palavras deste livro, embora não sejam apóstolos nem profetas; conservo; então todas as criaturas , sejam pessoas, sejam humanos ou angélicas, somos conservos; só o Senhor é digno de adoração; não se pode adorar, a não ser a Deus; nada de adorar a Maria, nem anjos, nem papa, nem santos, nem nada; só a Deus; nada de ídolos, nada de imagens, nada de quadros, nada de acender velinhas aqui e ali; nada de colocar coroa de flores em fotos, nada de adorar aos antepassados; toda a idolatria antiga começou por adorar aos antepassados; invocavam seu espírito em espiritismo, e logo os deificavam; e aí surgiram quantidade de mitologias; tudo isso é abominação ao Senhor, a idolatria. “Adora a Deus”.

Notemos a diferença do verso 10 com o Daniel. Vamos também a Daniel capítulo 12 e vamos manter as duas passagens abertas para compararmos uma com a outra, para fazer o contraste. Quando estava escrevendo Daniel? Lá por bem antes da vinda de Cristo. Daniel escreveu nos tempos da Babilônia e nos tempos da Pérsia; e no capítulo 12 Daniel está falando no terceiro ano de Ciro, rei da Pérsia; a visão final de Daniel ocupa os capítulos 10, 11 e 12.

 

O tempo está próximo

 

No 10 diz: “1 No terceiro ano de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada palavra a Daniel, chamado Beltsasar”; no tempo do terceiro ano de Ciro o persa; o império Persa estava no início; depois veio o império grego e todas as suas divisões, e depois veio o império romano, não é verdade? Daniel está escrevendo apenas no começo da história, pois só tinha passado Babilônia. Esta visão que aparece no 10:1, ocupa todo o 10, o 11 e o 12, então no final do 12 diz assim: “8 E ouvi, mas não entendi”. Daniel ouviu o que disse, escreveu, mas ele não entendia as palavras. “Eu ouvi, mas não entendi”; então como não entendeu, ele perguntou: “E disse: meu senhor, qual será o fim destas coisas? ” E vejam o que respondeu o anjo. “9 Ele respondeu: Anda, Daniel, pois estas palavras estão fechadas e seladas até o tempo do fim”. Daniel, você não entende por que eu estou te dizendo essas coisas, apesar de escrevê-las; Daniel escreveu o que era, mas ele não entendia; por que? Porque as coisas ainda não tinham acontecido, as coisas estavam por começar na história, estavam no começo da história. “Daniel, estas palavras estão fechadas e seladas”; as pessoas vão ler e como isto é coisa do futuro, não está acontecendo, as pessoas não vão entender o significado sobre rei do Norte, rei do Sul; da filha do rei tal, do príncipe do pacto e a abominação desoladora; e os do oriente, e os do ocidente; ele não entendia essas coisas, mas tinha que escrever; mas, claro, ele perguntou: ouvi e não entendi. “Anda, Daniel, pois estas palavras estão fechadas e seladas até o tempo do fim”.

Vamos também a Daniel 8:26, que diz: “A visão das tardes e manhãs que se referiu é verdadeira; e você guarda a visão, porque é para muitos dias”; é para o fim; mas aqui no Daniel 12 diz que as palavras estão fechadas e seladas; até quando? Até o tempo do fim; significa que as palavras que estiveram seladas desde Daniel, no tempo do fim não estariam mais seladas. Guarda as palavras e as sele até o tempo de fim; estão fechadas e seladas, mas não eternamente; até quando? Até o tempo do fim; mas o que ocorrerá no tempo do fim? “10 Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados;”; olhem como o mesmo Espírito que falou por Daniel fala por Apocalipse. quem é justo, seja justificado ainda; e quem é santo, seja santificado ainda. Daniel 12:10: “Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, (o ímpio será um ímpio) e nenhum dos ímpios entenderá, (por isso diz as palavras fechadas e seladas) mas os sábios compreenderão”. Quando? Não diz: agora; você mesmo, Daniel, não entende agora; isto não é para ti. Olhem como Pedro diz que eles administravam coisas faladas pelo Espírito Santo, mas que não eram para a época deles.

Vamos a 1ª Pedro 1:10 e seguintes: “10 Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada, (entre esses profetas estava Daniel) inquiriram (Daniel perguntou: quando será isto?), 11 Indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, (aí está o relativo às 70 semanas, etc.) anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir. 12 Aos quais foi revelado que ( olhem por exemplo a Daniel) não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas ( no tempo do fim, as coisas são anunciadas; antes estão guardadas e seladas, não era para eles, mas é para vós) por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar”.

Voltando para Apocalipse 22:10: “E me disse: (este é o Senhor, seja diretamente ou pelo anjo) Não sele as palavras”; agora é diferente; no princípio, Daniel: estas palavras estão fechadas e seladas, mas agora é o tempo do fim, agora é para manifestar aos servos, é para que os entendidos entendam. “Não sele as palavras da profecia deste livro, porque o tempo está perto”. Inclusive os sete selos são abertos pelo Cordeiro para que Seu povo entenda o plano que Ele tem para submeter todas as coisas sob seus pés e trazer para cumprimento o propósito eterno de Deus.

 

A prática da justiça dos Santos

 

E agora, com as mesmas palavras de Daniel, porque é o mesmo Espírito, diz o verso 11: “quem é injusto, seja injusto ainda”. Que coisa terrível! Irmãos, nos detenhamos um pouquinho a pensar nisto; quer dizer, quem não está se preparando vai ser surpreendido no caminho; ou estamos nos preparando, ou estamos apodrecendo, mas não se pode estar retrocedendo e avançando ao mesmo tempo. Se não estivermos avançando, estamos retrocedendo. “Quem é injusto, seja injusto ainda”; se uma pessoa, já nestes tempos, já com o Senhor a ponto de vir, ainda faz injustiça, vai continuar fazendo-a; alguém que agora faz injustiça vai continuar fazendo; quem agora no tempo final faz injustiça continuará fazendo; vai ser surpreendido: “quem é injusto, seja injusto ainda; e o que é imundo, seja imundo ainda”. Ainda a estas horas da noite em imundície? Vai continuar nisso, vai ser surpreendido em imundície. “Quem é imundo, seja imundo ainda; e o que é justo, pratique a justiça ainda; e o que é santo, santifique-se ainda”. Terá que praticar a justiça. O que devemos fazer para estar preparados para a vinda do Senhor? Viver nele, praticando a justiça. Aqui, quando usa “praticar a justiça”, não está falando da justificação por fé, mas das ações justas dos Santos; isso é o que devemos estar fazendo enquanto o Senhor vem; que o Senhor nos encontre praticando a justiça e nos separando do mundo; “e o que é santo, santifique-se ainda”.

Agora pela segunda vez, que são como três badaladas finais. “12 E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra”. Aqui o Senhor não está nos chamando somente a ser crentes, mas a ser crentes vencedores.

 

Diferença entre a salvação e o galardão

 

A salvação é por fé e não é por obras, mas o galardão dos salvos é por obras; aqui aparece o lugar das obras; não aparecem as obras para salvação, mas para galardão. vamos ver a diferença, por causa dos irmãos que não se atentaram para isto, entre galardão e salvação. Vamos outra vez a 1ª Coríntios 3:10. Ali aparecem os dois níveis: o nível do fundamento que tem a ver com a salvação, e o nível da edificação sobre o fundamento que tem a ver com o galardão; vejam a diferença. “10 Conforme à graça de Deus que me foi dada, eu como perito arquiteto pus o fundamento”; notem que há algo que se chama o fundamento; mas aí não há um ponto final. Quando você recebeu o Senhor Jesus, foi salvo, foi perdoado; o salvo está sobre o fundamento; mas o que vai fazer agora já que é salvo por graça? então vem o seguinte: “e outro edifica em cima; (devemos edificar sobre o fundamento, ou seja que o edifício tem o fundamento e a edificação) mas cada um veja como sobre edifica”; olhem a diferença: quando se refere ao fundamento, diz: “ninguém pode pôr outro fundamento”; agora, quando se refere à edificação diz: “cada um veja como” Esse “sobre edifica”  já é responsabilidade de cada um; você já foi salvo, já está no fundamento; você já tem a mina de prata em sua mão; agora negocie, disse o Senhor: “negociem isso enquanto eu venho”. Quando eu vier te perguntarei: O que fizeste com a mina? Bom, Senhor, consegui outras dez minas. Bom, bom servo, entra no gozo de seu Senhor; sobre pouco fostes fiel, sobre muito te porei; aí não está falando da salvação pela fé; ele já foi salvo por fé quando recebeu ao Senhor, foi salvo para sempre e eternamente; é salvo, mas além de ser salvo, como salvo, como filho salvo, tem que negociar com a mina que recebeu, trabalhar para o Senhor; e quando vier o Senhor, você não somente vai ter a salvação, mas vai ter um galardão. Por exemplo, alguns estarão sobre dez cidades; outro estarão sobre cinco cidades; é salvo; os dois são igualmente salvos, mas não igualmente  galardoados; uns foram postos sobre dez cidades, outros sobre cinco; então se dão conta de que o galardão é diferente da salvação? A salvação é por graça; o galardão é algo adicional pelas obras que os salvos fazem. Sigamos no verso 11: “11 Porque ninguém pode pôr outro fundamento que o que está posto, o qual é Jesus Cristo. 12 E se sobre este fundamento (sobre, quer dizer, já está salvo, já recebeu ao Senhor, o Senhor o perdoou, já é salvo, eternamente salvo) alguém edificar ouro (quer dizer, cooperar com a causa do Senhor, conforme à natureza divina), prata (quer dizer, em redenção), pedras preciosas”; o que é edificar com pedras preciosas? o que são as pedras preciosas? Somos submetidos a pressão para ser preciosos; não podemos ser preciosos sem pressão; a igreja mais preciosa é a que passa por perseguição e por dificuldades, porque o barro se torna pedra, e a pedra se torna preciosa somente sob pressão. A gente pode edificar ao Senhor pedras preciosas; realmente coisas que nascem de passar pela prova; ou se não, pode-se edificar madeira; ou seja, o meramente humano; feno, que é pura palha, e palha que são as folhas que estão separadas da videira, que estão separadas da árvore; não estão recebendo a seiva, não estão no Espírito, estão na naturalidade. Quando estamos na carne somos pura palha, leva-nos o vento. Então isso já não se refere somente à vida eterna; refere-se ao trabalho dos filhos de Deus. Por isso diz: “a obra de cada um”; aqui não está falando da fé; assim como em Apocalipse não está falando da fé; aí não diz: Eis que venho logo, para salvar os que creem, não! “Para recompensar a cada um conforme sua obra”. Aí está falando da obra e sua recompensa; claro que somos salvos por fé sem obras, mas as obras serão galardoadas. Entendem, irmãos?

Então diz: “a obra de cada um...”; não diz “a fé”; a fé também é provada; isso diz Pedro; mas aqui fala da obra: “a obra de cada um”. Irmão, não pense que você não tem uma obra a fazer; em Marcos diz que o Senhor deu a cada um a sua obra; você tem uma obra preparada de antemão Por Deus; você tem que descobrir o que foi que o Senhor lhe preparou; assim como quando Ester estava lá muito feliz; vejam que o Senhor me deu bênçãos mais que às demais de Israel porque o rei me escolheu, deu-me beleza, deu-me graça para com o rei, agora sou a rainha; e de repente aparece Mardoqueu e lhe diz: Olhe, Ester, Deus pode trazer salvação a nosso povo por outro lado, mas quem sabe se para esta hora está você aqui? Aí foi quando se deu conta de que ela estava lá não para si mesmo, mas para ser instrumento de Deus. Para esta hora você está aí, esteja onde esteja; vai haver um momento em que o Espírito Santo vai te fazer entender como Ester: para fazer isto aqui, para pôr o ombro aqui, para ajudar aqui, embora seja para varrer, embora seja para recolher esta cadeira; para isso estou eu aqui. Amém, irmãos? As boas obras, como vamos ler agora, já estão preparadas de antemão; Deus já preparou as obras que temos que fazer; mas o Senhor diz à igreja em Tiatira que temos que guardar as obras Dele; para que o que Ele preparou para que façamos, façamo-lo nele; isso vai ser premiado. Ele nos pôs uma tarefa, se a fizermos, o que façamos a vamos encontrar; mas às vezes o Senhor quis que fizéssemos até o Z, mas fizemos até o F, porque não nos atentamos ao que o Senhor nos tem preparado de antemão. Não nos façamos de tontos, porque quem vai perder somos nós mesmos; cada um se apresente e diga: Senhor, então para que eu estou aqui? A obra de cada um vai ser provada. “Se permanecer a obra de alguém”; aqui volta a falar de obras. Paulo, que é quem mais ensina da fé, está falando aqui de obras. “14 Se permanecer a obra de alguém que sobre-edificou, receberá recompensa. Essa é a sobre edificação, porque o outro é o fundamento. Para o fundamento nós não fizemos nada; isso  Jesus Cristo fez. Ele veio, morreu por nós, salvou-nos; já somos filhos, filhas, eternamente salvos; mas agora, já que nos salvou, agora o que fazemos? Não, pois vamos jogar bilhar; vamos ao cinema; não, não, não é isso o que teremos que fazer sendo salvos; temos que fazer outra coisa, não é mesmo? Temos que fazer as obras que Ele nos tenha preparado.

“15 Se a obra de alguém se queimar, (olhe esta palavra, um salvo da igreja) ele sofrerá dano”; se chama sofrer e se chama dano; mas fixem-se que não é perda da salvação, mas sim é perda do galardão; que ninguém tome sua coroa. Eu queria este lugar para ti, mas descuidou e alguém teve que fazer o que você não fez; perdeu sua coroa, descuidou e outro teve que fazer o que você não fez, perdeu sua coroa, era para ti, mas agora não o fez e outro toma seu lugar, estão vendo? Então diz: “15 Se a obra de alguém se queimar, ele sofrerá dano, embora ele mesmo será salvo, (percebem que não é perda da salvação? Será salvo) embora assim como por fogo”. Um salvo que passa por fogo; não se perde, é salvo, mas sofre perda se sua obra se desfizer, amém?

 

A salvação é um presente de Deus

 

Efésios 2:8-10: “8 Porque por graça sois salvos (quando fala da salvação diz, por graça) por meio da fé”; aqui não fala de obras; fala da graça. Deus te salva por graça, por que? Porque você merecia morrer, e o Senhor morreu por ti; tu crestes, Ele te perdoou, regenerou; agora és um filho. “8 Porque por graça sois salvos por meio da fé; e isto não de vós, pois é dom de Deus; 9 não por obras, (a salvação não é por obras, é dom de Deus, presente) para que ninguém se glorie”. Ah! Bom, então não há necessidade de obras; claro, para a salvação não há necessidade de obras, somente de fé; mas agora que somos salvos o que sucede? Então vem o seguinte verso: “10 Porque somos feitura dele, (agora somos salvos por fé, não por obras, somos filhos, somos a Igreja, sua feitura para que? Essa palavra “feitura sua” no grego diz: “poema seu”; feitura é uma coisa não tão linda, mas somos poema, é uma feitura muito formosa) criados em Cristo Jesus (ah, salvou-nos por graça, criou-nos e nos fez para que?) Para boas obras”; quais boas obras? Ah! Vou fazer votos; os quatro votos; vou fazer voto de obediência ao Papa, vou fazer voto de castidade, vou fazer voto de pobreza; não, não, não, não se trata de prostrar-se ante homens; mas são as obras que Deus preparou para ti; não o que uma organização te rouba do serviço ao Senhor, e te põe a servi-los. Entendem? Não se trata de servir a meros homens, nem organizações; trata-se de servir ao Senhor, em comunhão com Ele. O que Ele preparou para ti? Não vais fazer votos de obediência a não ser ao Senhor, porque não pode te comprometer entregando o que é do Senhor a outro; o Senhor já preparou para cada um o que tem que fazer; isso já está preparado. “10 Porque somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que andássemos nelas”. Significa que as obras que você vai fazer amanhã, já estão preparadas; pode ser que não sejam agradáveis, mas as preparou Deus para que sejamos provados, saiamos vitoriosos e tenhamos galardão; aqui não estamos nos comprando a salvação; a salvação é um presente; “a dádiva de Deus é vida eterna”. Não confunda galardão com salvação; salvação é por fé, é por graça, não por obras; mas depois de que é salvo, é filho, é filha, é a Igreja, é um poema de Deus para boas obras que Ele preparou de antemão.

Irmãos, a cada dia estejamos atentos a ver o que nos preparou o Senhor, o próprio Senhor; porque se fizer voto de obediência aos homens, eles lhe têm preparado por lá possivelmente a comissão de um crime em nome da religião. Vocês não sabem os votos terríveis que fazem alguns jesuítas? Não, não se trata de fazer votos aos homens; é estar perto de Deus para ver o que o Senhor preparou a ti para fazer. Ester, para esta hora está você aqui, isto você tem que fazer, você tem que fazê-lo; se você não fizer, essa perna da mesa que falte a vai deixar coxa. Irmãos, há muitas pernas coxas porque há irmãos que não estão em seu lugar, não põem o ombro onde têm que pôr, e a mesa está frouxa porque lhe falta uma perna. Há coisas que não se fazem porque falta que ponham o ombro os que o têm que pôr. Irmãos, percebem? Obras têm lugar no plano de Deus, não para a salvação, mas para que os salvos sirvam a Deus; e Deus, aos salvos, os porá no reino; e a diferença da posição no reino, a diferença da glória da ressurreição de cada um, vai ser em relação a quanto serviram ao Senhor. Diz 1ª Coríntios 15:41 que uma estrela é diferente de outra em glória; há estrelas de primeira magnitude, de segunda magnitude, de terceira magnitude, de quarta magnitude, de quinta magnitude, de sexta magnitude; há algumas que não se veem quase; e se diz que assim será na ressurreição. Na ressurreição alguns ressuscitarão de primeira magnitude; outros de segunda magnitude e outros quase não se veem; cabe-lhes irem se limpar durante o milênio para ver se brilham depois. Entenderam-me, irmãos? Então as obras sim têm lugar. Irmãos, enganaríamos aos Santos se lhes disséssemos que a salvação é por obras; esse seria um falso evangelho. Dizemos e certificamos que a salvação é por fé no Senhor. Ele morreu por nós, deu-nos a salvação, a salvação é um presente; mas também mentiríamos aos irmãos se lhes disséssemos: Irmãos, vocês já estão salvos, já não precisam fazer nada. Terá que ensinar todo o conselho de Deus; a salvação, para que se salve, e também o trabalhinho que temos que fazer os salvos para merecer um lugar mais perto do Senhor. Lembrem-se de que a Nova Jerusalém é uma pirâmide, pouquinhos estarão mais acima, e cada vez que vamos baixando há mais, e fora há muitos; mas sejamos dos pouquinhos que estão mais acima da Nova Jerusalém. Amém, irmãos?

 

O Senhor dará o galardão quando vier

 

Voltemos para Apocalipse 22:12: “Eis que venho logo, e meu galardão comigo, para recompensar a cada um conforme seja sua obra”. Quando o Senhor vai recompensar, a galardoar? Em Sua vinda; por isso digo que esta vinda é depois da grande tribulação; é durante a sétima trombeta, não antes das trombetas, mas durante a sétima. Vamos à sétima trombeta no capítulo 11 de Apocalipse para que você veja a correspondência de Apocalipse 22:12 com a sétima trombeta. A sétima trombeta está em Apocalipse 11:15-19; aí está tudo o que tem que ver com a sétima trombeta; a sétima trombeta consuma todo o mistério de Deus; aí abrange toda a consumação; mas dentro de toda a consumação há vários elementos, entre esses está o galardão.

 

A sétima trombeta é o tempo do galardão.

 

Então diz o verso 18 no contexto da sétima trombeta, depois de todas as anteriores trombetas de julgamento. Diz: “18 E se iraram as nações, e sua ira veio, (esse se iraram as nações é Armagedom) e sua ira veio, (as taças da ira) e o tempo de julgar aos mortos, e de dar o galardão a seus servos os profetas, aos Santos, e aos que temem seu nome, aos pequenos e aos grandes, e (por outra parte) destruir aos que destroem a terra”. Ao mesmo tempo, como diz 2ª aos Tessalonicenses, capítulo 1:5-10, Ele vem para dar retribuição a uns, e repouso a outros. Quando dá retribuição a uns, dá repouso a outros; quando dá repouso a uns, dá retribuição a outros; assim está em 2ª Tessalonicenses 1:7. Leiamo-lo para que não confiem somente em sua memória, nem me ouçam só ; vocês não tem que me ouvir , têm que examinar com a Bíblia o que eu digo. Se eu sair da Bíblia, siga a Bíblia, não me siga, mas por favor, se eu lhe disser algo que você não pensava e que pensa distinto, olhe se for eu quem digo ou se for a Bíblia a que diz; se for a Bíblia, por favor, não me siga, mas siga a Bíblia.

2ª Tessalonicenses 1:7-10 diz: “7 E a vós que sois afligidos, lhes dar repouso conosco, (quando?) Quando se manifestar o Senhor Jesus do céu com os anjos de seu poder, 8 em chama de fogo, para dar retribuição”. Então quando nos dá repouso? Quando se manifesta para dar retribuição. Agora passamos ao versículo 9: “9 os quais (os que são perdidos) sofrerão pena de eterna perdição, excluídos da presença do Senhor e da glória de seu poder, (quando?) 10 quando vier naquele dia para ser glorificado em seu Santos”. Você vê que as duas coisas estão juntas; Ele quer dar repouso a uns e retribuição a outros, e exclui a uns quando os outros são glorificados, ao mesmo tempo. Isso é o que aparece em Apocalipse 18:11: “e sua ira veio, (e que mais veio?) e o tempo de julgar aos mortos, e de dar o galardão”; quando é o tempo de dar o galardão aos servos os profetas, aos Santos, e aos que temem seu nome, quando? Na sétima trombeta. A sétima trombeta é o tempo do galardão; a última trombeta.

Agora, em Apocalipse 22:12 diz: “ Eis que eu venho logo, e meu galardão comigo, para recompensar a cada um conforme seja sua obra”. Quando recompensará? Quando Ele vier. Quando é o tempo de julgar e de dar o galardão? Na sétima trombeta, que é a última trombeta. A última trombeta é a sétima: “51 Eis aqui, digo-lhes um mistério: Nem todos dormiremos; mas todos seremos transformados, 52 em um momento, em um abrir e fechar de olhos, na última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados” (1ª Co. 15:51-52). Quando? Na última trombeta. Qual é a última trombeta? A sétima trombeta; então essa é a hora do galardão para as obras do povo de Deus. O Senhor não só anuncia salvação, anuncia também galardão; salvação por fé, mas galardão por obras. O que quer dizer salvos por fé? Não vamos ao inferno porque o Senhor morreu por nós; mas aonde vamos? Agora sim, já te salvei; agora para onde você quer ir, filho? Quer escalar a Nova Jerusalém? “Quem quiser, venha e beba gratuitamente da árvore da vida”; já é salvo, mas trabalha para o Senhor. Amém? Que nos encontremos bem acima da Nova Jerusalém; façamos o possível para reinar no Milênio, e dali passar direito à Nova Jerusalém.

Então vejam, João já pôs sua assinatura; agora o Senhor põe a sua: “13 Eo sou o Alfa (que começou tudo) e o Ômega, (que é a última letra do alfabeto grego, que termina, o Senhor é o Ômega, o Alfa e o Ômega) o princípio e o fim, o primeiro e o último”; é quem começa tudo e é quem tem a última palavra.

 

Ter acesso à árvore da vida

 

Última bem-aventurança, sétima bem-aventurança do Apocalipse: “14Bem aventurados os que lavam suas roupas”; lavar as roupas tem a ver com a salvação. Em Apocalipse diz aos servos, mas os servos têm que levar a mensagem a todo mundo; os servos têm as roupas lavadas, mas os que não, ao final diz o Senhor para todos: “14Bem aventurados os que lavam suas roupas, para ter direito à árvore da vida”. Por que algumas nações terão direito às folhas e não à árvore da vida? Percebem por que não? Porque são naturais. Os que nascem de novo lavam suas roupas [no sangue do Cordeiro]; essa expressão: “no sangue do Cordeiro” alguns manuscritos a acrescentam apoiados em que aparecia em outros versos anteriores; mas aqui não aparece; aqui aparece: “Bem aventurados os que lavam suas roupas”. Algum manuscrito posterior diz: “no sangue do Cordeiro”; claro, é no sangue do Cordeiro; mas a maioria dos manuscritos não dizem, nem os mais antigos, por isso não o adicionamos aí; “para ter direito à árvore da vida”; ou seja, não se pode ter direito à árvore da vida sem lavar as roupas no sangue do Cordeiro, confessar nossos pecados ao Senhor, pedir perdão, e recebê-lo como o nosso Salvador; aí nossas roupas são limpas e temos acesso à árvore da vida. E diz: “e para entrar pelas portas na cidade”. Notem como o Senhor resume as coisas em duas figuras: a árvore da vida que tem a ver com a eternidade, a vida eterna, a salvação, lavar as roupas; a árvore da vida, é pelo sangue, pela vida do Senhor; e agora fala do que? Da cidade: “e para entrar pelas portas na cidade”. Irmãos, são as duas coisas principais, são os dois motivos principais do fechamento. Lavar as roupas para ter direito à árvore da vida, e ter direito a entrar pelas portas na cidade, a cidade de Deus, a Nova Jerusalém; essa é a edificação espiritual que terá também uma expressão material, mas que tem um sentido espiritual que nós edificamos a partir de agora. Para poder entrar, temos que ser limpos, amém? O que Deus quer é que todos cheguemos a essa cidade, amém?

 

Excluídos

 

Mas alguns estarão fora, na terra, e outros muito mais fora, no lago de fogo; ao invéz de mar haverá um lago de fogo onde estarão outros, os que não tinham seu nome no livro da vida. “15 Mas os cães”; aqui não se refere aos cães salsichas, aos cães São Bernardo, etc., não. Na Bíblia os judeus chamavam de cães aos gentios que viviam uma vida imunda; então isso é o que a palavra chama de “cães”; as pessoas imundas; “os cães estarão fora”; aqui não diz somente fora da cidade, não; fora de toda a nova terra, o novo céu, a Nova Jerusalém; no lago de fogo; e quem mais? “os feiticeiros”; os que contatam espíritos e fazem “trabalhinhos” como eles o chamam, com espíritos; estarão fora, estarão no lago de fogo; “os fornicadores”; as pessoas que sem respeito pelo matrimônio têm relações; ou se separam e se metem com um, metem-se com outro; esses são os fornicadores; o adultério está também incluído na fornicação; “os homicidas, os idólatras, e todo aquele que ama e pratica a mentira”. Que coisa! Às vezes não só se pratica mentira, mas também se ama praticar mentira; os que a amam e a praticam, não estarão na cidade de Deus, nem no céu novo, nem na terra nova, mas como havia dito o capítulo 21, no lago de fogo; ou seja, aí se repete o que dizia o capítulo 21; volta a repetir nesta bem-aventurança e nesta advertência.

E agora diz o Senhor no verso 16: “Eu Jesus enviei meu anjo para dar testemunho destas coisas nas Igrejas”. O Senhor quer dar testemunho de todas estas coisas nas Igrejas. Ao estar ouvindo Sua palavra, Ele que está presente entre nós por Seu Espírito, está dando testemunho a nós; mas aqui o Senhor usa o plural; em outra ocasião o Senhor usou o singular: a Igreja; a Igreja no universal é uma só, mas quando se expressa no tempo, na geografia, a igreja aparece como Igrejas; a Igreja universal aparece como a igreja em Jerusalém, a igreja em Antioquia, a igreja em Cesaréia, a igreja em Éfeso, a igreja em Esmirna, a igreja em Sardes, a igreja em Filadélfia, a igreja em Pérgamo, a igreja em Laodicéia; ou seja, a igreja nas localidades, nos municípios, nos povos, nas aldeias, nas cidades; agora fala das Igrejas. O Senhor dá testemunho destas coisas nas Igrejas. É lastimável que houveram Igrejas que fecharam as portas a este testemunho do Senhor e de Seu anjo, e ficaram sem esse testemunho. “Eu Jesus enviei meu anjo para dar testemunho destas coisas nas Igrejas”. Bom, e quem é este Jesus? Sabem quem é? “Eu sou (e aqui aparece a divindade e a humanidade) a raiz e a linhagem de David”. Quando diz: a raiz de Davi, ou seja, que deu existência a David, esse é Deus; e quando diz: a linhagem de Davi, é a encarnação porque Ele veio, como homem, da linhagem do Davi; então aí aparece a divindade e a humanidade deste Jesus. “Eu Jesus enviei meu anjo para dar testemunho destas coisas nas Igrejas. Eu sou a raiz e a linhagem do Davi, a estrela resplandecente da manhã”. O Senhor é sempre a estrela resplandecente; “Eu sou”, Ele é; não que Ele vai ser, que Ele vai dar, mas Ele é a estrela resplandecente da manhã. Vocês recordam em 2ª de Pedro que ele fala desta estrela?

 

A estrela da manhã

 

Vamos a 2ª de Pedro 1:19; diz: “ 19 E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que ilumina em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça (onde?) em vossos corações”. Onde tem que sair a estrela da alva? Em nossos corações. Por que o Senhor diz ser a estrela resplandecente da manhã e Pedro chama também de a estrela da alva? Por que? Porque fixem-se, quando o Senhor vier em glória, Ele será o sol da justiça; assim Malaquias o chama. Vamos a Malaquias, o último livro e a última profecia do Antigo Testamento. Malaquias 4:2; aí o Senhor é chamado de “Sol de Justiça”. “2 Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria. 3 E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que estou preparando, diz o SENHOR dos Exércitos ”. Agora estou olhando o que vocês fazem, mas nesse dia vou atuar. Então disse: sairá o Sol da justiça; o Sol da justiça se refere à vinda do Senhor, mas antes que venha o Senhor, na escuridão, quando ainda está escuro, o Senhor nos ilumina como a estrela da manhã. Agora nós necessitamos do Senhor como a estrela da manhã; o Senhor formado em nós, é o Senhor como a estrela da manhã, mas quando Ele vier em glória será o Senhor como o Sol da justiça; a estrela é quando ainda há escuridão; ou seja, durante o tempo de nossa prova na terra; é o tempo quando há escuridão; temos ao Senhor, mas ainda não como o Sol; então como o que? Como a estrela. Por isso Pedro diz: estejam atentos à palavra, até que nasça a estrela da manhã em seus corações; o sol também tem que resplandecer em nossos corações, mas quando o Senhor vier; isso já é o Sol de justiça; antes de vir o Sol da justiça, estamos ainda na noite. O Senhor disse: trabalhem enquanto é de dia porque a noite vem quando ninguém pode trabalhar. Então quer dizer que antes de vir o Senhor estamos na noite; diz: “à meia-noite se ouviu um clamor: Eis o noivo! ”, (MT. 25:6). Enquanto estamos na noite necessitamos do Senhor; como ainda não o podemos ter em gloria na segunda vinda, pelo menos o temos como a estrela da manhã que ilumina no lugar escuro. Deixemos Ele iluminar e iluminar em nós. Alguns irmãos têm dito que a estrela da manhã se refere a um arrebatamento anterior à ressurreição, embora Paulo diz: “Não precederemos aos que dormem”; eu não vejo a palavra arrebatamento associado à estrela da manhã em nenhum lugar, mas se você vê, amém; não há problema, graças ao Senhor.

Agora olhem que beleza, como é no final: “17 E o Espírito e a Noiva dizem: Vem”. Que precioso! Já para o final, porque o Senhor havia dito que Ele apresentaria a si uma Igreja Santa e gloriosa, sem mancha nem ruga, ou seja, que Ele está trabalhando para apresentar a si mesmo Sua igreja em unidade e em glória e em harmonia; no final ele a vê; o Espírito e a voz da esposa são a mesma. Quando somos imaturos, o Senhor diz A e eu digo B; o Senhor diz B e eu digo A, mas no final, quando houver esse matrimônio com o Senhor: “O Espírito e a Esposa dizem: Vem”. Há uma perfeita união entre o Espírito e a Esposa; a mesma voz e o mesmo motivo. Qual é o motivo? Vem. O que disse o Senhor que fizéssemos? Orem assim: “pai nosso, que está nos céus, santificado seja teu nome, venha seu reino, faça-se sua vontade aqui na terra como se faz no céu”; ou seja que teremos que servir ao Senhor. A quem é que o Espírito e a Noiva dizem: Vem? Ao Senhor. O que quer dizer isso? Que o Espírito ajuda a Igreja a interceder para que venha o reino do Senhor. “O Espírito e a Esposa dizem: Vem”; significa que no final dos tempos nós estaremos intensamente intercedendo para que o Senhor venha. Vem depressa, amado meu, e faze-te semelhante ao gamo ou ao filho dos veados sobre os montes dos aromas, amém? Intercedendo para que se faça a vontade do Senhor, isso é o que nós devemos já estar fazendo. Não só individualmente, mas também como igreja e ajudados pelo Espírito, porque o Espírito nos ajuda em nossa debilidade. “O Espírito e a Noiva dizem: Vem”. E agora diz: “17 E quem tiver sede, venha”; o Senhor vai ajudar; se o Senhor disser: venha, é porque não vai te deixar em sua debilidade caída, não; se o Senhor te disser que venha é porque vai te ajudar; há graça, há socorro à sua natureza caída. Se o Senhor diz venha é porque vai te ajudar. “E quem tem sede, venha; e quem quiser”. Aí está a responsabilidade do homem, aí está o exercício da vontade de cada um. “Quem quiser”; tem que querer; o Senhor não vai agarrar à força. “Eu quis juntar seus filhos, mas você não quis”, disse o Senhor em Mateus 24; tem que haver o querer. “e quem quiser, tome de graça da água da vida”. Esse é o Espírito; o Espírito se recebe por fé e grátis. Diz Paulo aos Gálatas: “Receberam o Espírito pelas obras da lei, ou por ouvir com fé?” (Gl. 3:2). Por ouvir com fé recebemos o Espírito. Quem quiser, venha e beba gratuitamente; o Senhor não cobra nada a ninguém pelo dom do Espírito Santo.

Verso 18; agora não sabemos se este é João, o anjo ou Jesus; mas se fosse João, é em nome de Jesus; se fosse o anjo, é em nome de Jesus; e se for Jesus é no nome do Pai, porque é a revelação que Deus lhe deu e a declarou por seu anjo. “Eu”, aí temos que ter ao Pai, ao Filho, ao Espírito Santo, ao anjo, ao João, e à igreja. “18 Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: (este livro é uma profecia) que, se alguém acrescentar a estas coisas (por isso é tão delicado ficar enfeitando o texto) Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro”. Temos lido tremendas classes de pragas; pois virão sobre o que acrescentar a este livro; esta é uma advertência para que a Palavra do Senhor seja respeitada como é; às vezes nós não editamos uma diferente, mas quando dizemos as coisas, dizemo-las diferente; dizemos coisas que não estão escritas e algumas que estão escritas as tiramos de lado; isso é delicado.

“19 E, se alguém tirar quaisquer das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida”; está dizendo que quem tirar vai ao lago de fogo? Está dizendo que as folhas da árvore lhe serão vedadas? Está dizendo que às nações sujeitas que andam à luz da Nova Jerusalém lhe serão vedadas? A árvore da vida lhes será proibida; não diz o texto que será tirado do livro da vida, como se um salvo perdesse; o que diz é que não terá acesso à árvore da vida. “19 E, se alguém tirar quaisquer das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida”. Todos os manuscritos gregos dizem: “árvore da vida”, todos, “e da Santa cidade e das coisas que estão escritas neste livro”, que são coisas preciosas; lógico que se refere às positivas.

E agora diz o Senhor no verso 20: “Aquele que testifica estas coisas, (o próprio Senhor Jesus) diz: (pela terceira vez; três vezes o Senhor disse isto: esta é a terceira vez) Certamente venho cedo”. Então, o Espírito e a Esposa dizem: Vem. “Amém; sim, vem, Senhor Jesus”. Apressa-te amado meu, vem, amém?

E João termina, em nome do Senhor, assim como começou; mas como João começou? Com a graça. Primeiro começou com a apresentação e depois diz em Apocalipse 1:4: “João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono”. Agora na Nova Jerusalém o que sai do trono? O rio de Deus; Quem são os sete espíritos? O Espírito de Deus: e quem é o rio diante do trono? É o Espírito de Deus.

Então diz aqui no verso 21: “A graça do Senhor Jesus, seja com todos”. Graças a Deus. Agradecemos ao Senhor que pudemos considerar este livro muito precioso. Vamos dar graças ao Senhor?